Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 25 - terça-feira, 27 de fevereiro de 2024
 

Este espaço é para você aprimorar a notícia, completando-a.

Clique aqui para exibir os comentários


 

Os dados aqui preenchidos serão exibidos.
Todos os campos são obrigatórios

Mensagem: ÉPOCA DA REVOADAS DOS CUPINS (mariposas). As mariposas são os cupins no processo que chamamos de metamorfose completa, desde ovos – larvas – cupim e imago. Quando ainda criança, tínhamos muito “nojo” e medo das mariposas, devido sua origem e suas transformações. Mas, depois de adultos, passamos a entender que esses insetinhos voadores são inofensivos – não são mais os cupins ferozes. É inevitável não lidar com eles logo no início das chuvas – são insetos meteorologistas na versão alada que saem da toca à procura do acasalamento e a reprodução. A mariposa tem vida curta, apesar do “longo” tempo (onze meses) dentro do ninho – sua metamorfose, ou seja: “ciclo de vida dos cupins” é questão de horas se sintetiza na última fase da metamorfose citada – quando perdem suas asas em poucos minutos para iniciarem o acasalamento, logo são devoradas pelos os predadores. As mariposas são atraídas pela a luz elétrica, devido seus sensores confundirem com a lua. Por isso, que sempre digo: - observe o comportamento dos insetos. Depois do acasalamento – é certeza – a chuva está chegando! Todos os animais compreendem quando o tempo vai mudar! Eles sentem as alterações da pressão atmosférica e a umidade relativa do ar; é o sinal das chuvas e ventos fortes. As mariposas realmente são insetos meteorologistas – no inverno (Junho e Julho), quando o monte de cupim amanhece molhado, adverte que em breve a chuva vai chegar - já na versão alada, a mariposa anuncia que a chuva chegou! O monte de cupim é construído do próprio solo – saliva – areia e excremento dos próprios cupins. Há informações que o abrigo (monte) de cupins dura mais de 50 anos. Neste sábado (04/11) na chegada (área urbana) de Glaucilândia - várias nuvens de mariposas enfeitaram a avenida, fazendo dos postes e suas luminárias em verdadeiras árvores de Natal com suas meteóricas neves. - Um espetáculo! (foto) Além dos sapos-cururus e os cães dividiam os banquetes alto oferecidos pelas mariposas. V – XI - XXIII (*) José Ponciano Neto é Escritor – Historiador – Ecologista - Membro Diretor Financeiro da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas – Membro da Comissão de Geografia e Ecologia do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros. – Colunista literário no Site: monteclaros.com

Preencha os campos abaixo
Seu nome:
E-mail:
Cidade/UF: /
Comentário:

Trocar letras
Digite as letras que aparecem na imagem acima