Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - segunda-feira, 30 de janeiro de 2023

"Onze dias depois Thais foi morta". Jornais de BH passam a destacar a brutal morte de vendedora de 29 anos em M. Claros, na frente dos filhos, pelo companheiro, de 26

Terça 06/12/22 - 7h49

Jornal Estado de Minas, de BH - 3/12/:

A mulher já havia feito denúncias por causa de ameaças e agressões
Aline Perucci

Feminicídio: homem é suspeito de matar companheira com oito facadas
A mulher já havia feito denúncias por causa de ameaças e agressões

No dia 22 do mês passado, a vítima havia acionado a Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG) e feito um boletim de ocorrência após ter sofrido ameaças de morte por parte de Carlos. Ela ainda registrou que era agredida física e psicologicamente pelo companheiro, que sempre demonstrava ciúmes excessivos. Onze dias depois Thais foi morta. Segundo a PMMG, o suspeito invadiu a casa da vítima pulando o muro; depois, discutiu com ela e desferiu as facadas.

A PCMG informou que, assim que foi acionada, deslocou uma equipe da perícia técnica para o local dos fatos. O suspeito, de 26 anos, foi conduzido e ouvido pela autoridade policial, que ratificou a prisão em flagrante por homicídio qualificado. O homem foi conduzido ao sistema prisional, onde se encontra à disposição da Justiça. As investigações prosseguem pela PCMG.

O que é relacionamento abusivo?
Os relacionamentos abusivos contra as mulheres ocorrem quando há discrepância no poder de um em relação ao outro. Eles não surgem do nada e, mesmo que as violências não se apresentem de forma clara, os abusos estão ali, presentes desde o início. É preciso esclarecer que a relação abusiva não começa com violências explícitas, como ameaças e agressões físicas.

A violência doméstica é um problema social e de saúde pública e, que quando se fala de comportamento, a raiz do problema está na socialização. Entenda o que é relacionamento abusivo e como sair dele.


***

Jornal Estado de Minas Seg 5/12/2022:

Decretada prisão preventiva de homem que matou ex-companheira com 8 facadas

De acordo PM, suspeito matou esfaqueou a vítima na frente dos filhos pequenos. Ele foi preso em flagrante após o feminicídio
Luiz Ribeiro

A Justiça decretou a prisão preventiva do representante comercial Carlos Wanaick Jesus Rocha, pela morte da ex-companheira dele, a vendedora Thais Santos Oliveira, de 29 anos. Ela foi morta com oito facadas na frente dos filhos.
O feminicídio aconteceu na tarde da última sexta-feira (2/12), no Bairro Alterosa, em Montes Claros (413,4 mil habitantes), no Norte de Minas, e chocou a população. O corpo de Thais foi sepultado na tarde de sábado (3/12) em clima de comoção e revolta, no Cemitério do Bonfim, na cidade do Norte do estado.

O suspeito foi preso em flagrante logo após o crime. De acordo com informações da Polícia Militar (PM), ele cometeu o feminicídio por ciúmes e porque não aceitava o fim do relacionamento, que durou oito anos.

Segundo o boletim de ocorrência da PM, logo depois da prisão, Carlos Wanaick confessou o assassinato. Mas, nesta segunda-feira (5/12), o delegado de Homicídios de Montes Claros, Bruno Rezende, responsável pelo inquérito, informou que, ao ser interrogado na delegacia, o suspeito usou o direito de se manter em silêncio e não respondeu às perguntas.

Feminicídio

Com base nas provas levantadas. ele foi autuado por feminicídio consumado. O representante comercial teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e encontra-se recolhido no Presídio Regional de Montes Claros.

O delegado Bruno Rezende disse ainda que o mesmo homem tem um histórico de agressões contra outras ex-companheiras, o que ainda está sendo investigado. O inquérito deverá ser concluído dentro dos próximos dez dias.

De acordo com os registros da Polícia Militar, em agosto deste ano, uma equipe policial de prevenção à violência doméstica foi acionada e compareceu à residência de Thais, por causa de ameaça do ex-companheiro, sendo que ele já tinha passagens nos meios policiais por ameaças e envolvimento com o tráfico de drogas.

Ainda conforme informações da PM, após uma suposta ameaça a Thais, em outubro, o suspeito chegou a preso com base na Lei Maria da Penha. Porém, ele foi liberado depois de uma audiência de custódia, sem o pagamento de fiança.

As investigações apontam que, mesmo com o casal separado, Carlos estava monitorando a vida da ex-companheira, o que configura o crime de stalking.


Na última sexta-feira, de acordo com boletim de ocorrência da Polícia Militar, o representante comercial, após suspeitar que a ex-companheira estava mantendo um relacionamento com outro homem, foi até a casa dela e pulou o muro. Na cozinha, no segundo pavimento da residência, o casal teve uma discussão, e o homem se apoderou de uma faca peixeira e desferiu oito golpes em Thais.

De acordo com testemunhas, a mulher foi esfaqueada e morreu na frente dos filhos, uma menina de, 8 anos, e um menino, de 5. A garota é fruto de outro relacionamento da vítima, antes de ter conhecido Carlos.

O comandante da 11ª Região da Policia Militar (RPM) de Montes Claros, coronel Gildásio Rômulo Gonçalves, confirmou que o caso repercutiu muito na cidade e lamentou o femicídio.

“A morte de qualquer mulher nessa circunstância choca, sim, a comunidade. Estamos trabalhando para melhorar ainda mais o serviço integrado que prestamos para a proteção das mulheres. Infelizmente, ainda há homens que se sentem donos de suas esposas e namoradas”, declarou Gildásio Rômulo.

"É necessário que toda a sociedade se esforce para reversão dessa subcultura machista que vitima muitas mulheres", completou o comandante da 11ª RPM.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais