Receba as notcias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - sexta-feira, 9 de junho de 2023

Uso de cheques no Brasil caiu quase 94%, mas modalidade está longe de acabar. Veja os motivos

Sbado 15/01/22 - 5h59


Uso de cheques no Brasil cai 93% desde 1995

No ano passado, volume de compensaes caiu 23%

O avano da tecnologia reduziu significativamente a utilizao do que um dia foi o meio de pagamento mais tradicional dos brasileiros. Desde 1995, a compensao de cheques caiu 93,4% no pas, segundo levantamento divulgado ontem (14) pela Federao Brasileira dos Bancos (Febraban).

A tendncia de queda contnua e no parou nos ltimos 26 anos. Em 2021, o volume de compensaes caiu 23,7%.

Apesar da queda, a modalidade est longe da extino. No ano passado, foram compensadas 218,9 milhes de folhas de cheque em todo o pas. O volume somou 287,1 milhes em 2020 e chegava a 3,3 bilhes de folhas compensadas em 1995.

Volume financeiro
O volume financeiro das transaes com cheques tambm despencou. Em 1995, o montante movimentado nessa modalidade totalizava R$ 2 trilhes. A quantia caiu para R$ 668,4 bilhes em 2020 e R$ 667 bilhes em 2021.

Um dos principais problemas na utilizao de cheques tambm despencou. O nmero de devolues de cheques sem fundos caiu de 56,8 milhes em 1997 (quando a Febraban comeou a pesquisar essa srie histrica) para 15,2 milhes em 2020 e 13,6 milhes no ano passado.

Tecnologia
Segundo a Febraban, os meios eletrnicos de pagamento conquistaram a preferncia dos brasileiros. Os canais digitais (internet e mobile banking) atualmente concentram 67% das transaes feitas no pas.

Desde o lanamento do Pix, em novembro de 2020, a tendncia se intensificou. O sistema de transferncia eletrnica instantnea que funciona 24 horas por dia registrou 7 bilhes de transaes e movimentou R$ 4 trilhes em pouco mais de um ano de existncia. Segundo a Febraban, a ferramenta tem a adeso de 71% dos brasileiros e bem avaliada, com a aprovao crescendo de 76%, na poca do lanamento, para 85% atualmente.(Agncia Brasil)

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais