Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 25 - quinta-feira, 18 de abril de 2024

Policial penal é morto em atentado e Senado pede o uso das Forças Armadas para conter o terror em cidades do Rio Grande do Norte

Sábado 18/03/23 - 6h48

Na noite de sexta-feira (17), um policial penal do Rio Grande do Norte foi vítima de um atentado a tiros em São Gonçalo do Amarante, na região metropolitana de Natal.

Esse incidente ocorreu durante uma onda de ataques criminosos que têm alvejado prédios públicos, comércios e veículos desde a última terça-feira (14).

A polícia também registrou tiroteios na capital potiguar na noite de sexta-feira (17).

O policial penal morto foi identificado como Carlos Eduardo Nazário, com 49 anos de idade.

Ele foi rapidamente socorrido e levado para o Hospital Santa Catarina, localizado na zona norte de Natal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

As autoridades locais seguem investigando os motivos por trás dos ataques e buscando os responsáveis.



***

Pacheco envia a Lula pedido para uso das Forças Armadas no RN

Solicitação é para operação de Garantia da Lei e da Ordem


O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), enviou, nesta sexta-feira (17), pedido ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva para uso das Forças Armadas no Rio Grande do Norte. O estado tem sofrido com ataques violentos de criminosos a prédios públicos, comércio e veículos.

Pacheco atendeu solicitação feita pelo senador Styvenson Valentim (Podemos-RN), que pede o emprego das Forças Armadas com base no Artigo 142 da Constituição. O artigo prevê operações da Garantia da Lei e da Ordem (GLO). A autorização para acionar as Forças Armadas é competência da Presidência da República.

“Reconheço o notável empenho das forças de segurança do estado e nacional neste momento, às quais se podem somar as Forças Armadas, a critério do presidente da República. O importante é garantir a paz no estado o mais rapidamente possível”, diz Rodrigo Pacheco no pedido, segundo a agência de notícias do Senado.

Força Nacional
Mais de 100 agentes da Força Nacional estão no estado para reforçar a segurança pública após os ataques violentos. O envio dos agentes foi autorizado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, diante de pedido feito pelo governo estadual.

Pelo menos 43 pessoas foram presas, suspeitas de participar nos ataques criminosos praticados em 14 municípios desde o início da semana.

Os crimes foram orquestrados por uma organização criminosa que, supostamente, protesta contra as condições precárias nas penitenciárias. Ataques incendiários foram registrados contra prédios públicos, estabelecimentos comerciais e veículos. Agência Brasil

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais