Um olhar sobre o que é notícia em toda parte
Uma janela para Montes Claros
(38) 3229-9800
 
Conheça-nos
Principal
Mural
Eu te procuro
Clamor & Broncas
Músicas de M. Claros
Hoje na história
 de M. Claros
Montes Claros
 era assim...
História
Memorial de
 João Chaves
Memorial de
 Fialho Pacheco
Reportagens
Concursos
Colunistas Convidados
Notícias por e-mail
Notícias no seu site
Fale conosco
 
Anuncie na 98 FM
Ouça e veja a 98 FM
Conheça a 98 FM
Peça sua música
Fale com a Rádio
Seja repórter da 98
Previsão do tempo
 
Anuncie na 93 FM
Ouça a 93 FM
Peça sua música
Fale com a Rádio
Seja repórter da 93
Publicidade
 
Wanderlino Arruda
Alberto Sena
Augusto Vieira
Avay Miranda
Carmen Netto
Dário Cotrim
Davidson Caldeira
Efemérides - Nelson Vianna
Enoque Alves
Flavio Pinto
Genival Tourinho
Gustavo Mameluque
Haroldo Lívio
Haroldo Santos
Haroldo Tourinho Filho
Hoje em Dia
Iara Tribuzzi
Isaías
Isaias Caldeira
João Carlos Sobreira
Jorge Silveira
José Ponciano Neto
José Prates
Luiz de Paula
Luiz Ortiga
Manoel Hygino
Marcelo Eduardo Freitas
Marden Carvalho
Maria Ribeiro Pires
Mário Genival Tourinho
Oswaldo Antunes
Paulo Braga
Paulo Narciso
Petronio Braz
Raphael Reys
Raquel Chaves
Roberto Elísio
Ruth Tupinambá
Ruth Tupinambá Graça
Saulo
Ucho Ribeiro
Virginia de Paula
Waldyr Senna
Wanderlino Arruda
Web - Chorografia
Web Outros
Yvonne Silveira
 
Atuais
Panorâmicas
Antigas
Pinturas
Catopês
Obtidas por satélite
No Tempo de Lazinho
Estrada Real Sertão
Mapa de M. Claros
 

10/9/2014 -"...teve até o desfile de um mendigo novo, supostamente drogado, que andou pelo centro, o quarteirão fechado da rua Simeão Ribeiro, completamente nu, exibindo-se". A crescente degradação da Praça da Matriz e vizinhança pede:

»1 - Policiamento mais rigoroso
»2 - Redefinição do uso da praça que é o marco zero da cidade
»3 - Outra reforma física
»4 - Maior empenho das autoridades no cumprimento das leis
»5 - Uma recuperação em todos os sentidos

» Ver resultados «




Buscar no Site


Previsão do tempo

Digite uma cidade:

Busca no



 
 


           Jorge Silveira    jorgensilveira@gmail.com

35956
Por Jorge Silveira - 10/6/2008 13:43:35
O TIME DO SOÇAITE
JORGE SILVEIRA

No início da década de 60 em Montes Claros, em certo momento, o "footing" da Praça Cel. Ribeiro foi transferido para a Praça de Esportes, com a realização de um campeonato de futebol de salão que mobilizou toda a juventude da cidade. Nos dias de jogos, a praça ficava lotada. Não existia ainda o Ginásio Darcy Ribeiro e os jogos eram realizados em duas quadras a céu aberto.
Um dos motivos que levaram as garotas a transferirem o tradicional "footing" da Praça Cel. Ribeiro para a Praça de Esportes foi o time do Soçaite, que o Mimi resolveu formar para disputar o campeonato. Do pessoal de sua turma, ele e o Quinquinha eram os únicos que jogavam um futebol decente. O resto era tudo perna de pau. Ele então enxertou no time o Pindoba, irmão do Márcio Milo e na época goleiro do Ateneu, e formou a zaga com Fernando Etiene e Geraldo Renam (este também irmão do Márcio). Na frente jogava ele próprio, o Mimi, e o Quinquinha (que já tinha sido jogador do Cassimiro e era bom de bola). Na reserva, o Waldyr Aguiar, Agnaldo Drumond e o Márcio Milo, que entravam em todos os jogos, pois como a turma era do gole, cansava fácil.
O time era ruim de fazer dó, apesar de o Pindoba operar milagres no gol. Perdia para todo mundo. Mas deixava a mulherada em êxtase total. Era interessante como um time que não ganhava de ninguém, tinha a maior torcida do campeonato. E a mulherada ficava o tempo todo gritando os nomes do Waldyr, do Agnaldo e do Márcio, que geralmente estavam no banco de reservas. E o Mimi era obrigado a colocá-los, para atender às fanáticas torcedoras. Edvar Ró-Ró, Hélcio e eu, que não jogávamos bola, servíamos de técnicos. Ficávamos de fora, gritando com a turma de dentro.
Nos intervalos, Márcio, em vez de água, bebia "cuba libre". Agnaldo, "Hi Fi". Mimi dava-lhes aquela bronca, mas eles diziam que era para botar energia nas veias. Como na época eu era repórter esportivo do "Diário de Montes Claros", o Socaite, apesar de toda a sua ruindade, tinha sempre uma notícia de destaque no jornal. Na coluna social do Lazinho Pimenta, então, nem se diga. Era notinha obrigatória. O Lazinho era também torcedor entusiasmado do Soçaite e na arquibancada comandava a mulherada.
Mas o time só teve fôlego para um campeonato. A turma logo cansou e deixou o Mimi na mão. Na verdade, o pessoal gostava mesmo era de festa. E naquela época, com os vários clubes volantes existentes (o IT, o Gardênia e o Social Figueira), festa é o que não faltava em Montes Claros. Como dizia Agnaldo, com sua verve: "viriá é muito melhor do que ficar correndo atrás de bola". Viriá era uma palavra que a turma usava e que significava "juntar as virilhas". Quando a gente ia dançar, dizia que ia" viriá". Quem inventou a expressão, se não me engano, foi o Carlos Peres, numa festa em Coração de Jesus. A certa altura, ele levantou da mesa e disse "acho que vou viriá". E foi dançar. E a expressão pegou para sempre.
O time do Soçaite durou pouco, mas marcou época em Montes Claros. Quem foi jovem no início da década de 60, naturalmente deve se lembrar dele. Timaço, de bola, era a Fadir. Ou o time do Banco Hipotecário. Mas o time das garotas mais bonitas de Montes Claros era, sem dúvida, o Soçaite. Que de bola entendia pouco, mas que esbanjava charme e beleza nas arquibancadas. E com uma torcida daquela, será que era preciso jogar bola?


35842
Por Jorge Silveira - 5/6/2008 12:10:42
Este mural é de fato uma das melhores coisas da imprensa de Montes Claros, pois além de ser porta-voz das reivindicações da população, é recanto de cronistas, poetas e escrevinhadores sem muito talento, como é o nosso caso. Mas antes de tudo, este espaço serve como relicário único da história de Montes Claros, através daqueles que viveram tantas coisas boas que a cidade já proporcionou a seus filhos. Agora mesmo, em função de algumas reminiscências que andei contando neste espaço, fico sabendo que Élcio Teixeira e Waldyr Aguiar estão vivíssimos, o primeiro morando em Belo Horizonte e o segundo em Araxá. Há muitos e muitos anos não os vejo,pois infelizmente a vida tem dessas coisas, separa as pessoas, deixando apenas as lembranças. Mais feliz é a turma do Gerinha Português, pois como nos conta o nosso grande cronista Augusto Bala Doce Vieira, ela ainda se reune para rememorar as histórias da adolescência, pura adolescência dos bons anos 60 em Montes Claros. E você tem toda razão, Augusto, naquela turma do Mimi todo mundo já trabalhava, até porque todos eram mais velhos do que vocês da turma do Gerinha. Mas de uma forma ou de outra, com lambreta ou sem lambreta, participando ou não das "Festas da Cueca", o importante é que todos nós tivemos uma juventude feliz e repleta de bons momentos, numa Montes Claros sem violência e onde todos se conheciam e eram amigos. E por isso, todos nós nos demos bem na vida, podendo hoje, de cabeça erguida, olhar com orgulho o nosso passado. E contar as nossas histórias daqueles tempos em que "éramos felizes e não sabíamos". Será que não sabíamos?


35793
Por Jorge Silveira - 3/6/2008 17:05:27
CANDELABRO ITALIANO
JORGE SILVEIRA

Se as motos hoje são motivo de medo, desconfiança e apreensão por parte de motoristas e comerciantes, pois em Montes Claros são a principal arma de trabalho de bandidos e marginais, na década de 60 as lambretas e vespas eram sinal de glamour e de requinte para a rapaziada. Embalada pelo sucesso do filme "Candelabro Italiano" e pelo romance de Troy Donahue e Suzane Plesethe pelas lindas paisagens da Itália, a juventude montes-clarense se embevecia com as lambretas rodando pelas ruas da cidade.

Se não me falha a memória, a primeira lambreta (ou vespa) a rodar em Montes Claros no início dos anos 60 foi uma de Waldir Aguiar, que era considerado pelas moças da época um dos partidos mais interessantes da cidade. Ele fazia parte de uma turma que vivia nas crônicas do Lazinho Pimenta, formada pelo Mimi (Hamilton Didier Guimarães), Agnaldo Drumond, Márcio Milo, Edvard Ró-Ró, Élcio Teixeira e Quinquinha. Quando a lambreta virou "grife" no país, Mimi e Agnaldo também compraram uma. À noite, no "footing" na Praça Cel. Ribeiro, eles encostavam as lambretas em frente à casa do Sr. Ladislau Braga e ficavam escorados nos assentos, fazendo pose para as garotas que em grupos rodavam a praça. Era o máximo!

Em uma de suas crônicas, Augusto Vieira Neto, o nosso Bala Doce, relembrou a turma do Gerinha Português, formada basicamente pelo Saulo, Odorico, Lindolfo, Marco Antônio, José Augusto e Fernando Thomaz, e que se reunia ali em frente ao antigo Clube Montes Claros, hoje Conservatório Lorenzo Fernandez. Já a turma do Mimi, tinha como local de encontro, após o "footing" na Praça Cel. Ribeiro, o restaurante da Madame, o Mangueira, ali na rua Dr.Santos. Impreterivelmente, depois das 11 da noite, a turma estava lá, bebendo "cuba libre" e jogando conversa fora. Quase sempre, a noite iria terminar na casa da Leobina, onde o mulherio era de primeira. E aí as lambretas ajudavam, pois a casa da Leobina ficava longe, muito longe para os padrões da época.

O único mecânico de lambreta (ou vespa, como preferiam alguns) na década de 60 na cidade era o Osmarzinho, que mais tarde ficaria rico com a "Motosmar". Por sinal, ele é o principal responsável por este verdadeiro congestionamento de motos que se vê nas ruas de Montes Claros. Vendeu moto para Deus e o mundo. Acredito que ele mesmo não imaginava nunca que o romantismo que cercava as lambretas de antigamente (ele também teve uma) se transformaria nesta loucura de hoje, com a moto servindo de arma para bandidos e assaltantes.

O que mais marcou a época das lambretas em Montes Claros foi a "Festa das Cuecas", que Mimi realizava toda passagem de ano em sua casa, aproveitando que sua família viajava para Alagoas, para visitar parentes. Para entrar na festa, tinha que chegar de vespa, com uma garota na traseira. Como se vê, a festa era muito selecionada, pois eram poucos os que tinham vespa na cidade. E também não era qualquer garota que tinha coragem de comparecer, pois como o próprio nome da festa indicava, lá pelas tantas, com todas na cabeça, a rapaziada tirava a calça e ficava só de cueca. Os tempos eram outros e as meninas ficavam com medo de ficar "faladas".

A turma do Gerinha, que não tinha lambreta, só ficava sabendo por alto o que se passava na "Festa da Cueca". E babava de inveja, ao ler a notícia na crônica do Lazinho. Que por sinal era o único que não tinha lambreta com autorização para participar daquele que era o réveillon mais particular (e mais invejado) da cidade. Fora eu, que também tinha lambreta, ainda estão vivos aí para contar o que se passava naquelas festas, o próprio Mimi, que mora hoje em Maceió, e o meu bom amigo Márcio Milo. E se não estou enganado, o Edvard Ró-Ró, que é médico e reside em Uberlândia, segundo me disseram. Passados quase 50 anos, acredito que o pacto que todos tinham de não contar nada, mas nada mesmo, para preservar a reputação das garotas, já deve ter caducado.


34927
Por Jorge Silveira - 5/5/2008 18:17:05
Esta indagação feita pelo sr. Eduardo, mensagem 34.921, à prefeitura municipal, sobre a destinação de 600 mil reais para a realização do Carnamontes, deveria ser feita pelos nossos dignos vereadores, pois a eles cabe fiscalizar as ações do executivo. Como até hoje não houve resposta à indagação, feita há quase 30 dias atrás - e agora repetida - supõe-se que seja verdadeira. E neste caso, o município estaria destinando recursos públicos para um evento onde os lucros são destinados para empresas privadas. Meio esquisito, não? Já que a prefeitura não se digna responder a dúvida de um cidadão-contribuinte, aqueles poucos vereadores independentes deveriam cobrar de forma oficial uma resposta do sr. prefeito. Até por educação, qualquer cidadão deveria ser tratado com maior respeito pela municipalidade, pois afinal é a população que paga os salários do prefeito e de seus assessores. E é um direito de qualquer cidadão solicitar esclarecimentos sobre a destinação dos recursos da municipalidade. E é obrigação da prefeitura prestar contas à população. Quem prega tanta transparência na publicidade oficial, não precisaria nem ser cobrado naquilo que deveria ser um hábito do sr. prefeito e assessores: prestar contas de seus atos aos contribuintes. Quem exerce cargo público precisa estar consciente, sempre, que seu patrão é o cidadão, que paga impostos e sustenta o governo, seja federal, estadual ou municipal.


34909
Por Jorge Silveira - 5/5/2008 12:58:44
Atendendo o pedido do cronista montes-clarense José Prates, radicado hoje no Rio de Janeiro, a quem leio sempre com prazer, algumas pequenas informações sobre Janaúba, que completa 60 anos de emancipação político-administrativa agora em 2008. A cidade cresceu tanto, a partir da década de 80, com a implantação do Projeto de Irrigação do Gorutuba, que, provavelmente, o cronista José Prates não conseguirá mais reconhecê-la. Janaúba deve ser hoje o terceiro maior município da região, em população e em arrecadação, só perdendo para Montes Claros e Pirapora. Aquela Janaúba que José Prates conheceu não existe mais. Transformou-se quase numa pequena metrópole, grande produtora de frutas, especialmente banana, e bonito pólo turístico, com a barragem do Bico da Pedra, construída pela Codevasf, empresa pública federal com sede em Montes Claros. Janaúba tem também uma das pecuárias mais fortes da região e sua exposição agropecuária só perde na região para a de Montes Claros. Como pode notar, caro cronista José Prates, assim como ocorreu com a nossa querida Montes Claros, também Janaúba foi descaracterizada pelo progresso. Não existe mais o bucólico povoado surgido com a Estação da Central do Brasil e que se resumia em algumas pequenas ruas que desaguavam na Praça Dr.Roquete Azevedo (se não estou enganado, este é o nome da Praça). Janaúba é hoje uma cidade de médio porte, progressista e forte na agricultura, na pecuária e no comércio. E abriga um grande frigorífico, antigo Frigodias, hoje Independência, que abate 1.100 cabeças de gado por dia. Esta a Janaúba que você verá hoje, caso resolva retornar para revê-la.


34148
Por Jorge Silveira - 16/4/2008 18:27:21
As estatísticas da polícia podem até mostrar o contrário, mas parece que o aumento dos assaltos ocorre proporcionalmente à diminuição das blitzes contra os motoqueiros. Nos últimos dias parece que a polícia entrou de férias, não se viu blitz em lugar algum da cidade, e, por consequência, os assaltos aumentaram. Só no final de semana, foram quatro assaltos a postos de combustíveis. E os bandidos, sempre de moto, que é hoje a principal arma dos assaltantes. A polícia não pode abrir a guarda um instante sequer e as blitzes têm que ser diárias, sempre em locais diferentes, para intimidar aqueles que se aproveitam da negligência policial para praticar pequenos e grandes furtos, deixando a população da cidade apavorada, com justa razão. Para a cidade dormir tranquila, a polícia tem que estar sempre acordada e alerta. Qualquer cochilo, é uma festa para os bandidos. E assim, Montes Claros vai só subindo no ranking das cidades mais perigosas do estado. Será que o nosso desenvolvimento, tão cantado e decantado por alguns, tem valido a pena?


32999
Por Jorge Silveira - 12/3/2008 07:28:39
Tornou-se inviável operar com o Banco do Brasil depois que a instituição assumiu o pagamento do funcionalismo do estado. Não se consegue mais fazer nenhuma operação em qualquer das agências na cidade sem se perder de 30 minutos a uma hora. Quando a espera não é ainda maior. É um absurdo que o banco não tome nenhuma providência, na maior desconsideração com os clientes. E o pior de tudo é que na maioria das vezes há terminais com defeito, tornando a situação ainda mais desgastante. Independentemente do registro de queixas por parte dos cidadãos, o Procon deveria agir junto à instituição, exigindo que o banco melhore o atendimento, já que a situação é visível a olho nu. E são milhares de pessoas prejudicadas, que não têm a quem recorrer. Ou o banco aumenta a quantidade de terminais nos caixas-eletrônicos, ou abre mais agências na cidade, dando maior opção a seus clientes. Da forma que está é que não pode continuar, pois é um desrespeito e uma desconsideração com as pessoas.


32321
Por Jorge Silveira - 26/2/2008 07:52:39
Vendo a foto da antiga Praça Dr. Carlos e lendo a maravilhosa crônica de Ruth Tupinambá, bate uma enorme saudade da Montes Claros antiga, quando se podia jogar conversa fora à noitinha na porta das casas. Hoje, quem correr este risco, pode se dar muito mal, pois os bandidos andam soltos por toda a cidade. Apenas como esclarecimento, é bom lembrar que a derrubada do antigo mercado, de saudosa memória, ocorreu na administração do ex-prefeito Toninho Rebello, sem dúvida um dos maiores administradores da história do município, senão o maior. Ele optou pela derrubada do antigo mercado como única forma de transferir do local antigos comerciantes que insistiam em permanecer na velha construção, apesar de a prefeitura ter construído um novo mercado nas proximidades da Praça de Esportes (quem não se lembra dele, uma beleza de mercado quando inaugurado em 1967, se não me engano? Talvez a derrubada do velho mercado na Praça Dr. Carlos tenha sido um dos poucos erros do ex-prefeito Toninho Rebello, que poderia ter tombado o imóvel e construído ali o museu de Montes Claros. Se isso tivesse feito, hoje seria ainda mais lembrado, e com mais saudade. E talvez a praça Dr. Carlos não teria se transformado naquele monte de concreto!


31888
Por Jorge Silveira - 13/2/2008 18:08:01
Lideranças rurais se reuniram ontem no Parque de Exposições João Alencar Athayde para tratar do problema que está deixando produtores à beira de um ataque de nervos: a mais forte seca que já se viu na região nos últimos 50 anos. As conclusões do encontro foram óbvias e já alertadas aqui deste mural: o governo até agora não se lixou para o problema e o norte de Minas corre o risco de se transformar num cemitério de bovinos a partir de junho/julho. O presidente dos sindicatos rurais da região, Júlio Gonçalves Pereira, prevê que morrerão mais de 500 mil reses, caso perdure a situação atual, de falta de chuvas e de completa omissão dos governos federal e estadual. Já o presidente da associação dos irrigantes do norte de Minas, Orlando Pereira, pede o que também já foi alertado daqui: ou o governo concede energia elétrica mais barata para os produtores rurais da região, ou quem tiver irrigação vai ter que parar. Deve-se, neste caso, atentar para um detalhe importante: nesta época, ou melhor, desde novembro, o normal seria os irrigadores estarem mesmo parados, por causa das chuvas. Mas como praticamente não choveu, quem pode vem irrigando suas lavouras para não perdê-las. Só que nos meses nos quais a conta da Cemig deveria vir zerada, representando uma economia para os produtores, isto não está acontecendo. A fatura, altíssima, continua chegando. E como a situação, a cada dia que passa vai ficando mais angustiante, pois a natureza tem um ciclo do qual não adianta querer fugir, os produtores sabem que quando o governo resolver se mexer, vai ser tarde demais. Se prorrogar dívidas e abrir novos financiamentos ajudaria há dois meses atrás, hoje já não resolve muito. Se financiar plantio de cana e capineira há 60 dias atrás teria sido uma grande ajuda, hoje está quase inviável. Se uma revisão para baixo nas tarifas da Cemig e no ICMS também poderia ter sido um estímulo antes, hoje ajuda mas não resolve. Ou seja, o governo deixou a situação chegar a um ponto tal em que até as soluções vão ficando cada vez mais difíceis. Falta de alerta não foi, pois o assunto vem sendo tratado pelas lideranças rurais com os governos desde o mês de novembro. Mais uma vez confirma-se a sina do norte de Minas e uma das razões de seu atraso: os governos ignoram completamente a região, mesmo quando a situação é desesperadora como agora. E nossos políticos, Deus me livre... o jeito é apelar mesmo para São Pedro!


31854
Por Jorge Silveira - 12/2/2008 20:59:05
O Banco Itaú divulgou hoje o seu lucro em 2007: mais de oito bilhões de reais, o maior de toda a sua história. Suplantou, inclusive, o Bradesco, que na semana passada também havia divulgado um lucro acima dos oito bilhões. No entanto, o governo Lula faz questão de se colocar como "o governo dos pobres". Paradoxo difícil de explicar: no governo dos pobres, os bancos têm lucros estratosféricos, ganhando dinheiro como nunca ganharam em toda a existência. Por sinal, o lucro líquido do Itaú e do Bradesco foi mais do dobro do que o governo gasta no ano com o Bolsa Família (ou bolsa esmola). Governo do pobre ou dos ricos? Cada um analise como quiser.


31710
Por Jorge Silveira - 8/2/2008 13:13:07
Há poucos dias, aqui deste mural, comentávamos sobre como as contas da Cemig inviabilizam a agricultura e a pecuária para o pequeno e o médio produtor no norte de Minas. Quando vem a seca - e ela sempre vem - o jeito é se conformar em perder tudo, pois não há como irrigar ou ligar um desintegrador para moer cana, pois quem isto fizer cai nas garras da Cemig e em pouco tempo estará virtualmente quebrado. Mas vendo agora a situação da Coteminas, é de se concluir que não apenas a agropecuária sofre com o alto preço da energia cobrada em Minas. Também a indústria ressente do mesmo problema. Sinal evidente de que há alguma coisa errada neste circuito. Não é possível que uma empresa da qual o Estado é um dos maiores acionistas, se transforme na vilã do sistema produtivo. Acrescente-se que o próprio Estado, em sua gana arrecadadora, também contribui - e muito - para esta situação, pois ainda acresce as contas de energia com um alto percentual de ICMS. Enquanto isso, caros leitores deste mural, nossos deputados se preocupam com o próprio umbigo!


31364
Por Jorge Silveira - 28/1/2008 20:35:52
Vejam só a qualidade dos serviços realizados pela prefeitura: pela manhã, taparam com asfalto uma grande ondulação que existia na avenida Herlindo Silveira, principal via de acesso ao bairro Ibituruna. À tarde, as chuvas que caíram (e não foi nenhum temporal)se encarregaram de destruir todo o serviço realizado pela manhã. Ou seja: o dinheiro gasto escorreu pelo ralo em menos de seis horas. É dessa forma que empregam o dinheiro do contribuinte. Lamentável.


31299
Por Jorge Silveira - 26/1/2008 11:35:02
A chuva ameaça, ameaça, e não cai. Os institutos de metereologia estão ficando desmoralizados, pois anunciam que vai chover, mas as chuvas acabam ficando só na esperança do produtor rural norte mineiro. E o problema da seca é muito pior do que autoridades e mesmo a imprensa estão imaginando.Depois de quase nove meses sem chuvas, no ano passado, quando a região viu morrer cerca de 160 mil cabeças de gado, o período que deveria ser de chuvas e de recomposição das pastagens e das lavouras, não se concretizou. Não choveu praticamente nada em novembro/dezembro e janeiro foi ainda pior. As lavouras de milho, sorgo, feijão e cana se perderam. As pastagens não se recuperaram e o pouco que brotou o gado está comendo. Não vai haver nenhuma reserva para o período de seca propriamente dito, que seria a partir de junho/julho. A região tem oito deputados estaduais e dois ou três federais que, infelizmente, não conseguiram que os governos movessem uma palha em qualquer tipo de ação que pudesse amenizar a situação futura, que vai ser dramática. O plano de emergência anunciado pelo governador Aécio Neves mostrou-se completamente inócuo (como bem frisou o jornalista Waldyr Senna Batista neste mural). De que adianta distribuir sementes se não há chuvas? Recomposição de dívidas é bom para quem deve e não pode pagar, mas não mata a fome do gado nos pastos sem capim. A continuar como está, sem nenhuma providência realmente efetiva do governo, o norte de Minas vai virar um imenso cemitério de bovinos, dentro de mais alguns meses, pois vai faltar comida e água para o gado.Quando isso começar a acontecer, aí talvez nossos dignos representantes resolvam acordar da inércia em que se encontram até agora. Mas será tarde demais. Infelizmente.


31187
Por Jorge Silveira - 23/1/2008 14:10:55
A mensagem da professora Lourdes, de nº 31151, é de uma singeleza de cortar o coração de todos os montes-clarenses que amam seu torrão natal. E que vêem sua cidade se descaracterizando a cada dia, perdendo pouco a pouco sua identidade, como no caso da avenida Cel. Prates. E o que a professora pede, em tom quase de súplica, é apenas o direito de conhecer o projeto que a prefeitura pretende implantar na Praça Dr. Chaves, para que não ocorra o mesmo que aconteceu com a Praça Dr. Carlos, que o ex-prefeito Jairo Ataíde transformou em um monte de concreto. O prefeito Athos Avelino, que fala tanto em administração participativa, deveria discutir primeiro com a comunidade o projeto que será implantado na Praça da Matriz, como pede a professora Lourdes. Evitando, assim, quem sabe, mais um atentado contra a identidade e a tradição de uma Montes Claros que aprendemos a amar, mas que nossos administradores aos poucos vão cuidando de destruir, em nome de um dito progresso que nem todos gostariam de usufruir. A praça Dr. Chaves, centenária, na qual Nelson Viana passeava todos os dias, que abriga o Palácio Episcopal, a Igreja Matriz e o Solar dos Oliveira, alguns poucos marcos que ainda restam de nossa história, não pode perder nunca suas características. Não custa discutir o projeto com a comunidade, antes que se cometa novo crime contra a cidade!


30854
Por Jorge Silveira - 12/1/2008 10:48:54
Impressionante como as pessoas que viveram a Montes Claros de ontem (20,30 anos atrás)sentem uma certa nostalgia dos tempos passados. Há bem pouco tempo a cidade era um local bom de se viver. Não havia violência, drogas era coisa da qual só se ouvia falar nos grandes centros (ou nos filmes de Hollywood, como em "easy river"), a nossa juventude aproveitava a vida de forma sadia - o máximo que se fazia era fumar e beber uns cubas libres de vez em quando. Nossos jovens passavam grande parte do tempo (quando não estavam na escola) na Praça de Esportes, onde o mestre Sabu ensinava natação e basquete. Cassimiro e Ateneu tinham grandes times e o futebol no domingo era quase uma obrigação. Naquela época exportávamos grandes jogadores, como Manoelzinho, Jomar, João Batista, Manoelito, Chinesinho, Nuno e muitos outros. Não precisávamos de escolas particulares, pois a Escola Normal ministrava um ensino de primeira qualidade, com professores excepcionais, como José Márcio de Aguiar (Português), Francolino (Ciências), João Luiz de Almeida Filho (Matemática), Pedro Santana (História), Terezinha Guimarães (Francês), Dona Jane (Inglês)e Dulce Sarmento (Música), para lembrar de apenas alguns, pois havia mais uma infinidade de ótimos mestres. Nossos políticos tinham o "status" de um Toninho Rebello, um João Valle Maurício, um Mário Ribeiro,um Cândido Canela, um Pedro Santos (que além de político, era o médico dos pobres). Sim, naquele tempo havia médico que se dedicava a atender os pobres de graça! Realmente, a Montes Claros daqueles tempos era uma cidade onde dava gosto viver. Não é à toa que muitos sentem saudade. Sentem com toda razão, pois é natural sentir falta de uma cidade tão boa como Montes Claros já foi.


30808
Por Jorge Silveira - 10/1/2008 18:55:38
Deputados federais da base governista já anunciam que podem discutir a volta da CPMF a partir de fevereiro. O que vem demonstrar, mais uma vez, como os políticos brasileiros vivem completamente divorciados do pensamento popular. Todas as pesquisas feitas mostraram que a população aplaudiu o fim da CPMF, um imposto cumulativo que encarecia todos os produtos e pesava no bolso de todos os cidadãos. Entretanto, o governo parece não ter engolido a derrota no Senado e já coloca seus esfrega-botas para colocarem novamente em pauta o retorno da CPMF. É preciso que o povo reaja, dando uma resposta exemplar nestes deputados que vivem de puxar o saco do governo para atingir seus objetivos pessoais. O Supremo Tribunal Eleitoral divulga atualmente na televisão um comunicado que deveria ser seguido à risca pelos eleitores: ficar de olho no deputado que elegeu, cobrando dele posição coerente com os interesses da nação. Isto significa, nada mais, nada menos, do que defender os interesses da população como um todo e não o próprio bolso. Deputado é empregado do povo e não do presidente da República ou do governo. O eleitot deve ficar de olho naqueles que já falam em ressuscitar a CPMF e dar-lhes a merecida resposta nas urnas.


30765
Por Jorge Silveira - 9/1/2008 19:24:44
O que mais se vê neste mural são queixas contra a violência que tomou conta da cidade, transformando a nossa Montes Claros num lugar difícil de se criar nossos filhos. Entretanto, em tempo não muito distante Montes Claros era uma cidade pacata e boa de se viver. Os jovens podiam fazer "footing" na Praça Cel. Ribeiro ou serenata para as namoradas. As festinhas dos clubes volantes eram em casas de família e transcorriam senpre em clima de amizade e de companheirismo. Ninguém se preocupava com penetras ou com gangues das periferias, até porque Montes Claros praticamente não tinha periferia - e muito menos gangues. Aos domingos, a nossa juventude marcava ponto pela manhã na boate da praça de esportes e, à tarde, na matinée do cine Fátima. À noite, na hora dançante do Clube Montes Claros. Os pais sempre sabiam aonde estavam seus filhos e não se preocupavam se eles chegariam em casa sãos e salvos. Sempre chegavam. Hoje a situação mudou e é difícil dimensionar o exato momento em que a cidade se transformou neste inferno de violência, drogas e intranquilidade. A verdade é que a Montes Claros de ontem era infinitamente melhor do que a de hoje. Não tínhamos universidades, mas tínhamos médicos da família para atender em casa. A maior festa da cidade era a exposição agropecuária, de dois em dois anos e sem os shows caros de hoje, pois eram os bois, os cavalos e os rodeios que faziam a alegria de todos, adultos e crianças. Não havia televisão, mas a diversão era muito mais sadia nos cines Montes Claros, Fátima, Coronel Ribeiro e São Luiz. Pode parecer saudosismo, mas que a Montes Claros de ontem era bem melhor, é indiscutível. Se este mural existisse naquele tempo, ninguém iria se queixar da violência.


30678
Por Jorge Silveira - 7/1/2008 17:50:04
A seca continua assolando a região de forma assustadora e nossas ditas autoridades competentes continuam dormindo o sono dos justos. As medidas anunciadas pelo governador Aécio Neves pouco vão resolver, ainda que aplaudidas pela Amams, num puxassaquismo muito compreensível. O que as autoridades parecem não estar enxergando é que uma seca está adentrando a outra, já que o período que deveria ser chuvoso está passando e as chuvas ainda não vieram. Não choveu praticamente nada em novembro e dezembro de 2007 e o ano novo começou com um veranico de torrar. Qualquer fazendeiro, seja pequeno, médio ou grande, está em completo estado de choque, sem saber o que fará dentro de mais alguns meses, pois tudo o que se plantou até agora está praticamente perdido. E as pastagens não se recuperam, exatamente quando deveriam estar exuberantes. Se em 2007 morreram mesmo 150 mil reses, agora em 2008 será muito pior. O pequeno produtor, coitado, vai morrer de fome, enquanto o médio vai entregar para os bancos o pouco que ainda lhe resta. Só mesmo os grandes produtores, que tiverem condições de levar seu rebanho para outras regiões, conseguirão salvar alguma coisa. Quando nossos representantes políticos acordarem, será tarde demais. Como 2008 é ano eleitoral, espera-se que a classe rural da região saiba dar sua resposta nas urnas.


30589
Por Jorge Silveira - 4/1/2008 08:27:47
A Polícia (militar e civil) parece estar perdendo a luta contra os marginais, que a cada dia mais tomam conta da cidade. Os assaltos se multiplicam por todos os bairros e, quase sempre, os assaltantes são motociclistas (ou motoqueiros), que se utilizam da facilidade deste meio de transporte para a fuga. A Polícia Militar promove algumas blitzes de vez em quando, no sentido de tentar prender alguns desses marginais, mas tudo é feito de forma muito empírica, tanto que no final acaba apreendendo alguns veículos, mas nenhum bandido. E os furtos na cidade continuam com a mesma intensidade, atemorizando as famílias e principalmente os comerciantes.A Polícia precisaria usar de mais inteligência para ter melhores resultados. Por exemplo: as blitzes teriam que ser móveis e em diversos pontos da cidade ao mesmo tempo, para evitar que os bandidos burlassem o cerco policial. Como é feito atualmente, em pouco tempo todos os motoqueiros ficam sabendo onde encontra-se uma blitz (uns avisam aos outros)e evitam passar pelo local, a não ser os que nada têm a temer.Se as blitzes fossem móveis - e bem mais frequentes - os resultados poderiam ser melhores. Seja como for, é preciso que o nosso sistema de segurança seja mais efetivo e mais eficiente, pois como as coisas andam, a cada dia o cidadão honesto e trabalhador fica mais exposto aos marginais, que parecem não ter medo da polícia, até porque são muito pouco incomodados. Polícia boa é aquela que é admirada pela população e temida pelos bandidos. Exatamente o contrário do que ocorre nos dias atuais.


30174
Por Jorge Silveira - 12/12/2007 15:31:12
Qualquer medida que o governo tomar para amenizar os efeitos da seca na região será meramente paliativa caso não se ataque o que mais prejudica o produtor rural da região: a conta da Cemig. Como se pode conviver com a seca, se o produtor não tem condições de ligar um desintegrador para moer uma cana ou mesmo um irrigador para molhar uma capineira? Pois se isto fizer, terá que vender o gado para pagar a conta da Cemig, sob a qual incide uma tarifa de ICMS de 18%, mais cofins. Apenas para exemplificar: tenho um pequeno sítio na saída para Juramento e para não deixar meus poucos animais morrerem de fome, liguei o desintegrador uma hora por dia no mês de novembro, para moer cana para o gado. E irriguei minha capineira mais ou menos três horas durante a noite, dia sim, dia não. Ontem recebí a conta da Cemig referente ao mês de novembro: R$1.375,00. Ou seja, vou ter que vender parte do meu gadinho para pagar a conta. Agora, os especialistas dizem que para o pequeno produtor conviver com a seca é preciso ter um canavial e uma capineira para tratar do gado no período de estiagem. Como, se a Cemig não deixa e quebra qualquer um que ligar um simples desintegrador? Pelo que se vê, caso o governo queira mesmo diminuir os efeitos da estiagem na região, a primeira coisa que terá que fazer é diminuir a boca larga da Cemig em cima dos pequenos produtores (e dos grandes também), caso contrário tudo será mera demagogia e dinheiro jogado fora. Por sinal, o presidente da AMAMS, Valmir Morais, lembrou muito bem deste problema em recente pronunciamento à imprensa local. E ele conhece bem a situação, pois também é produtor rural.Fica aí o alerta para os nossos políticos para que assim eles não venham com simples medidas paliativas e que não resolvem o problema.


29667
Por Jorge Silveira - 20/11/2007 14:10:19
Esta história da votação da CPMF no Congresso Nacional é o exemplo escarrado da total falta de vergonha na cara dos políticos brasileiros. Quem antes criou e aprovou a nefanda contribuição, hoje é contrário à sua manutenção. Quem antes era radicalmente contra, ou seja, o PT, hoje é a favor. Os argumentos dos tempos passados viraram cinzas (ou palavras mortas), tanto para uns como para outros. O que vale, simplesmente, são os interesses do agora. O PT, que votou em bloco contra a criação da CPMF e depois duas vezes contra sua prorrogação, diz hoje que sua manutenção é imprescindível para o país fechar suas contas. O que significa que antes eles votaram contra os interesses nacionais. Já o PSDB e o PFL (hoje DEM), que criaram o monstrengo que surrupia a economia do povo, fazem agora das tripas coração para rejeitarem a filha bastarda. E nossos dignos representantes ainda pretendem que o povo acredite neles! Infelizmente, o Congresso Nacional representa hoje o que há de mais desacreditado entre todas as instituições do país. É uma lástima, pois este descrédito do Congresso abre caminho para que os amantes do totalitarismo já comecem a pensar num terceiro mandato. Falta pouco para que nos transformemos numa Venezuela!


29640
Por Jorge Silveira - 19/11/2007 08:27:23
A matéria do jornalista Waldyr Senna Batista da última semana retrata bem a situação da seca na região e, melhor ainda, a inércia da nossa classe política. Nunca tivemos tantos deputados tão ineficientes. A região já vive nove meses de seca, já morreram mais de 100 mil reses segundo cálculos de especialistas, e até agora os nossos caríssimos deputados ainda não se mexeram. Parece até que não é com eles!E o nosso tão badalado governador Aécio Neves também se faz de morto. Em outras ocasiões, como em 1976, como bem lembrou Waldyr Senna, o ministro Rangel Reis, o governador Aureliano Chaves, o superintendente da Sudene e todos os nossos deputados, se reuniram em Montes Claros, no Automóvel Clube, e a região ganhou a construção da Barragem do Bico da Pedra, além de poços, contratação de mão de obra para obras emergenciais, abertura de créditos especiais no BNB e BB, ampliação dos prazos para pagamento dos financiamentos, etc. Hoje, quando a seca é até mais prolongada e a situação ainda pior, as autoridades continuam vendo a banda passar. A situação retrata bem o que há muito já se constata: a classe política brasileira baixou de nível de forma impressionante. Não temos mais políticos como os de antigamente! E olha que em 1976 era tempo de ditadura!


22611
Por Jorge Silveira - 4/4/2007 09:41:21
Gosto de ler este mural, pois nele dá para sentir bem o sentimento da população, não só com relação à sua cidade, como também com os políticos responsáveis pela administração do país. E o que se vê é uma completa decepção com a classe política. Ninguém, mas ninguém mesmo, acredita na ação dos nossos políticos. E todos estão cobertos de razão, já que nenhum deles (com raríssimas exceções)se preocupa com os reais problemas da população, colocando sempre em primeiro lugar o próprio interesse pessoal. Quem conhece história, deve relembrar a "Queda da Bastilha", quando o povo francês se cansou dos desmandos da realeza e saiu às ruas para guilhotinar os nababos da Corte, que viviam em festas e orgias enquanto a população passava fome. Não estamos muito longe disso. Os políticos que se precavejam! A paciência do povo pode um dia se esgotar.


22445
Por Jorge Silveira - 28/3/2007 09:41:45
Eu vejo hoje o prefeito Athos Avelino ser verdadeiramente massacrado por uma parte da imprensa - em alguns casos com razão, em outros nem tanto - e fico pensando se ele tem sido muito diferente dos outros prefeitos que passaram pelo Executivo Municipal nos últimos 40 anos. Na verdade, em todo este espaço de tempo, prefeito de verdade, bom de serviço, competente e extremamente honesto, só me lembro de Toninho Rebello. Os outros, foram simplesmente os outros, meras repetições de incompetência e inutilidade, Montes Claros é de fato uma cidade infeliz com seus administradores. Athos, portanto, não é exceção, é apenas repetição.


21949
Por Jorge Silveira - 14/3/2007 10:15:06
O prefeito Athos Avelino deveria dar uma passadinha na Avenida José Correa Machado, para ver como o mato tomou conta do canal. Quem caminha por aquela avenida fica envergonhado de verificar como a nossa cidade está abandonada, em questões tão simples! Será que está faltando foice na prefeitura?




Selecione o Cronista abaixo:
Wanderlino Arruda
Alberto Sena
Augusto Vieira
Avay Miranda
Carmen Netto
Dário Cotrim
Davidson Caldeira
Efemérides - Nelson Vianna
Enoque Alves
Flavio Pinto
Genival Tourinho
Gustavo Mameluque
Haroldo Lívio
Haroldo Santos
Haroldo Tourinho Filho
Hoje em Dia
Iara Tribuzzi
Isaías
Isaias Caldeira
João Carlos Sobreira
Jorge Silveira
José Ponciano Neto
José Prates
Luiz de Paula
Luiz Ortiga
Manoel Hygino
Marcelo Eduardo Freitas
Marden Carvalho
Maria Ribeiro Pires
Mário Genival Tourinho
Oswaldo Antunes
Paulo Braga
Paulo Narciso
Petronio Braz
Raphael Reys
Raquel Chaves
Roberto Elísio
Ruth Tupinambá
Ruth Tupinambá Graça
Saulo
Ucho Ribeiro
Virginia de Paula
Waldyr Senna
Wanderlino Arruda
Web - Chorografia
Web Outros
Yvonne Silveira
 



Voltar à Página Inicial

 






Um olhar de Montes Claros sobre o que é notícia em toda parte
Uma janela para Montes Claros


Últimas Notícias

23/09/14 - 18h
Segunda via de título eleitoral pode ser solicitada até quinta-feira, dia 25

23/09/14 - 17h
Clientes prejudicados pelo Plano Verão ainda podem pedir a devolução do dinheiro

23/09/14 - 16h02
Luan é diagnosticado com duas costelas fraturadas e desfalcará o ataque do Atlético

23/09/14 - 15h03
Brasil é o 2º país a sofrer com balas perdidas na América Latina – aponta relatório das Nações Unidas

23/09/14 - 14h53
Morre aos 85 anos um benemérito do ensino superior de Montes Claros, o professor Dolabella

23/09/14 - 14h
Preso em BH membro de torcida organizada suspeito de ter atirado contra torcedores do Atlético, no último jogo contra o Cruzeiro

23/09/14 - 13h
Cientistas teletransportam, com sucesso, partícula de luz por 25 km

23/09/14 - 12h
Chuva de ontem foi de 28,4 milímetros na Barragem de Juramento. Há previsão de mais 2 milímetros hoje, em M. Claros

23/09/14 - 11h
Manchetes dos jornais: “Governo reduz a projeção do PIB e faz manobra para fechar as contas” - “Governo faz manobra com R$ 3,5 bi para fechar as contas

23/09/14 - 10h
Mensalidade em escola particular pode ficar entre 12% e 16% mais cara em 2015, o dobro da inflação

23/09/14 - 9h
Laboratórios deixam de exigir jejum para exames de sangue, depois de novas técnicas

23/09/14 - 8h21
"...não tinha como deixar de ser o centro das atenções em qualquer lugar onde estivesse. Tinha figura, tinha voz, tinha um quê de dureza e de poesia mescladas por um temperamento quase irônico e sagaz. Era uma pessoa constante e sempre presente. Conheci-o, ele já na casa dos sessenta..."

23/09/14 - 8h
Torcedores arruaceiros são punidos com 4 meses de afastamento dos estádios de Minas

23/09/14 - 7h07
"Na estação climatológica da Barragem do Rio Juramento (...) foram registrados 28,4 milímetros, começou às 17h30 e terminou às 18h45, o suficiente para garantir mais água para o próximo ano. Nas cabeceiras do Rio Canoas e Rio Saracura choveu muito..."

23/09/14 - 7h
EUA e aliados árabes bombardeiam 20 alvos do Estado Islâmico na Síria


22/09/14 - 19h56
Bem, não foi exatamente a chuva da catarse (...), dissipadora, ordenadora. No centro, choveu 7 milímetros, quase 4 vezes mais do que consentiu a meteorologia. A chuva da catarse ainda virá, virá..."

22/09/14 - 18h
Primavera não traz esperanças de chuva, por enquanto, para o Norte de Minas – adianta a meteorologia

22/09/14 - 17h
Teste de DNA revela que “Jack, o Estripador” era um barbeiro polonês, de 23 anos

22/09/14 - 16h
Governo dos EUA vê grupo sírio, liderado por homens de Osama Bin Laden, como ameaça maior que o Estado Islâmico

22/09/14 - 15h
Fraudes em compras online feitas no Brasil crescem 14.3% em 20 anos

22/09/14 - 14h
Mercado espera crescimento de 0,30% para o PIB, em 2014, e inflação de 6,30%

22/09/14 - 13h
Manchetes dos jornais: “Empresas de energia terão conta extra de R$ 7 bi em 2015” - “Arrocho é inevitável em 2015” - “Doleiro lavou R$ 1 bi em esquemas na Petrobras”

22/09/14 - 12h07
Relatos de leve tremor de terra em M. Claros por volta do meio-dia

22/09/14 - 12h
Setor elétrico terá conta extra de 7 bilhões de reais em 2015 – alerta jornal paulista

22/09/14 - 11h
Árbitro relata arremesso de bombas das duas torcidas e Cruzeiro e Atlético podem sofrer sanções

22/09/14 - 10h
Na última manhã do “Inverno”, Montes Claros teve 29 graus às 8h. Chuva, hoje e amanhã, está na previsão

22/09/14 - 9h19
"M. Claros perdeu nesta madrugada um dos filhos mais presentes na vida da cidade nos últimos 50 anos. Morreu Pedrinho Gonçalves, que durante anos foi distribuidor dos produtos Antarctica"

22/09/14 - 9h
Filho de produtor rural brasileiro é mantido refém por guerrilheiros do Paraguai há 172 dias

22/09/14 - 8h
Tropas federais vão atuar em 170 cidades e 5 estados, nas eleições

22/09/14 - 7h
Polícia não sabe quem baleou os 4 torcedores do Atlético antes do jogo contra o Cruzeiro. Havia mil, no local


21/09/14 - 15h21
"A temperatura em M. Claros, agora que pouco passa das 3h, é de 36 graus e a umidade do ar desce para os 13%. Se descer mais 1, estaremos no estado de emergência, o último. A meteorologia insiste em que vai chover 12mm - 2 na 2ª-feira e dez, 3ª-feira"

21/09/14 - 13h33
Jornal "O Tempo", de BH: "Se não chover até outubro, metade do Jaíba vai parar"

21/09/14 - 13h14
"Ainda ontem, um oficial da PM, à paisana, foi ferido a tiro, na Avenida Mestra Fininha, quando - fora do seu expediente - tentou impedir o roubo de um carro. O tenente da PM levou tiro na perna de ladrão que escapuliu e está sendo procurado"


20/09/14 - 18h
Cruzeiro e Atlético jogam neste domingo, às 16h. A 98 FM vai transmitir o clássico

20/09/14 - 17h
Brasileiro passa em média 12 horas por mês nas redes sociais. Só perde para os EUA

20/09/14 - 16h
Brasileirão com 2 jogos hoje e 8 amanhã pela 23ª rodada

20/09/14 - 15h
Manchetes dos jornais: “Delator liga 2 ex-diretores a corrupção na Petrobras”- “Desemprego e desigualdade aumentam, mas renda sobe”

20/09/14 - 14h
Meteorologia mantém previsão de 2mm de chuva, 2ª-feira, e 10mm, 3ª-feira, em Montes Claros

20/09/14 - 13h
Instituto Federal do Norte de Minas anuncia 1.800 vagas para cursos técnicos e superiores. Inscrições de 1º a 31 de outubro

20/09/14 - 12h
Técnico faz mistério sobre a escalação do Atlético para o clássico contra o Cruzeiro

20/09/14 - 11h
37 milhões de reais da Mega-Sena, hoje, podem comprar 284 carros de luxo. (Acumulada, com as dezenas 01 - 05 - 24 - 47 - 55 - 56)

20/09/14 - 10h
Horário de verão recomeçará no dia 19 de outubro para acabar em 22 de fevereiro

20/09/14 - 9h20
"...quando a noite envia sua aragem. Vi pessoas muito tatuadas, de aspecto esquivo, sugestivo de conduta resvalante. Senti cheiros, e não foram os melhores. Parece que o trecho está submetido a uma governança turva, esquiva, repito. Não localizei o que esperava encontrar - casais felizes, paz de crianças brincando..."

20/09/14 - 9h
De cada 10 eleitores, 7 ainda não sabem em quem votar para deputado, dia 5

20/09/14 - 8h
Bancários rejeitam proposta salarial e ameaçam com greve a partir do dia 30

20/09/14 - 7h
IBGE admite “erros graves” em pesquisa e agora conclui que desigualdade caiu no Brasil


19/09/14 - 18h
Aprovada a redução do Imposto de Importação para carros com motor elétrico e de combustão

19/09/14 - 17h33
Reação da Copasa: "A Companhia discorda dos argumentos da Prefeitura e está analisando o teor da decisão para tomar as medidas cabíveis que o assunto vier a requerer"

19/09/14 - 17h06
Para clássico de domingo contra o Atlético, Cruzeiro conta com artilheiro e carrasco

19/09/14 - 16h
Itália vai produzir maconha medicinal em laboratório do Exército

19/09/14 - 15h36
Prefeitura rompe concessão dada à Copasa: "Assim, a Copasa deverá expedir as próximas faturas de prestação de serviços de água e esgoto de Montes Claros direcionando as receitas para a conta corrente da Prefeitura"

19/09/14 - 15h
Judiciário manda INSS devolver em dobro desconto indevido no benefício de aposentado

19/09/14 - 14h31
Caso Chiquinho Despachante: "A assistência de acusação informou que estuda a possibilidade de pedir a anulação do julgamento, visando a condenação pela ocultação de cadáver e o aumento da pena"

19/09/14 - 14h
Manchetes dos jornais: “Queimadas em Minas equivalem a duas BHs” - “Justiça manda INSS devolver em dobro desconto do benefício” - “Ação quer dispensa de receita para antibiótico”

19/09/14 - 13h
Há chance de alguma chuva, 2ª e 3ª feira em M. Claros. Fim de semana será de baixa umidade e temperaturas de até 35 graus

19/09/14 - 12h
Aberto processo seletivo para contratação temporária de peritos e assistentes sociais em Minas

19/09/14 - 11h
Percentual de cheques sem fundos atinge 2,02% em agosto. É o 2º maior em 23 anos

19/09/14 - 10h
Minas tem 170 incêndios em 48 horas. Um deles na serraria dos montes claros

19/09/14 - 9h
Indústria brasileira admite demissões nos próximos 6 meses

19/09/14 - 8h
Superior Tribunal de Justiça condena União a indenizar a Vasp por Plano Cruzado

19/09/14 - 7h
Mês passado foi o agosto mais quente desde 1880, na média mundial


18/09/14 - 20h56
"O fogo na serra dos montes claros prossegue. São, agora, 3 focos. O mais intenso está à direita, e as labaredas mostram uma procissão luminosa que pode ser vista de qualquer ponto da cidade. A visão remete aos anos 50, 60 e até 70, quando a queima da serra, para o plantio, era...."

18/09/14 - 18h
Seleção brasileira é a 6ª da Fifa, atrás da Argentina, Colômbia, Holanda e Bélgica

18/09/14 - 17h
Goiás e Atlético terá transmissão da 98 FM pelo aplicativo, hoje às 19h30, e pelo rádio, após a Voz do Brasil, às 20h

18/09/14 - 16h
Com 61 ricaços, S. Paulo é a 6ª cidade com mais bilionários no mundo, mas atrás de Moscou e Pequim

18/09/14 - 15h
Manchetes dos jornais: “Faltará água em metade do país até o ano que vem” - “Governo estuda ampliação do desconto do PIS-Confins”

18/09/14 - 14h
Umidade do ar segue em estado de “alerta” em M. Claros, a 4 dias do começo da Primavera

18/09/14 - 13h
Até o ano que vem, faltará água em metade do país, 3.069 cidades - avisa estudo da ANA

18/09/14 - 12h
Pessoas acima de 60 anos já são 13% da população de um Brasil que tem menos crianças

18/09/14 - 11h10
Chega aos jornais de BH o caso do professor (de história) agredido em educandário municipal de Montes Claros

18/09/14 - 11h
Brasil tem quase 6 milhões de mulheres a mais do que homens - e a maior diferença está aqui, no Sudeste

18/09/14 - 10h
Menor de 16 anos é executado em Montes Claros, com tiro na cabeça

18/09/14 - 9h
Executada com injeção letal mulher que deixou morrer filho da namorada, de 9 anos

18/09/14 - 8h
Brasil precisa de reformas para crescer e juros podem subir ainda mais - alerta o FMI

18/09/14 - 7h
Supremo proíbe cobrança dupla de ICMS, também no estado de destino, em comércio pela internet ou por telefone


17/09/14 - 18h
22ª rodada do Brasileirão terá 7 jogos hoje e 3 amanhã

17/09/14 - 17h05
30 milhões de reais vão para quem acertar, sozinho, a Mega-Sena de hoje à noite

17/09/14 - 16h
Cruzeiro e Atlético Paranaense jogam hoje, às 19h30. (Transmissão da 98 FM pelo aplicativo começará neste horário. No rádio, a partir do fim da Voz do Brasil, às 20h)

17/09/14 - 15h
Pirataria e contrabando em 13 setores tiram 30 bilhões de reais da indústria brasileira

17/09/14 - 14h23
Ministério Público Federal no Norte de Minas: "Empresário e ex-prefeito são condenados a 4 anos e 2 meses de prisão"



OUÇA E VEJA A 98 FM
Todos direitos pertecentes a Rádio Montes Claros 98,9 FM. O material desta página
não pode ser publicado, transmitido por broadcasting, reescrito ou distribuído
sem prévia autorização