Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 25 - sábado, 2 de março de 2024
 

Este espaço é para você aprimorar a notícia, completando-a.

Clique aqui para exibir os comentários


 

Os dados aqui preenchidos serão exibidos.
Todos os campos são obrigatórios

Mensagem: 124 anos depois Manoel Hygino Em 12 de dezembro de 1897 inaugurou-se finalmente a nova sede do governo mineiro. A velha e rica província chegara à conclusão indesviável, de que havia necessidade de uma nova cidade para enfrentar os desafios impostos pelas modernidades. Não foi unânime a decisão, mas foi seguida embora todas as dificuldades esperadas. Mais uma administração pública nova exigia mais do que novas instalações. Cedo se percebeu que o horizonte era belo e saudável a localização, se debochasse com o boato de que a água a ser consumida produzia sapos. Menos de dois anos após as festividades inaugurais, já se cuidava de pensar na saúde da população e protegê-la. Assim nasceu a Santa Casa, que era e é de Misericórdia, que não faltaria numa comunidade cheia de esperança e confiante no futuro. Implantou-se a entidade, rigorosamente conforme as linhas mestras da iniciativa benemérita da rainha Leonor de Lancastre, lá em Portugal. A cidade nasceu para metrópole e assim cresceu, como o número de habitantes, dentro do perímetro urbano e se extravasando. Mais pessoas, mais demandas. A Santa Casa foi coagida a construir o maior estabelecimento de saúde local, depois de atender seus pacientes em barracas de lona que tinham servido aos operários da obra. Quem daquele período heroico hoje visitasse o empreendimento fundado pelos pioneiros ficaria surpreso. Não mais a coleção de barracas, porque um complexo hospitalar surgiu nas imediações do apelidado Bairro do Quartel. A Santa Casa se transformou na segunda melhor instituição hospitalar do Brasil, após superar situações aparentemente intransponíveis. No setor de saúde, destacou-se, segundo a pesquisa época, altamente conceituada, no primeiro lugar em Visão de Futuro, segundo em Pessoas, e quarto em Inovação, além do quinto em Desempenho Financeiro (e isto numa instituição filantrópica) e ESG Socioambiental. E atente-se: tudo entre as mais de 410 empresas participantes, com o que se posicionou na 22.ª colocação no ranking geral, reconhecida como as melhores empresas do Brasil neste ano de 2023. Leia-se de novo e acredite-se. No entanto, era isso mesmo, porque a direção da entidade e de seus mais de seis mil colaboradores era exatamente a bela conquista. Todos estão perfeitamente convictos de que se trata de algo fantástico, mas que irá exigir muito mais à frente. A rainha Leonor deve sentir-se feliz, tanto quanto os que utilizam de seus serviços médicos e sociais. É olhar para frente, para que o horizonte continue belo e saudável.

Preencha os campos abaixo
Seu nome:
E-mail:
Cidade/UF: /
Comentário:

Trocar letras
Digite as letras que aparecem na imagem acima