Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 25 - sexta-feira, 1 de março de 2024

Filho, de 41 anos, é o suspeito de matar a mãe no Norte de Minas. PM resume: "... não apresentava raiva, indignação ou outra emoção ao ser informado que sua mãe havia falecido"

Sexta 20/10/23 - 10h35

Divulgação da PM:

A Polícia Militar de Minas Gerais, por meio de sua 11ª RPM, foi acionada, na tarde dessa quinta-feira (19), a comparecer ao Distrito Riachinho, zona rural Monte Azul, onde populares relataram que exalava mau-cheiro vindo da casa de uma mulher, de 54 anos, que estava desaparecida há alguns dias.

As equipes policiais deslocaram-se para o endereço e foi verificado, pelo muro, que havia um local com várias pedras sobrepostas, semelhante a um túmulo, e foi possível ver apenas parte da cabeça da vítima, que estava desaparecida. Foram observadas marcas de sangue na casa.

A perícia da Polícia Civil foi acionada, constatou o óbito da mulher ocorrido há aproximadamente 48 horas e que havia um corte profundo na cabeça e na região da orelha.

Durante as diligências, um homem, de 41 anos, filho da vítima, suspeito do crime, foi localizado e preso.
Foram verificadas câmeras de comércio vizinho, sendo possível ver o autor saindo da casa da vítima nove minutos após ela ser vista pela última vez online em rede social. O celular da vitima não foi localizado.

Na casa do autor, os militares encontraram uma foice com marcas semelhantes a sangue, que foi apreendida.

Ao ser questionado, o homem negou os fatos, mesmo após ser informado de todos os indícios contra ele, porém com falas desconexas, e com histórias paralelas e aleatórias, não apresentava raiva, indignação ou outra emoção ao ser informado que sua mãe havia falecido.

O suspeito foi conduzido à Delegacia com os materiais apreendidos.


***

Jornal O Tempo, de BH:

Filho é suspeito de matar a mãe e enterrá-la no quintal no Norte de Minas

Vítima de 58 anos foi achada sob várias pedras na casa em que vivia; filho, de 41 anos, citou morte da mãe antes de receber notícia
José Vítor Camilo

Depois de vizinhos sentirem um forte mau cheiro saindo da casa de uma senhora de 58 anos que estava desaparecida há dois dias, na zona rural de Monte Azul, cidade do Norte de Minas Gerais, a Polícia Militar (PM) acabou encontrando a mulher morta e enterrada sob pedras no quintal do imóvel, no fim da tarde da última quinta-feira (19 de outubro). Horas depois, o filho da vítima, um homem de 41 anos, acabou preso suspeito do assassinato.

O crime aconteceu na comunidade de Riachinho, que fica a cerca de 25 km do centro do município de pouco mais de 20 mil habitantes. Assim que chegaram ao endereço, os militares conseguiram ver pelo muro que existiam várias pedras sobrepostas e avistaram uma grande quantidade de moscas sobrevoando este local.

De outro ponto, os policiais também conseguiram ver que, para fora das pedras, era possível ver a ponta da cabeça de uma mulher que, horas depois, foi confirmado se tratar da vítima.

Depois de adentrarem no imóvel, a PM acabou identificando também marcas de sangue, indicando que algo havia sido arrastado pelo chão. Diante da cena de um crime violento, os policiais então isolaram a área para aguardar a chegada da perícia.


Filho citou morte da mãe antes de receber a notícia
Foi então que, diante da informação de que um cadáver havia sido achado na casa, um vizinho relatou aos PMs que o filho da vítima morava próximo dali. Os militares se deslocaram até a casa do homem e, após baterem na porta e dizerem se tratar da corporação, antes mesmo de abrir a porta ele perguntou: "É sobre a minha mãe?".

Depois do suspeito abrir a porta, os policiais entraram e, durante vistoria no imóvel, avistaram uma motocicleta. Questionado sobre o veículo, o homem respondeu que comprou a moto "quando a mãe ainda era viva", sem perceber que, até o momento, os agentes sequer tinham citado o encontro do cadáver da mulher.

Na casa do suspeito também foi localizada uma foice com marcas de sangue. Moradores da comunidade contaram que, nos dias que antecederam o encontro do corpo, o filho da mulher foi visto andando com uma foice pelas ruas e, também, entrando e saindo da casa da mãe. O perito da Polícia Civil informou, ainda segundo a PM, que os ferimentos encontrados na vítima poderiam ter sido provocados com esta lâmina.

Em contato com uma tia do homem e irmã da mulher morta, ela informou que somente a vítima tinha a chave da casa, que acabou sendo encontrada atrás da porta da casa do filho. A familiar disse ainda que o último contato com a irmã foi por volta das 17h de terça-feira (17).

Diante do relato da irmã da mulher morta, a PM foi até um supermercado que fica ao lado da casa e que conta com câmeras de segurança. O dispositivo conseguiu captar que, por volta das 19h30 de terça, o filho foi visto saindo do imóvel.

Filho negou crime e não demonstrou emoção
Após os policiais militares avisarem o homem sobre o encontro do corpo da mãe, o suspeito apenas negou ter matado a familiar apesar dos vários indícios existentes contra ele. Ele apenas respondeu com falas desconexas e histórias paralelas e aleatórias, ainda de acordo com a PM. Além disso, os policiais também relataram que ele não demonstrou "raiva, indignação ou outra emoção" ao receber a notícia de que a mãe tinha sido morta.

Diante da situação, ele foi encaminhado para o Hospital e, em seguida, para a Delegacia de Monte Azul, onde acabou preso.

***

A partir de agora, as notícias enviadas através do WhatsApp serão atualizadas apenas pelo canal abaixo 👇🏻.

Inscreva-se tocando abaixo

Acesse aqui Acesse o link do canal

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais