Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - sábado, 21 de maio de 2022

"Por volta das 15h30, uma última cantoria fechou a cerimônia do adeus já no cercadinho do cemitério local que serve de relicário ao delicado acervo de luz e de bem que partiu de Berlaar, na Bélgica, e frutificou entre nós, de muitas formas"

Segunda 17/01/22 - 6h55




Notícia publicada originalmente, com imagens, no @montesclaroscom - Clique aqui para ir e seguir o @montesclaroscom no Instagram





A despojada e bela capela do Colégio da Imaculada Conceição foi o cenário em que M. Claros se despediu, neste domingo, de Irmã Tais, que há 12 dias, ali mesmo, comemorou 99 anos.

A superiora geral da Congregação, hoje integralmente administrada no Brasil, mas indelevelmente ligada à Bélgica, a Irmã Conceição veio para as exéquias daquela que partiu como a mais antiga irmã de toda a comunidade brasileira.

Irmã Tais nasceu no Barrocão, uma terra de lajedos e águas além do então Brejo das Almas.

Bela camponesa, renunciou integralmente ao mundo, (inclusive ao nome, deixando de ser Albertina Dias para ser Taís), e entregou-se de alma e de corpo à comunidade de irmãs e padres vindos da Bélgica,

Era o ano de 1951, e os rigorosos votos, na esteira do que faziam Irmã Beata e Padre Chico, foram observados até o fim, rompidos apenas na véspera, ontem, quando expirou suavemente, entre orações e cânticos das freiras.

(Não terá sido muito diferente o que aconteceu na pequenita Porciúncula, em Assis, onde expirou Francisco, guardadas as diferenças de 8 séculos. Um Cântico das Criaturas, ouvido em silêncio, ergueu-se).

O bispo emérito, dom Alberto, foi ele mesmo fazer as encomendações e oficiar a missa.

Belas rosas, que aparecem ao pé da câmara ardente, vieram do jardim que Irmã Taís plantou por décadas, ou por elas zelou em alma e espírito, quando o corpo, exausto, já não o podia fazer.

Os que conhecem a estreita relação da Irmã com as Rosas entenderam a perfeita e silenciosa comunicação; muda, alta, eloquente, no que apenas permite sugerir, sussurrado).

Difícil distinguir quem testemunhou por quem.)

Por volta das 15h30, uma última cantoria fechou a cerimônia do adeus já no cercadinho do cemitério local que serve de relicário ao delicado acervo de luz e de bem que partiu de Berlaar, na Bélgica, e frutificou entre nós, de muitas formas.

Ora como rosas, ali em testemunho, ora como luzes, que permanecerão.

Luz, Luz Muito Acima.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais