Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 25 - sábado, 24 de fevereiro de 2024

Divulgado nesta segunda-feira: "Brasil perdeu mais de 400 mil empresas no primeiro semestre de 2023"

Segunda 04/09/23 - 6h37

Divulgado nesta segunda-feira:

- Nos primeiros seis meses de 2023, o Brasil fechou 427.934 empresas de diversos tamanhos, resultando em saldo negativo entre aberturas e fechamentos, excluindo Microempreendedores Individuais (MEIs).

- Os dados foram fornecidos pela Contabilizei, com base no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJs) da Receita Federal.

- Desde o quarto trimestre de 2021, o fechamento de empresas tem superado as inaugurações.

- Mais de 750 mil empresas desapareceram da economia.

- 2,08 milhões de empresas abriram suas portas e 2,83 milhões fecharam.

- No segundo trimestre deste ano, três vezes mais empresas industriais fecharam do que abriram, com 7.810 inaugurações e 25.151 encerramentos.

- A indústria enfrenta saldo negativo desde o terceiro trimestre de 2021, enquanto o comércio entrou em declínio no quarto trimestre de 2021 e os serviços no terceiro trimestre de 2022.

- O comércio teve o pior desempenho, com 129.515 empresas fechadas no segundo trimestre de 2023, em comparação com 61.685 aberturas.

- Significa que aproximadamente duas empresas fecharam para cada uma que abriu.

- No setor de serviços, 196.651 empresas fecharam enquanto 133.836 foram inauguradas no segundo trimestre deste ano, resultando em uma proporção de 1,5 empresas fechadas para cada abertura.

- Levantamento recente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostra que as micro e pequenas empresas contribuíram significativamente para a criação de empregos formais, gerando cerca de 710 mil vagas de trabalho no primeiro semestre.

Isso representa cerca de 70% do total de empregos com carteira assinada criados no período, refletindo um padrão semelhante aos primeiros semestres de 2021 e 2022. Os dados foram divulgados pelo G1.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais