Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 22 - quarta-feira, 8 de dezembro de 2021

Cemitérios de M. Claros seguem sendo saqueados: escultura de bronze, de 100 quilos, é levada por ladrões. Estava desde 1973 na sepultura do ex-deputado Edgar Pereira - comenta jornal de BH

Terça 09/11/21 - 7h19

Jornal Estado de Minas, de BH:



SAUDADE VIOLENTADA

Ladrões furtam escultura de 100 quilos de cemitério em Montes Claros

Cemitério do Bonfim, em Montes Claros, é mais uma vez alvo de criminosos: desta vez, imagem de bronze com 100 kg é levada mesmo vigilância 24h

Luiz Ribeiro


Os vândalos e ladrões voltaram a agir no Cemitério do Bonfim, em Montes Claros, no Norte de Minas. Uma estátua de Nosso Senhor dos Passos, feita de bronze, foi roubada do túmulo do ex-deputado federal Edgar Martins Pereira (antigo líder político da região) no cemitério, no final de outubro. A escultura roubada pesa mais de 100 quillos, informa o empresário Edgar Antunes Pereira, filho do ex-deputado, que denunciou o fato às autoridades.



Na segunda quinzena de setembro, o Estado de Minas já tinha mostrado que nem os mortos escapam dos ladrões, revelando que naquele mês uma estátua de Jesus Cristo, também feita de bronze, com mais de 1,6 metro, foi furtada em um túmulo do mesmo Cemitério do Bonfim.


Na ocasião, a família dona do jazigo registrou o furto em boletim de ocorrência pela Polícia Militar (PM) e a Prefeitura de Montes Claros anunciou providências para reforçar a vigilância no sepulcro. Até hoje, a estátua de Cristo não foi recuperada e os ladrões continuam agindo no local.

Escultura de 100 kg

Além do registro junto à Polícia Militar, o empresário Edgar Pereira divulgou o roubo da estátua do jazigo do pai numa rede social. “Lamentavelmente, a imagem foi furtada. Jesus, mais uma vez vitimado, despedaçado e derretido pelos Judas que habitam nossa sociedade. Porém, questiono como uma escultura de mais de 100 quilos de peso foi roubada, retalhada e transportada sem a cumplicidade de guardas da segurança do sepulcrário”, publicou o empresário.

Várias pessoas se manifestaram e alguma disseram que túmulos de familiares também forma atacados pelos criminosos. “Um absurdo. Triste a impunidade desses ladrões da saudade, do respeito e do amor eterno. Aos nossos que se foram, providências urgentes são necessárias” escreveu uma internauta.


"A que ponto chega uma pessoa? Roubar uma imagem em um cemitério, falta de respeito com o falecido e com a família. Precisa ser apurado para que isso não vire rotina: assaltar cemitério".
Moradora de Montes Claros sobre roubos em cemitério




“E como sempre ninguém viu nada. e não adianta reclamar”, completou uma mulher.

Indignação e ameaça de processo

Em entrevista ao Estado de Minas , o empresário Edgar Pereira salienta que “é um absurdo” a ocorrência de furtos nos túmulos no cemitério público de Montes Claros e que a gestão municipal é responsável pela segurança no logradouro. “O Município tem que garantir a vigilância no cemitério. Afinal, estão enterradas ali pessoas que fizeram a história da cidade, que merecem respeito e devem ser preservadas”, afirma o empresário.


Ele diz que a estátua de Nosso Senhor dos Passos estava no local desde o falecimento do ex-deputado Edgar Pereira – em 1973, há 48 anos. Como o monumento pesa mais de 100 quilos, o empresário acredita que foram necessárias pelo menos quatro pessoas para retirá-lo do cemitério.

Edgar Antunes Pereira também lembra que a estátua furtada tem um valor elevado. Ele informou que a família entrará em contato com a administração municipal de Montes Claros, na tentativa de um acordo para a prefeitura assumir os custos totais ou parciais da reposição da imagem de bronze de Nosso Senhor dos Passos (em tamanho natural), que foi levada.

O empresário disse que, se não houver o entendimento, a família poderá acionar judicialmente a gestão municipal para o pagamento das despesas da estátua roubada. Ele também cobra uma ação da polícia não somente na prisão dos ladrões, mas também na identificação e punição dos receptadores dos materiais roubados dos túmulos.

A suspeita é de que os ladrões estariam desmontando as imagens de bronze para a venda do metal no quilo.

O que diz a prefeitura

Por meio de nota, a Prefeitura de Montes Claros informou que os dois cemitérios municipais da cidade, situados lado a lado, “contam, hoje, com vigilância 24 horas, além de constantes rondas realizadas pela Guarda Municipal".


“No entanto, continuam sofrendo com problemas causados por vândalos e ladrões, que se aproveitam da grande extensão dos espaços para cometer seus crimes”, admite a administração municipal.

“Para acabar com essas ocorrências, a prefeitura está preparando novos investimentos para os cemitérios, como a ampliação da altura dos muros, a instalação de concertina, melhorias na iluminação e reforço na segurança, com um controle de acesso ainda mais rigoroso”, diz a nota divulgada.

Ataques recorrentes

A reportagem do Estado de Minas visitou os cemitérios municipais do Bonfim e Jardim da Esperança. O administrador dos dois logradouros, José Geraldo Dias, o “Keu”, disse que o furto das imagens e de outras peças de bronze no Cemitério do Bonfim já se tornou algo recorrente no local, sendo denunciadas à Polícia Militar.

José Geraldo informou que, de março deste ano até agora, já foram registradas pelo menos sete ocorrências sobre furtos de peça de bronze nos jazigos. A administração dos cemitérios guarda em uma sala nove estátuas de santos, feitas de bronze, que os ladrões retiraram dos túmulos, mas acabaram abandonando em outros locais do cemitério do Bonfim, por não conseguir carregá-las.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais