Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - terça-feira, 4 de outubro de 2022

Menor de 16 anos é o suspeito de estuprar, esganar e matar menina de 11, no Norte de Minas; rapaz teria usado o carro do tio. Velório acontece hoje. Jornais de BH entram no caso e promotoria pede internação provisória

Segunda 19/09/22 - 9h44

Jornal Estado de Minas, de BH:

Encontrado corpo de menina de 11 anos que saiu para ir à igreja

Menina desapareceu no sábado (17/9) por volta das 18h. Corpo será velado em Cachoeira de Pajeú

Bel Ferraz

O corpo da menina Suzana Rocha Silva, de 11 anos, foi encontrado na tarde desse domingo (18/9). Ela desapareceu no sábado (17/9), em Cachoeira de Pajeú, no Vale do Jequitinhonha.

Segundo a tia da menina, Suzana saiu de casa para ir à igreja por volta das 18h de sábado, mas nunca chegou até o endereço.

Uma parente da menina, que a esperava em uma rua próxima, ficou preocupada com a demora de Suzana e ligou para a mãe dela. As duas, então, começaram a procurá-la pela região, mas sem sucesso.

A mãe da menina tentou falar com a filha no celular, mas a chamada não completava. A família chegou a olhar em uma câmera de segurança da rua onde a menina deveria ter passado, mas não a achou.
"No momento que ela deveria ter passado, um carro preto foi e voltou na mesma rua. Só identificamos a cor. É a nossa principal suspeita”, disse a tia de Suzana.


As buscas continuaram na região e o corpo de Suzane foi encontrado no dia seguinte, no município de Cateriogongo, a 17 km de Cachoeira de Pajeú.

Pelas redes sociais, a prefeitura de Municipal de Cachoeira de Pajeú pediu justiça.


O velório de Suzana Rocha Silva será em Cachoeira de Pajeú, nesta segunda-feira (19/9).

A reportagem do Estado de Minas entrou em contato com a Polícia Civil sobre o caso e aguarda retorno.

***

Jornal O Tempo, de BH:

´Família está dilacerada´, diz tia de criança estuprada e morta em Minas

A menina saiu no sábado (17) para ir a igreja e desapareceu. O corpo dela foi encontrado no domingo (18) e um adolescente confessou o crime

Natália Oliveira

“A família está dilacerada”, conta a tia de Suzana Rocha Silva, de 11 anos, criança que foi estuprada e assassinada por um adolescente de 16 anos em Cachoeira do Pajeú, no Vale do Mucuri de Minas Gerais. A menina saiu no sábado (17) para ir a igreja e desapareceu. No domingo o corpo dela foi encontrado em um matagal.

“A tia estava esperando ela para irem à igreja. Como a menina não chegou ela ligou para a mãe da Suzana, que ligou para o telefone da filha. O sinal já estava fora de área”, contou a tia. A família não se conforma com o modo como a vida da criança foi interrompida. “Era uma menina linda, meiga, inteligente e muito comunicativa. De um coração enorme pela idade de 11 anos”. Os pais de Suzana tem mais um filho, um bebê de 6 meses.

Após diligências, a Polícia Militar chegou até um adolescente de 16 anos que confirmou que se encontrou com Suzana às 20h do sábado. Ele disse que manteve relações sexuais com ela, com o consentimento dela, no entanto por se tratar de menor de 18 anos, o caso é considerado crime de estupro.

O adolescente relatou aos policiais que "do nada" começou a esganá-la e que, ao perceber que ela estava sem respirar, ele a deixou no local. O adolescente usou o carro de um tio para cometer o crime. O veículo foi vendido logo após o assassinato. O suspeito do crime foi apreendido. Ele estava com o celular da vítima que também foi apreendido.

A perícia da Polícia Civil de Pedra Azul, também no Norte de Minas foi acionada para o local. A prefeitura de Cachoeira do Pajeú divulgou uma foto em seu perfil do Facebook pedindo Justiça pela menina Suzana. A reportagem de O TEMPO procurou a Polícia Civil para obter mais detalhes do caso e aguarda retorno.

***

Jornal O Tempo, de BH:



- O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) apresentou, na tarde desta segunda-feira (19), parecer favorável pela internação provisória do adolescente de 16 anos que estuprou e matou Suzana Rocha Silva, de 11, em Cachoeira do Pajeú.

O rapaz confessou o crime de estupro e afirmou que “do nada” sentiu vontade de esganá-la.

Ele só parou quando percebeu que ela não respirava mais.

“O MPMG ofereceu representação contra ele [adolescente] pela prática dos atos infracionais análogos aos crimes de estupro de vulnerável e homicídio, bem como apresentou parecer favorável pela sua internação provisória”, informou em publicação nas redes sociais.

Uma oitiva também foi realizada com o adolescente e ele esteve acompanhado da mãe. “Devido ao sigilo, não serão fornecidos detalhes sobre os fatos em apuração”, esclareceu. A decisão tomada pelo MPMG foi baseada na análise do Auto de Apreensão em Flagrante de Ato Infracional.

Suzana desapareceu após sair para ir à igreja e foi encontrada morta nesse domingo (18). O crime chocou a cidade que tem pouco mais de 9 mil habitantes.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais