Um olhar sobre o que é notícia em toda parte
Uma janela para Montes Claros
(38) 3229-9800
 
Conheça-nos
Principal
Mural
Eu te procuro
Clamor & Broncas
Músicas de M. Claros
Hoje na história
 de M. Claros
Montes Claros
 era assim...
História
Chuvas em M. Claros,
  mês a mês,
 de 1905 a 2012
Memorial de
 João Chaves
Memorial de
 Fialho Pacheco
Reportagens
Concursos
Colunistas Convidados
Notícias por e-mail
Notícias no seu site
Fale conosco
 
Anuncie na 98 FM
Ouça e veja a 98 FM
Conheça a 98 FM
Peça sua música
Fale com a Rádio
Seja repórter da 98
Previsão do tempo
 
Anuncie na 93 FM
Ouça a 93 FM
Peça sua música
Fale com a Rádio
Seja repórter da 93
Publicidade
 
Alberto Sena
Augusto Vieira
Avay Miranda
Carmen Netto
Dário Cotrim
Davidson Caldeira
Efemérides - Nelson Vianna
Enoque Alves
Flavio Pinto
Genival Tourinho
Gustavo Mameluque
Haroldo Lívio
Haroldo Santos
Haroldo Tourinho Filho
Hoje em Dia
Iara Tribuzzi
Isaías
Isaias Caldeira
Ivana Rebello
João Carlos Sobreira
Jorge Silveira
José Ponciano Neto
José Prates
Luiz de Paula
Luiz Ortiga
Manoel Hygino
Marcelo Eduardo Freitas
Marden Carvalho
Maria Luiza Silveira Teles
Maria Ribeiro Pires
Mário Genival Tourinho
Oswaldo Antunes
Paulo Braga
Paulo Narciso
Petronio Braz
Raphael Reys
Raquel Chaves
Roberto Elísio
Ruth Tupinambá
Ruth Tupinambá Graça
Saulo
Ucho Ribeiro
Virginia de Paula
Waldyr Senna
Walter Abreu
Wanderlino Arruda
Web - Chorografia
Web Outros
Yvonne Silveira
 
Atuais
Panorâmicas
Antigas
Pinturas
Catopês
Obtidas por satélite
No Tempo de Lazinho
Estrada Real Sertão
Mapa de M. Claros
 

10/9/2014 -"...teve até o desfile de um mendigo novo, supostamente drogado, que andou pelo centro, o quarteirão fechado da rua Simeão Ribeiro, completamente nu, exibindo-se". A crescente degradação da Praça da Matriz e vizinhança pede:

»1 - Policiamento mais rigoroso
»2 - Redefinição do uso da praça que é o marco zero da cidade
»3 - Outra reforma física
»4 - Maior empenho das autoridades no cumprimento das leis
»5 - Uma recuperação em todos os sentidos

» Ver resultados «




Buscar no Site


Previsão do tempo

Digite uma cidade:

Busca no



 
 



Jornalismo exercido pela própria população



Deixe sua notícia neste Mural, clique aqui para enviar.
(Seja objetivo e escreva no menor espaço possível. Se preferir, coloque seu e-mail; se desejar, coloque também endereço e telefone. As mensagens - preferencialmente de inspiração noticiosa - serão publicadas a critério da redação. Textos que ferem as leis serão sumariamente descartados, assim como mensagens agressivas ou que pretendam apenas criar polêmica e discussão estéril.Pede-se, com empenho, que as mensagens não sejam redigidas em letra de caixa-alta (letras maiúsculas), que em linguagem de internet equivalem a falar gritando. As mensagens aqui postadas não representam a opinião do montesclaros.com; a responsabilidade pertence ao autor da mensagem).



Ir para mensagem N°:
Por data:

Mensagem N° 79531
De: José Camilo Data: Ter 3/3/2015 08:33:46
Cidade: São Carlos / SP  País: Brasil
Nasci e cresci em Montes Claros na época do governo de Antônio Lafetá. Tenho sobre ele a mais saudosa lembrançae me lembro de vê-lo diariamente conferir as obras de construção da rodoviária. Tenho interesse em adquirir o livro. Se alguém souber onde está sendo vendido gostaria que informasse para que eu peça a um amigo aí para comprar e me enviar. Muito obrigado.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79530
De: Engenheiro Data: Seg 2/3/2015 16:03:05
Cidade: Moc/MG
Entre 9 Concessionárias de Distribuição de Energia Elétrica da Região Sudeste do Brasil, com mais de 1 milhão de consumidores, a CEMIG-D ficou no 7º lugar em 2014, no DEC - Duração Equivalente de Interrupção por Consumidor, com 10,77 horas/ano/consumidor. Em 1º lugar ficou a CPFL-Paulista com 6,93 hs/a/cons. O DEC mais baixo de Minas Gerais foi na Subestação BH Centro, com 1,72 hs/a/cons e o mais alto foi em Conceição do Mato Dentro, com 58,82 hs/a/cons. Montes Claros teve DEC entre 8,83 e 10,17 hs/a/cons. O DEC é o índice gerencial mais importante dos Sistemas Elétricos, juntamente com o FEC - Frequência Equivalente de Interrupção por Consumidor e o DGC - Desempenho Global de Continuidade, que deverá ser publicado até abril pela ANEEL - Agência Nacional de Energia Elétrica.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79529
De: Murillo Data: Seg 2/3/2015 17:59:03
Cidade: São Paulo - SP
E-mail: costagontijo@yahoo.com.br
Pessoal, onde posso encomendar o livro Toninho Rebello? Existe alguma livraria que vende via internet? Moro em São Paulo, se alguém puder me indicar onde comprar eu agradeceria muito. E-mail: costagontijo@yahoo.com.br
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79528
De: Lúcio Guimarães Data: Seg 2/3/2015 10:41:06
Cidade: Montes Claros/MG
"Corte no INSS já começa a valer hoje e deve atingir anualmente 55 mil viúvas ou viúvos"

Esta medida está atrasada. Meu bisavô morreu em meados dos anos 80, ficando sua aposentadoria do (...) para a sua segunda esposa que faleceu no inicio dos anos 2000, passando a pensão para a sua filha casula que era solteira (só no papel). Neste caso a aposentadoria do meu bisavô já está "rendendo" mais de quarenta e cinco anos. Ficar viúvo ou viúva não é doença incapacitante, que criou uma nova categoria profissional no Brasil de viúvo ou viúva profissionais.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79527
De: Correia Data: Seg 2/3/2015 09:59:41
Cidade: M. Claros
"Moraram durante quase toda a vida na rua Marechal Deodoro, algumas ruas abaixo da Igreja da Matriz Nossa Senhora e São José.
Era uma casa ampla, de grandes janelas e portas, sólida, simples e forte, como todas as construções que ele fez na vida."

Sou testemunha e devo trazer a minha contribuição. Quando assumiu a prefeitura de sua cidade, creio que em 1966, Toninho revolucionou tudo. Transferiu o prédio da Prefeitura para a Avenida Coronel Prates, onde foi ginásio e seminário, histórico casarão que anos depois foi criminosamente destruído para dar lugar a um horrendo e impropriamente localizado supermercado que destruiu a mais característica avenida de M. Claros e transfigurou a área central. Toninho também, com poucos meses de saneamento das finanças, passou a asfaltar a cidade inteira. Aqui, chego onde pretendo: a cidade, toda parte dela, já recebia asfalto de primeira qualidade, com esgoto, escoamento etc., e uma das últimas ruas a ser beneficiada foi...exatamente a sua, nesta singela Marechal Deodoro. Os vizinhos reclamavam, argumentavam que não tinham culpa de morar na rua do prefeito, e ele se justificava: não quero que remotamente pensem que estou trazendo benefícios para mim....Este era Toninho.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79526
De: Luiz Ortiga Data: Dom 1/3/2015 23:07:01
Cidade: BRASILIA/DF
E-mail: ortigaluiz@ig.com.br
Aqui em Brasília/DF:O mês de março se inicia com uma chuvinha de "molhar o chão": fraquinha e constante e promete ficar pela noite toda, se Deus quiser.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79525
De: Ivana Rebello Data: Sex 27/2/2015 16:54:01
Cidade: Montes Claros

Um retrato de família


Apenas um retrato na parede, mas como dói!
Carlos Drummond de Andrade


Há na memória de todos, uma tarde de Maio, em que brisa amena suaviza a dureza do sertão. Ou pode ser uma noite de Outubro, em que o calor de verão parece fazer colar a roupa no corpo e nenhuma folha de árvore se mexe, com a falta de vento. Em compensação, as mangueiras se curvam, cheias de frutos maduros, numa oferenda simples e generosa, que se repete todos os anos. Não importa a data, pois as datas são sempre imprecisas. Todos se lembram, no entanto, do dia em que posaram para aquela foto, o pai e a mãe ainda tão jovens, rodeados de todos os sete filhos, à frente da casa em que viveram por muitos anos.
Antônio Lafetá Rebello e Marcolina Ataíde Rebello e seus sete filhos: Jayme, João, Marco Antônio, Jacinto, Vera Lúcia, Cristina, Anamélia. Moraram durante quase toda a vida na rua Marechal Deodoro, algumas ruas abaixo da Igreja da Matriz Nossa Senhora e São José.
Era uma casa ampla, de grandes janelas e portas, sólida, simples e forte, como todas as construções que ele fez na vida.
Lembro-me de que ela tinha as paredes claras, móveis enormes de boa madeira, sofás de couro, uma ampla cozinha, onde Marcolina esmerava-se nos assados e doces. Seu triunfo culinário era um pudim de leite, enorme e aerado, que cheirava a caramelo, sempre muito disputado nas festas de família.
O quintal constituía as delícias de qualquer criança: ia de ponta a ponta de um quarteirão a outro, cheio de árvores frutíferas horta de verdes mestiços e muitos, muitos bichos, entre os quais se destacava mais de uma dezena de cachorros, uma vaca leiteira, galinhas caipiras e até um cavalo eu me lembro de te visto lá. Para mim, ali era um paraíso a que eu chamava de "fazendinha".
Todos os que lá chegavam eram sempre muito bem recebidos. Havia sempre um café, biscoitos, o sorriso calmo de Marcolina e a gentileza espirituosa de Toninho, pois o humor era uma de suas características mais marcantes. Havia paz, força e disciplina naquela casa. Toninho Rebello foi pai extremamente amoroso e muito exigente com os filhos. Segundo Anamélia confessaria: Meu pai morria de medo que a gente desse errado na vida...
Impossível que daquela casa saísse alguém errado. Eram filhos de pais dedicados, tão íntegros na vida familiar quanto o foram socialmente. Nasceram de um casamento que se pautava pelo respeito e pelo cuidado com o outro. Rígido, o pai cobrava responsabilidade e aplicação nos estudos - queria que os filhos se dedicassem ao máximo em tudo o que faziam. A preocupação de deixar os filhos encaminhados era tanta que, além de tudo, legou, a cada um deles, um lote no cemitério.
A mesa de refeições, momento em que todos se reuniam, Toninho aproveitava-se para dar seus proverbiais conselhos: Trabalha, que o dinheiro vem como consequência... Outra frase que repetiria sempre, e que parece ter servido de inspiração para a criação de seus próprios filhos, foi, certamente, o mote daquela família: Ensinem seus filhos a viverem como pobres. De fato, desconheço outra família que, sendo tão rica, acostumou-se a viver sem luxo e ostentação. A sua casa reverberava o trabalho honesto, os hábitos comedidos, uma simplicidade hospitaleira e frequente, pois Toninho Rebello, a despeito do ar sério e da aparência às vezes carrancuda, era um homem que gostava de se cercar de pessoas, principalmente das mais humildes.
Manifestava grande pena das viúvas, achava que eram desamparadas e não foram poucas as que auxiliou, sempre anonimamente, e seguindo um velho preceito que era também de seu pai: O que faz a mão de um homem, a outra não precisa saber.
Homem público, rico, bem-sucedido em tudo o que fazia, Toninho nunca perdeu a humildade, uma pungente e verdadeira humildade, que só é possível entre os grandes. Sempre respeitou e honrou aquela que escolheu para companheira de vida. Preocupava-se com ela, com seu bem-estar e sua felicidade. Às vezes, ligava para casa e dizia à esposa: Prepare-se, vou levar umas quarenta pessoas para almoçar...
E não houve um só instante em que ela dissesse não a seus apelos. Enquanto ele trabalhava incansavelmente, ela lhe garantia, em casa, a serenidade necessária para os inúmeros apelos que a vida pública lhe exigia. Sabia que o marido adorava receber amigos, sua casa vivia constantemente cheia de gente. Às vezes, um grupo grande ali se reunia, para beber, comer e cantar modinhas de João Chaves. Marcolina, que adorava música, saia vez ou outra de seu discreto papel e integrava o coro de cantores. Em contrapartida, ele procurava agradá-la. Conforme confessaram seus filhos: Papai fazia tudo o que mamãe queria.
Além de preocupar-se muito com sua própria família, Toninho Rebello adotou a família da esposa, que o adorava.
Sobrinhos e primos de Marcolina viam-no como um parente e um exemplo.
Nas férias, o casal ia para a fazenda, com os filhos. Aquelas férias deixaram muitas saudades nos filhos de Toninho Rebello, pois ele tinha um modo muito especial de fazer os acontecimentos corriqueiros se transformarem em grandes eventos. Festejava tudo o que construía, reunindo os filhos, esposa e funcionários para as "grandes inaugurações": o alicerce da casa que estava construindo, um curral novo que fazia, tudo ele comemorava. No dia da inauguração de Brasília, a nova capital do país, Toninho também inaugurou um trampolim que mandara construir na represa, em sua fazenda, para deleite dos filhos. Ele sabia dar às coisas cotidianas o tom das coisas grandiosas.
Foi também um construtor de mirantes, pois era um homem que queria enxergar além do horizonte. Em todas as suas fazendas havia uma construção bem alta, toda em madeira, com um pequeno telhado, que tinha por finalidade proteger as pessoas do sol inclemente do sertão. Quem se aventurava a subir pela longa e quase vertical escadaria, podia ver a grande extensão de suas terras, os capinzais verdes entrecortados de enormes ficcus italianos, árvores que davam frescor e alento à paisagem do agreste, e as longuíssimas filas de gado branco, rumando vagarosamente para os bebedouros.
Grande pecuarista, produtor de gado nelore, conhecido muito além das fronteiras de Minas Gerais, tinha verdadeiro prazer em estar com seus funcionários, seus vaqueiros, com os quais tinha um cuidado quase paternal. A bondade com que tratava todos os que trabalharam para si foi testemunha de pungentes homenagens, durante seu velório, o que desmente integralmente aqueles que insistem em chamá-lo de coronel".
Nunca ninguém conseguiu identificar uma senhora an^nima que, saindo da multidão que se perfilava na Igrejinha do Rosário, para o adeus final ao ex-prefeito, achegou-se rente ao caixão, levantou o filho pequeno que trazia consigo e disse, em voz alta o suficiente, para que os que ali se encontravam a ouvissem bem: Eis o retrato de um homem honesto! Se ele pudesse interferir, certamente o teria feito, naquela hora. Um de seus lemas era: Honestidade não é virtude; é obrigação.
E se foi exigente ao extremo com os filhos, a chegada dos netos e o tempo - esse poderoso senhor - tornou mais terno seu coração. Já aposentado, gostava de ver a casa cheia dos filhos de seus filhos, por isso, havia em seu escritório uma gaveta cheia de caramelos e chocolates, para atrair os netos.
Segundo ele: Menino não gostava de gente velha... Organizava pequenos torneios entre eles, incentivava os estudos e as viagens. Era sua crença que as viagens ensinavam muito, alargavam as ideias, ampliavam as perspectivas.
Lembro-me de uma ocasião em que estava em viagem a Alemanha, juntamente com um grupo de prefeitos de cidades de porte médio do Brasil, para fazer cursos. Lembrou-se, ainda dessa vez, de provocar minha mãe, uma legítima descendente dos Peres e, portanto, amiga das festas e das celebrações. Enviou-lhe um cartão postal, curto e bem-humorado:
Marília, aqui está pra você: três festas por dia! Uma das suas manias era provocar mamãe, mas todos sabíamos que ali havia, sobretudo, uma admiração mútua. Mamãe considerava-o um homem exxtraordinário.
Aquele velho retrato amarelou. O tempo passou, arrastando consigo as pessoas, modificando a paisagem, os rostos, Sequer aquela casa existe mais. A cidade mudou, o mundo mudou. Aqueles meninos de Toninho e Marcolina se fizeram homens e mulheres, casaram-se, tiveram filhos e netos... Três deles se foram precocemente: Jayme Neto, João, Vera Lúcia...
Estão em algum lugar, onde ficam os justos e bons, perto de seu pai e sua mãe.

(Extraído do livro "Toninho Rebello, o Homem e o Político", de Ivana Rebello e Jorge Silveira, lançado em Montes Claros na noite de 25 de fevereiro)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:





Mensagem N° 79524
De: Estado de Minas Data: Seg 2/3/2015 08:54:34
Cidade: Belo Horizonte
Ex-prefeito em Minas pode ter mais de 100 ações na Justiça por irregularidades - Alvo de 92 ações judiciais, o ex-prefeito Warmillon Fonseca (DEM) foi denunciado pelo Ministério Público em mais 17 processos. Os crimes envolvem desvio de R$ 23 milhões - Alessandra Mello - O ex-prefeito de Pirapora (2005/2012) Warmillon Fonseca (DEM) foi denunciado em mais 17 ações civis e criminais. Caso sejam aceitas pela Justiça, Warmillon, que chegou a ficar preso durante um ano e meio, mas acabou liberado em novembro do ano passado, pode ultrapassar a casa das 100 ações judiciais, todas impetradas pelos ministérios públicos Estadual e Federal por desvio de recursos públicos das cidades de Pirapora, Coração de Jesus e Lagoa dos Patos, todas no Norte do Estado, onde ele foi prefeito. Atualmente, o prefeito é réu em 92 ações.
As novas denúncias, que envolvem R$ 23 milhões, referem-se a 10 ações penais por crimes contra a administração pública, lavagem ou ocultação de bens e valores, além de sete ações cíveis pela prática de atos de improbidade. Além do ex-prefeito, são réus nas ações sua mulher, uma irmã e uma sobrinha e também servidores públicos municipais, empresas e empresários que foram beneficiados em contratos com o município de Pirapora, cujos nomes não foram divulgados pelo Ministério Público, autor das ações.
Elas foram feitas com base em investigações feitas pelo MP após inspeção realizada em Pirapora pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG) onde foram identificadas fraudes em licitações e desvios de recursos na execução de obras públicas entre 2006 e 2011. De acordo com as apurações, empresas foram beneficiadas em contratos que ultrapassaram R$ 31 milhões. O MP também alega que o ex-prefeito constituiu patrimônio incompatível com seus rendimentos declarados e, com o auxílio de diversas pessoas, ocultou imóveis, veículos e empresas, registrando-os em nome de “laranjas”.
As medidas judiciais pedem o sequestro e a indisponibilidade dos bens de Warmillon para garantir o ressarcimento aos cofres públicos dos valores que teriam sido apropriados pelo ex-prefeito, além do pagamento de multa. Foi pedido ainda o sequestro de três fazendas e de um posto de combustíveis registrado em nome do ex-prefeito e a nomeação de um administrador judicial para esses bens. O MP alega que o posto de combustíveis chegou a ser usado para a lavagem de dinheiro oriundo de corrupção.
As ações são um desdobramento da Operação Waterloo, deflagrada em agosto de 2012, em parceria com a Secretaria de Estado de Fazenda (SEF) e com a Polícia Militar. Na ocasião, foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão na Prefeitura de Pirapora e em residências e empresas localizadas em Montes Claros. Desde então, diversas ações civis e criminais foram propostas contra o ex-prefeito e outros réus.
Warmillon já foi condenado a penas de prisão em primeira instância pela prática de crimes de fraude em licitações e desvio de recursos públicos envolvendo a realização de shows (10 anos de prisão), contratos de limpeza urbana (14 anos, nove meses e 10 dias de prisão) e de fornecimento de combustíveis (sete anos de prisão). No entanto, no ano passado, por força de habeas corpus concedido pela 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), Warmillon Braga foi autorizado a cumprir sua pena em casa, por falta de condições do presídio em Ribeirão das Neves, onde ele cumpria pena de 21 anos de detenção.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79523
De: Fernando Data: Dom 1/3/2015 13:46:43
Cidade: S. Paulo
Triste notícia deste domingo:
"Um universitário mineiro de 23 anos morreu depois de entrar em coma alcoólico durante uma festa na cidade de Bauru, em São Paulo, nesse sábado (28). O jovem, que nasceu em Passos, no Sul de Minas, entrou em uma disputa para saber qual participante do evento conseguiria beber mais.Segundo a Polícia Militar de Bauru, a festa começou na tarde de sábado em um sítio do bairro Jardim Ouro Verde. A maioria dos convidados era universitários moradores de repúblicas do município.Humberto Moura Fonseca e outras cinco pessoas passaram mal ainda no começo da festa. Eles foram encaminhados ao Pronto-Socorro Municipal, mas o estudante de engenharia elétrica não resistiu. Ainda conforme a corporação, três meninas estão internadas em estado grave. As duas outras vítimas já receberam alta médica".

Em tempo: festas como esta, onde a bebedeira e o desregramento, entre outras muitas coisas, são a tônica, estão acontecendo por toda parte. São as terríveis festas "have". Muitas se disfarcam com nomes poéticos, como luau. Os pais devem acompanhar o que acontece em suas cidades para que tragédias como esta não se multipliquem. Vendedores de bebida alcoólica e de drogas adoram as festas have. (...)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79522
De: Geraldo Jr. Data: Dom 1/3/2015 13:01:06
Cidade: Montes Claros/MG
E-mail: gerra_moc@hotmail.com
Acaba de passar por Montes Claros um comboio Da Força Nacional de Segurança, provavelmente voltando Das operações da greve dos camioneiros no nordeste. Brasil; ame ou deixe-o!
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79521
De: daniel Data: Dom 1/3/2015 12:52:43
Cidade: montes claros
E-mail: daniversiane@yahoo.com.br
Força nacional foi vista hj na frente da polícia federa
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79520
De: Luiz Ortiga Data: Sáb 28/2/2015 10:07:45
Cidade: BRASILIA/DF
E-mail: ortigaluiz@ig.com.br
Rertornando de uns bons dias no Rio Grande do Norte, precisamente na praia de Muriú(aprox. 3okm ao norte de Natal), que recomendo. Voltei-me de imediato para este M ural, afinal é necessário ver o que acontece em Montes Claros. A mensagem do João Carlos Sobreira nos deixou felizes, póis demonstra vitalidade do João que andou adoentado. As homenagens merecidas ao Toninho Rebelo mostram o reconhecimemnto do povo de Montes Claros, sempre justo.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79519
De: Arlindo Data: Dom 1/3/2015 10:15:06
Cidade: M. Claros
A previsão mais favorável era de 24 milímetros de chuva em Montes Claros, neste sábado e domingo. Mas, até aqui, a chuva já é de 70 milímetros. Ontem, foram duas pancadas vespertinas, algo em torno de 30mm. Nesta madrugada, falamos sempre na área mais central, choveu mais cerca de 40 milímetros. O tempo segue invernado desde o amanhecer, com chuva fina. A serraria está toda ela encoberta pelas nuvens e a cidade - que se vai tornando branca, com os prédios quase sempre pintados de branco - a cidade está lavada e adormecida, como se estivéssemos nos bons Dias de Natal. Ainda bem. Chuva e Natal, combinam demais. Os homens estão aí para destruir, e a Natureza para repor, Deus enfim.
(Bem, quanto a meteorologia, que bom que ela erre, especialmente quando vê menos chuva do que afinal cai. Os 24 milímetros transformados em 70, ou mais, nos fazem exultar, como canta a bela melodia do sempre musical autor Luiz de Paula, gente muito nossa, distraindo seu quase primeiro centenário, muito lúcido, vendo a chuva cair ao pé dos montes claros. Ele, como o poeta João Chaves, faz canções, e canta para a chuva. E ela, a chuva, amável retribui. Assim vamos. Alegria nos ninhos com a invernada que prospera lá fora. Chuva tamborila? Não se usa mais. Chove a cântaros? Precisa chover mais. Copiosamente? - vou ver a origem da palavra. Chove, e está bom).
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79518
De: Arlindo Data: Sáb 28/2/2015 19:18:04
Cidade: M. Claros
Boas noticias. Foram duas pancadas de chuva, aos costumes. A segunda mais constante: deixou 30 milímetros de chuva na área central. Três vezes mais do que a meteorologia marcou. Foi uma chuva de acender as luzes do posteamento nas ruas, chuva geral, com nuvens bem escurecidas, solenes. Depois, com a cidade lavada, ares limpos, e leves, o sol ainda se mostrou sobre os montes claros. Do lado oposto, do levante naturalmente, outras nuvens escuras se postavam, aguardando a vez e a hora de virem, trazer sua contribuição na emergência dos homens. Esperemos. Pela previsão, a chuva anunciada para domingo tem prognóstico de quase 100 por cento. Assim, fevereiro se vai, sem fazer feio. Deve atingir a média histórica do período. Cresce a responsabilidade das águas de março, elas que se abeiram das coisas santas, pois rondam os dias da Paixão. Um grande e saudoso amigo, Oswaldo Souto, Fazendeiro e sábio, não se cansava de repetir:" aqui, não precisamos de governos, precisamos de chuvas". As chuvas, podemos contar com elas, vêm de Deus. Já os governos....
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79517
De: Jorge Silveira Data: Sáb 28/2/2015 17:33:53
Cidade: Montes Claros
Uma revista e a inauguração do parque

Ao contrário do que acontece hoje, quando os administradores públicos gastam milhões com publicidade para se promoverem, num verdadeiro desperdício do dinheiro público, Toninho Rebello era avesso a qualquer tipo de promoção pessoal ou de sua administração. Em seu primeiro mandato (1967/70), nem tinha secretaria ou qualquer tipo de departamento para cuidar da comunicação. No segundo mandato, mesmo contra sua vontade, mas muito pressionado pelos assessores, nomeou o radialista Ubirajara Toledo para a área de imprensa. Tio Bira, como era conhecido, por um programa de rádio na ZYD-7, não tinha a menor experiência como assessor de comunicação, mas serviu a Toninho com uma fidelidade canina.
Não que Toninho tivesse qualquer ojeriza aos jornalistas. Ao contrário, era muito amigo de Osvaldo Antunes, diretor e proprietário de "Jornal de Montes Claros". E admirador confesso de Waldyr Senna Batista, secretário de redação do mesmo jornal. Tinha também muito boa relação com Júlio de Melo Franco, diretor do "Diário de Montes Claros", outro por quem nutria grande admiração. "Escreve pra caralho", me disse várias vezes, ao ler editoriais do Diário. Gostava também de um menino (menino mesmo) que começava na imprensa local, e que mais tarde, no Estado de Minas, seria prêmio Esso de Jornalismo: Paulo Narciso. Mas Toninho não dava muita bola para o que os jornais diziam dele ou da sua administração. Geralmente elogios às grandes obras em realização. E, principalmente, à seriedade e honestidade do governo municipal.
Por sinal, estes elogios irritavam Toninho. Várias vezes o ouvi dizer: "honestidade não é virtude. É obrigação. Prefiro que os jornais digam que sou bonito". Aí ficava difícil, pois ele era muito feio, com aquele narigão imenso. Mesmo sem conseguir um tostãozinho de publicidade, os jornais faziam muito mais elogios do que críticas à administração municipal. Toda vez que era procurado, para qualquer tipo de divulgação paga, Toninho vinha sempre com a mesma resposta: "pra que divulgar uma obra que o povo está vendo? É preferível gastar o dinheiro com mais obras. O povo não precisa de publicidade, precisa é de educação, saúde, rua asfaltada, áreas de lazer".
No final do seu primeiro mandato, ele se preparava para inaugurar o Parque Municipal Milton Prates, que ele considerava uma de suas obras mais importantes. Não apenas pelo aspecto de preservação ambiental - naquele tempo ele já se preocupava com o meio ambiente - mas principalmente por se tratar de uma área de lazer para as populações mais pobres. Ele dizia:
- No domingo, os mais privilegiados, ou mais ricos, vão para os clubes campestres, para os cinemas,viajam para as fazendas. Os pobres não têm nenhuma forma de lazer.
O Parque Municipal vai ser uma forma de as famílias menos privilegiadas poderem aproveitar o domingo e os feriados. Não há mais nada sadio e alegre do que um piquenique ao ar livre.
Toninho tinha razão. Até hoje, 40 anos depois, o Parque Municipal Milton Prates continua sendo a melhor forma de lazer para as famílias mais pobres de Montes Claros. Fica cheio aos domingos e feriados, mesmo não tendo sido conservado pelos prefeitos subsequentes da forma como merecia. Ao invés de preservar e aumentar o verde, construíram quadras pavimentadas e até mesmo um ginásio coberto em pleno parque, um verdadeiro atentado ao espírito do empreendimento. E vive, geralmente, em estado de pré-abandono, como se fosse uma obra de segunda categoria. O que se pode fazer? Nem todos têm a visão e o espírito público que eram marcas registradas de Toninho.
Mas voltando à véspera da inauguração do Parque Municipal, para o quê a prefeitura preparava uma grande festa popular. Na época, eu dirigia a revista Encontro, substituindo o grande jornalista e amigo Carlos Lindemberg, que por seu turno substituíra Lúcio Benquerer, Décio Gonçalves, Haroldo Lívio, Konstantin Cristoff e Enoque Sacramento. Isto na década de 60, quando até fazer jornal na cidade era um desafio. Revista, então, e da qualidade de Encontro, era quase um sonho impossível. O certo é que a revista circulou por mais de dez anos, grande parte sob a batuta de Lúcio (um cara fora de série, em todos os sentidos), depois de Lindemberg, ambos verdadeiros heróis em conseguir manter a revista em circulação.
E lá estava eu como diretor da revista, tentando não deixá-la morrer em minhas mãos. E procuro Toninho na prefeitura, para lhe pedir uma publicidade sobre o Parque Municipal.
A revista iria circular no dia da inauguração, com uma grande reportagem sobre a obra. Toninho me olha sério e pergunta: "publicidade pra quê? A obra está pronta e o povo vai conhecê-la no dia da inauguração. Não é a publicidade da revista que vai fazer o povo gostar ou não da obra. Seria um dinheiro jogado fora e você sabe que eu não faço isso".
Tentei argumentar que não era dinheiro jogado fora, que ele estaria ajudando a revista a se manter, o que era bom para Montes Claros, pois a revista era um orgulho para a cidade.
Ele me olhou novamente, sorriu de forma meio sarcástica e disse: "você me convenceu, rapazinho. Realmente é preciso ajudar a revista a se manter. Mas não com dinheiro público.
Pode fazer a tal reportagem, mas tire a nota em meu nome. Se eu gostar do que você escrever, eu pago. Combinado?"
Eu aceitei o desafio. E ele pagou. Do próprio bolso. Ajudou a revista a se manter por mais um tempo. Mas a reportagem, cá prá nós, foi um sucesso. Digna de uma revista da qualidade de Encontro. E que, muito mais, fazia jus às belezas naturais do Parque, com seu lago, sua área verde, suas árvores centenárias, até hoje um paraíso incrustado no meio da cidade, presente que Toninho doou a Montes Claros. E que não existiria hoje, não fosse a sensibilidade social e ambiental de Toninho.

(Extraído do livro "Toninho Rebello, o Homem e o Político", de Ivana Rebello e Jorge Silveira, lançado em Montes Claros na noite de 25 de fevereiro)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:





Mensagem N° 79516
De: Arlindo Data: Sáb 28/2/2015 15:49:46
Cidade: Moc
Pancada de chuva ainda há pouco na cidade de Montes Claros. A chuva - anunciada pelo repique de um trovão feroz, altíssimo - veio pela parte norte, atrás da Malhada dos Santos Reis, onde segue chovendo. Os Dois Irmãos, coitado do que restou do símbolo da cidade, o simulacro deles está levando chuva nas casca oca que simula dois outeiros; por trás deles, que a cidade não vê, restou a desolação de crateras de pedras levadas para virar cimento. O tempo está bonito para chuva, mas na TV, tristes, ouviremos o locutor dizer "tempo ruim...."
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79515
De: Marcelo Eduardo Freitas Data: Sáb 28/2/2015 12:26:15
Cidade: Montes Claros
(...) Com o passar dos tempos, todos podemos observar, a família sofreu alterações estruturais. Temos, na atualidade, diversas formas de organização familiar convivendo simultaneamente. Há as famílias consideradas tradicionais, compostas por pai, mãe e filhos; as famílias monoparentais, onde um dos pais vive com os filhos; as famílias recasadas, onde surgem novos membros, mormente o padrasto ou madrasta; famílias ampliadas, compostas pela família nuclear mais parentes diretos ou colaterais; famílias não convencionais que escapam às fórmulas pais, mães e filhos morando juntos. Exsurge, ainda, as organizações familiares ditas alternativas, podendo serem citados os casamentos sucessivos com parceiros diferentes, advindo filhos de diferentes uniões; casais homossexuais adotando filhos legalmente; casais com filhos ou parceiros isolados, vivendo com uma das famílias de origem; as produções independentes e, ainda, duplas de mães solteiras que compartilham a criação de seus filhos. (...) (Clique aqui para ler toda a mensagem na seção Colunistas)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79513
De: Afonso Data: Sex 27/2/2015 18:42:00
Cidade: Moc/MG
Considerando a mensagem 79.507, de 26/2/2015, verifiquei o seguinte trecho de matéria do Estado de Minas, de 24/10/2013, "BH tem média de 20 acidentados com motos por dia", destacando Montes Claros: "Abusos no interior - A imprudência dos motociclistas é um problema sério também nas grandes cidades do interior e já se agrava em Montes Claros, no Norte de Minas. Segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), a frota do município é de 173 mil veículos e mais de 40% são motos. Os motociclistas não obedecem à sinalização e aos limites de velocidade e fecham cruzamentos. Segundo o Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), são em média 19 acidentes por dia na cidade, 90% com motos." Portanto, embora a população de Moc seja muito menor do que a de BH, o número de acidentes por dia aqui é muito próximo do de lá.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79512
De: Avay Miranda Data: Sex 27/2/2015 14:46:49
Cidade: Montes Claros
(...) Às vezes encontramos com amigos ou conhecidos que nos revelam que foram a uma comunidade de “pessoas humildes", se referindo, evidentemente, a um local pobre, bairro da periferia ou favela.
Por conseguinte, a humildade é sempre reconhecida pelo outro. Não existem humildes pobres. Pois a humildade é a verdadeira nobreza.
A verdadeira humildade é aquela que o homem tem consciência e possui uma convicção do que ele é, da sua capacidade, da sua força ou da sua fraqueza, compreende a sua inferioridade, reconhece seus limites, mas, não sofre por isso, se esforça e trabalha para ser melhor e procura constantemente seu aperfeiçoamento físico, moral e espiritual. (...) (Clique aqui para ler toda a mensagem na seção Colunistas)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79510
De: Edmundo Data: Sex 27/2/2015 14:39:10
Cidade: B. Santa Rita, M. Claros
Logo depois do meio dia, o céu em Montes Claros ficou muito, muito escuro. As nuvens negras se concentraram sobre a serraria a oeste. Choveu bem por aqueles altos, e a chuva prometia vir sobre a cidade, intensa, arrebatadora. Uma hora depois se viu que a chuva não foi tão intensa como prometia. Desta vez, caiu mais a oeste da Avenida Plínio Ribeiro, que hoje funciona como a grande longitudinal da área urbana. Mas a meteorologia promete que até segunda-feira vamos ter alguma água mais pertinente. O céu escuro está agora apenas nublado, faz calor, e seguimos pedindo chuva aos céus.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79509
De: César Data: Sex 27/2/2015 11:39:56
Cidade: M. Claros
Sobre o lançamento do primeiro livro com a história, humana e pública, a pública sempre mais do que a política, do prefeito Toninho Rebello:
1 - Nunca na história de Montes Claros um lançamento de livro reuniu tantas pessoas. Mais de 600. Os autores, Ivana Rebello e Jorge Silveira, autografaram no ato 428 exemplares. Foi no Parque de Exposições. Tal recorde é raro até em praças de maior tradição literária.
2 - A Grande Dama de Montes Claros, a Professora Ivonne Silveira, do alto do seu 1º Centenário, e de sua Lucidez permanente, presidiu a sessão em louvor de Toninho Rebello.
(Ao final, cansada, teve um mal estar, que ocasionou seu internamento na Santa Casa, para exames. Deve ter alta, amanhã. Vigorosa, como sempre).
3 - Virão mais livros, dos mesmos autores, sobre Toninho, tão fecundo é o seu exemplo, nos dias que correm. Partiu em 1992, mas sua conduta sobrepaira sobre a cidade que amou. É um dos nossos avatares.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79508
De: Jorge Data: Sex 27/2/2015 11:07:43
Cidade: Montes Claros/MG
E-mail: bananaverde@zipmail.com.br
A epidemia de acidentes de motos nas ruas de Montes Claros já se aproxima da marca de um por hora, a cada 24 horas. As leis de trânsito não são respeitadas em Montes Claros, ou pouco respeitadas, e numerosos entre os transgressores andam de moto. Daí, o triste recorde. Os hospitais, sempre empapuçados, esgotados, sofrem ainda mais para atender o alto número de acidentados por motos. Alguma coisa precisa ser feita, e de maneira urgente. (...)

Além dos acidentes que são naturais, ocorre hoje em dia um absurdo que são os inumeros acidentes provocados, na maioria das vezes por menores, com o intuito de receberem indenizações do seguro.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79507
De: Fernanda Data: Qui 26/2/2015 15:09:57
Cidade: M. Claros
A epidemia de acidentes de motos nas ruas de Montes Claros já se aproxima da marca de um por hora, a cada 24 horas. As leis de trânsito não são respeitadas em Montes Claros, ou pouco respeitadas, e numerosos entre os transgressores andam de moto. Daí, o triste recorde. Os hospitais, sempre empapuçados, esgotados, sofrem ainda mais para atender o alto número de acidentados por motos. Alguma coisa precisa ser feita, e de maneira urgente. A calamidade nas ruas está se agravando. Cumprir as leis é o caminho elementar, do qual ninguém pode se excluir. Ou pode? Basta ver o absurdo número de veículos, entre eles motos, que andam com descarga aberta, modificada para aumentar o barulho numa cidade já absurdamente barulhenta. Estamos regredindo. A qualidade de vida de todos paga pela desobediência de uns e omissão de outros. Um horror diante dos céus.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:





Mensagem N° 79506
De: Wanderlino Arruda Data: Qui 26/2/2015 14:58:23
Cidade: Montes Claros
Milene Coutinho Maurício

Wanderlino Arruda

Há poucos dias, a colunista Ruth Jabbur publicou uma foto das cinco gerações que tiveram como início a escritora, museologista, pesquisadora e folclorista Milene Antonieta Coutinho Maurício, que hoje completa 85 anos de idade: fotografia dela Milene, da filha Mânia Lucia Maurício, da neta Daniella Maurício Mourão, do bisneto Pedro Ivo Mauríco Mourão e do tetraneto Bernardo Mauríco Mourão, tudo gente bonita e bem posta na vida, pois com história e estórias marcantes para quem admira e gosta de Montes Claros. Prometi a mim mesmo escrever sobre e para Milene, minha confreira da Academia Montesclarense de Letras e dos Institutos Históricos e Geográficos de Minas Gerais e de Montes Claros, cinco longos anos atrás. Sempre esta promessa foi dívida em minha memória e nos meus compromissos de cronista voltados principalmente aos assuntos da região. Olímpia, sempre atenta, me cobrou isso já não sei quantas vezes, mas só hoje, por determinação urgente-urgentíssima do meu amigo e irmão Wagner Gomes, consigo alinhavar. E o faço com alegria, com emoção, porque de Milene sempre gostei e muita tem sido a minha admiração. Escritora de fôlego, pesquisadora do maior respeito, Milene Coutinho faz da escrita - quase como da família - o seu centro de existência. Parece que nunca teve um dia de descanso, tantas foram as suas publicações em jornais, revistas e livros. Destacam-se, por exemplo, Emboscada de Bugres, Tiburtina e a Revolução de 1930, As Mais belas Modinhas, Magnificat, Vamos Brincar de Brincar, repositórios sobre a culinária mineira e do nosso interior do Norte. Emboscada de Bugres é um importante depoimento sobre a grande e inesquecível Dona Tiburtina, marca do episódio montes-clarense de seis de fevereiro, uma joia para o conceito jornalístico de Assis Chateaubriand. As mais belas Modinhas, rico registro sobre a musicalidade brasileira, teve prefácio do governador de Minas, Francelino Pereira, e comentários sobre ninguém menos que Carlos Drumond de Andrade. Magnificat, Representações de Nossa Senhora, escrito a duas mãos com a nossa confreira Maria das Mercês Paixão Guedes, é tu do que a gente pode sonhar com a santa aura de Maria, mãe de Jesus. Vamos Brincar de Brincar contém o lado mais do que lúdico da avó, bisavó e tetravó dos mais de oitenta de alegria do viver. Filha da escritora Nazinha e do entusiasmado professor e advogado Alfredo Coutinho, prefeito de Montes Claros quando ela nasceu, esposa do médico e escritor João Valle Maurício, secretário de estado, Milene é mãe de Mânia, Nair, Vitória e Liliane, avó de nove netos, bisavó de nove bisnetos e tetravó de Bernardo Mauríco Mourão, descendente também de Mânia, Daniella e Pedro Ivo. Longa existência, bonita dimensão de uma família bem criada e de brilho merecido, gente boa, muito boa, sempre envolta em importância social, cultural e política. Nunca me canso de dizer que o romance "Maria Clara", de Nazinha Coutinho, é um dos mais marcantes da nossa literatura montes-clarense, um encanto de escrita para atenciosa leitura. Emoldurada pelos sucessos das letras e das músicas, elogiada pelo trajeto social em todas as fases da vida, Milene teve como momento importante a publicação do livro Emboscada dos Bugres, acontecimento que pode ser assinalado com um início de crônica do nosso saudoso e confrade Ângelo Soares Neto: "Não creio que o Automóvel Clube tenha tido em toda sua história uma noite como a do lançamento de Emboscada dos Bugres. E difícil, pelo menos, na ótica do modesto escriba. Sei que ali já foi palco de eventos históricos. Isto é uma verdade imutável, contudo, o de ontem, à noite, suplantou aos demais, quando foi lançado para o Brasil a obra maior de Milene Coutinho Maurício, Emboscada dos Bugres - Tiburtina e a Revolução de 1930, que lhe valeu um precioso passaporte para a história nacional." Milene Coutinho Maurício tem formação escolar bem aprimorada: magistério pelo Colégio Imaculada Conceição, Pedagogia pela Universidade Estadual de Montes Claros e Museologia pela Universidade Federal de Minas Gerais. Institutos Históricos e Geográficos de Minas Gerais e de Montes Claros
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79505
De: Ivana Rebello Data: Qui 26/2/2015 11:28:48
Cidade: M. Claros

O casamento

Toninho era desportista. Foi faixa preta de judô, jogador de vôlei e de basquete, incentivador do futebol local e aviador. E foi o esporte que o aproximou daquela que seria sua companheira por 48 anos, Marcolina Ataíde, filha de Jacinto Ataíde e Augusta Amélia Ataíde. Segundo José Gomes: Marcolina era uma menina que mais parecia um bibelô, lourinha, de alegres olhos azuis. Ele frequentava a praça de esportes e lá conheceu a jovem professora de natação, Marcolina.
O que vou aqui relatar foi lido por mim, em reportagem especial sobre Antônio Lafetá Rebello, publicada no extinto Jornal Do Norte, no dia 15 de dezembro, de 1992, após sua morte, portanto.
Segundo Águeda Ataíde, o casamento dos dois tem suas raízes na histórica Diamantina, mais precisamente no Colégio Nazaré.
O avô de Marcolina, Dr. Antônio Augusto Ataíde, era muito amigo do avô materno de Toninho Rebello, major Antônio Francelino Lafetá, de Coração de Jesus. Suas esposas, respectivamente, Jacinta Barroso Moreira e Maria Leopoldina Chaves de Queiroga, foram colegas e amigas, em Diamantina, estendendo essa amizade para a vida adulta, quando já eram senhoras e avós.
Conforme se sabe, houve um breve período em que Toninho residiu na casa da avó materna, Dona Quita, conforme a chamavam. De vez em quando, as avós se encontravam e, como era de hábito naqueles tempos, ficavam articulando o casamento dos netos.
Passaram os anos, e o destino resolveu reuni-los, já em outras circunstâncias. O então prefeito da cidade, o Dr. Santos, responsável pela construção da Praça de Esportes, fez com que algumas pessoas da cidade fizessem treinamento na capital Belo Horizonte, no Minas Tênis Clube, para serem técnicos de natação na praça. Marcolina foi a Belo Horizonte, especializou-se e se tornou uma das primeiras técnicas femininas da cidade. As circunstâncias aproximaram aqueles dois jovens, amantes dos esportes. Começaram o namoro ali, na Praça de Esportes, como uma dezena de outros casais de Montes Claros.
Durante o namoro, Toninho foi convocado a servir como aviador nas Forças Expedicionárias Brasileiras, na Itália, o que deixou a jovem namorada desolada. No entanto, ele acabou sendo dispensado do serviço e retornou a Montes Claros.
Em 15 de janeiro, de 1944, Toninho e Marcolina casaram-se, na antiga igreja do Rosário. Foi o próprio Toninho quem escolheu o local do consórcio, na igrejinha próxima à casa de seus pais, onde passou a infância e adolescência. Foi uma união que durou 48 anos e da qual nasceram sete filhos.
Durante toda a vida estiveram juntos, companheiros e amigos. A jovem professora de natação abdicou de seu ofício para criar os filhos do casal e garantir ao arrojado marido a tranquilidade necessária para ir atrás de seus sonhos. É bem verdade o que dizem: que todo grande homem é sempre acompanhado de uma grande mulher. Na sua simplicidade e discrição Marcolina soube ser grande como só o são as mulheres que, doce e sabiamente, sabem honrar sua casa e ser guardiãs dos sonhos de dois.
Somente se separaram no dia 10 de novembro, de 1992, quando Toninho faleceu. Antes, porém, havia recomendado à mulher que fosse velado ali, na Igreja do Rosário, local onde havia se casado.

(Extraído do livro "Toninho Rebello, o Homem e o Político", de Ivana Rebello e Jorge Silveira, lançado em Montes Claros na noite de 25 de fevereiro)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79504
De: José Ponciano Neto Data: Qui 26/2/2015 11:06:05
Cidade: Montes Claros-MG  País: Brasil
Um lançamento à altura do biografado.
O lançamento do Livro “O homem e o Político”, uma autobiografia do eterno exemplo de administração pública o Sr. Toninho Rebello.
Foi um lançamento que conseguiu lotar o Centro de Convenções do Parque de Exposições de Montes Claros. Muita gente inteligente, como: escritores, poetas, jornalistas, cronistas, articulistas, artistas, cantores, atores, profissionais liberais e principalmente pessoas simples que foram para homenagear o Antônio Lafetá Rebello com sua presença.
Houve vários depoimentos emocionantes: do prefaciador, dos autores do livro, da Presidenta da Academia Montesclarense de Letras - a lúcida centenária Dona Yvonne de Oliveira Silveira - e do neto mais velho do Toninho, quando recordou os ensinamentos e os momentos felizes vividos com o avô “Tunin”.
Durante a cerimônia o Prefeito Ruy Muniz tirou proveito da ocasião para divulgar o projeto de lei de honra ao mérito, a “Medalha Antônio Lafetá Rebello”, uma condecoração que anualmente - no dia 21 de Abril (data do aniversário do Toninho Rebello) - será concedida pela Câmara Municipal de Montes Claros a seis gestores administrativos, sendo: três da iniciativa privada e três do poder público.
Só mesmo a grandeza do Sr. Toninho Rebello e a credibilidade dos autores para ter tornado a cerimônia tão concorrida.
Subjetivamente (sem dúvida) o Prefeito Toninho Rebello foi o homem que esticou Montes Claros. A cidade era muito concentrada e precisava expandir. Logo ele pensou no lazer: construiu o Parque Municipal bem longe, mas, logo vieram os conjuntos Morada do Parque e outros bairros. Pensou no conforto dos passageiros intermunicipais: construiu a Rodoviária na região da fazenda Vargem Grande; vieram os bairros Canelas, Cidade Nova e Conjunto Cristo Rey. Pensou na tranqüilidade de bairros nobrelocalizados (com estética): construiu o Lago do Interlagos no córrego das Lages, logo vieram os bairros Jaraguá, Guarujá, planalto e Independência e JK.
Pensou em um bairro nobre: fomentou e aprovou o Bairro Ibituruna próximo a Serra do Melo onde era a fazenda dos Marcondes; condicionando ao empreendedor as áreas institucionais.
Pensou em desenvolvimento industrial. Criou com apoio da SUDENE o Distrito Industrial – foram desapropriados varias áreas . - vieram a Transit, Peugeot, Brasmel, Biobras, Itasa, Tok, Agapress, Vilma – e completando do outro lado: A Denver, Coteminas, Silber Centro, Metalúrgica Norte de Minas, Grupo Frigonorte, Fuji Eletric Brasil e Sion.
Pensou na mobilidade urbana: asfaltou ruas com a participação dos moradores que o confiava.
Pensou na cultura: construiu o Centro de Cultura Hermes de Paula
Percebe-se que todas as obras de expansão tinham um atrativo. Nada era aleatório. Tudo com planejamento.
Está de parabéns a doutora Ivana Ferrante Rebello e o jornalista Jorge Silveira pela a brilhante idéia e também pelo evento.

(*) José Ponciano Neto é membro do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros – IHGMC e da Academia Maçônica de letras do Norte de Minas - AMLNM
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79503
De: cidadao Data: Qui 26/2/2015 09:09:03
Cidade: montes claros
7h da manhã e os semáforos da Av. Sanitária com Rua Santa Maria estavam desligados. O trânsito estava um horror!! Neste horário o movimento é intenso na região.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79502
De: Alberto Sena Data: Qua 25/2/2015 15:57:08
Cidade: Grão Mogol
(...) E essa linotipo, em particular, operada ora por Walter Andrezzo ora por Milton Ruas, linotipistas de mãos cheias, ela é testemunha muda e fria porque de ferro, porém quente quando tinha a oportunidade de fundir no chumbo as matérias de um tempo marcante. Tempo em que havia na Rua Doutor Santos, 102 a redação do O Jornal de Montes Claros, JMC chamado. (...) (Clique aqui para ler toda a mensagem na seção Colunistas)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79500
De: João Carlos Sobreira Data: Qua 25/2/2015 10:25:28
Cidade: Montes Claros
(...) Ouço falar em mata ciliar desde a época do ginásio, nas aulas de geografia ministradas pelo excelente professor dr. Francolino, há quase 70 anos. Durante meu curso de arquitetura, todas as vezes que o tema legislação era abordado, mata ciliar era uma das primeiras citações ouvidas por nós alunos. Na Lei de Uso do Solo do Plano Diretor que o inesquecível prefeito Toninho Rebello presenteou a nossa cidade, (e eu tive a honra de colocá-la debaixo do braço, além de reproduzir em slides os mapas nela contidos, mostrá-los, pelo projetor numa tela montada ao lado do caminhão/palanque, defendendo-a nos comícios, quando da minha campanha como candidato a prefeito em 1970). Nesta lei, havia uma obrigatoriedade da preservação da citada mata ciliar, com o replantio de árvores, caso a mesma tivesse sido derrubada. Infelizmente, nenhum prefeito cumpriu a lei. Foi essa reportagem muito bem feita na TV, que me empurrou para a presente digitação. (...) (Clique aqui para ler toda a mensagem na seção Colunistas)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79498
De: 11ª RPM Data: Qua 25/2/2015 09:26:15
Cidade: Montes Claros
Polícia Militar registra uma paralisação de caminhoneiros rodovia ad região - Às 14h45 de ontem, 24Fev, na MG-401, no município de Jaíba, a Polícia Militar registrou uma paralisação de caminhoneiros na referida rodovia. Os manifestantes aglomeraram-se em frente ao Parque de Exposições da cidade de Jaíba. Em virtude do fato, viatura policial deslocou-se até o ponto de aglomeração e, em conversa com o líder do movimento, foi informado que a manifestação seria pacífica e que seria motivada pelo aumento de combustível. O líder do movimento informou ainda que a paralisação ocorre em âmbito nacional estaria sendo permitida a passagem de veículos pequenos, bem como de carga perecível, carga viva e ônibus, parando apensa os demais caminhões que aderiram à manifestação.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79497
De: Wanderlino Arruda Data: Qua 25/2/2015 08:59:30
Cidade: Montes Claros/MG
Marília Pimenta Peres, linda forma de viver

Wanderlino Arruda

Um pensamento atribuído a Fernando Pessoa sobre o que devemos considerar na vida a cerca de gentes e coisas é que o valor delas não está no tempo que duram. Está muito mais na intensidade com que acontecem, com que aparecem, já que "existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis, pessoas incomparáveis". Suprema verdade! Assim tem sido a vida e o viver, o mundo e tudo que o compõe. Cada criatura, queira ou não, tem o seu tempo-espaço, seu horizonte, seu colorido, seus matizes em cada fração do relógio ou do calendário. Melhor dizendo, somos recebedores e emissores de belezas e do bem que pouco ou muito podemos absorver e realizar. Somos donos do nosso destino. Todo este filosofar é para dizer do quanto foi importante o tempo de vida da nossa querida amiga e confreira Marília Pimenta Peres, que nos deixou órfãos quando ela contava apenas sessenta e cinco anos de trajetória terrena. Sempre elogiada e mais do que admirada, Marília foi antena receptiva de inumeráveis dádivas que Deus permite às pessoas a quem Ele ama de verdade. Seus dons estiveram sempre no superlativo, mercê dos seus dotes de inteligência e da perfeição de sua beleza física e espiritual. Menina, moça e mulher, estudante ou professora, sua alegria se estendeu contagiante tanto a familiares como a colegas e amigos, tanto aos mais próximos como a todos, que mesmo de longe, ouviram falar dela. Tudo positivo e provocador de exemplos! Lembro-me muito bem dos quatro anos de melhor convivência nas salas de aula e nas atividades do Curso de Letras da Fafil. Sinceramente interessada em todo o currículo, dedicou-se aos estudos de português, francês e linguística, decididamente afeita às respectivas literaturas. Importante aluna, mais do que destacada e já com jeito de mestra, foi um encanto em todas as horas. Simpática à figura de sua xará, Marília de Dirceu, quanto me obrigou a estudar Tomaz Antônio Gonzaga, quanto me levou também a admirar a poesia mineira da Inconfidência! "Marília/ se tens beleza/ da Natureza é um favor/ mas se aos vindouros teu nome passa/ é só por graça do Deus do amor/ que tanto inflama a mente/ e o peito/ do teu pastor." Intelectual completa, Marília Pimenta Peres ocupou - com nota dez - todos os postos de professora, literata, palestrante, protocolo e incentivadora do conhecimento. Tudo foi feito por ela para que seus discípulos gostassem de ler e de escrever, sonhassem e vivessem o brilho das artes. Figura notável na Academia Feminina de Letras e presidente da Associação das Amigas da Cultura, todo o crédito pode ser-lhe atribuído por antigas e novas gerações. Mais que lamentar a ausência de Marília por sua ida tão cedo, agradecemos ao nosso Pai Celestial por sua permanência entre nós de quase sete décadas de encantadora e linda forma de viver!

Institutos Históricos e Geográficos de Minas Gerais e de Montes Claros
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79496
De: Hudson Data: Qua 25/2/2015 07:46:56
Cidade: Montes Claros
Os rabos de galo no céu azul de M. Claros, nesta manhã, são o nosso melhor serviço meteorológico, o mais crível: pela palavra dos antigos, eles avisam que a chuva está ao nosso redor. Acreditemos
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79495
De: Jorge Silveira Data: Qua 25/2/2015 06:26:17
Cidade: Montes Claros

Televisão: um sonho de Toninho

Mesmo antes de ser prefeito, Toninho Rebello tinha a ideia fixa de trazer o sinal de televisão para Montes Claros, onde muita gente já tinha o aparelho, mas via mais chuviscos do que imagem. Lembro-me que recém-casado, em 1965, eu ia muito à casa de minha sogra, para assistir o programa da "Jovem Guarda", comandado pelo Roberto Carlos, que no ano anterior tinha vindo à cidade para um show no Clube Montes Claros, numa promoção do colunista Márcio Figueiredo, meu amigo e colega de jornal. Eleito prefeito, em 1966, Toninho não mediu esforços, junto com Edes Barbosa, para viabilizar um sinal pelo menos sofrível para os telespectadores montes-clarenses. Por várias vezes, Toninho viajou pessoalmente com técnicos da TV Itacolomi (Edes à tiracolo) tentando descobrir os locais mais adequados para instalar repetidoras que trouxessem uma imagem de qualidade para Montes Claros.
Certa vez, viajei com ele até as proximidades de Gouveia, onde fora instalada uma torre repetidora. Foi uma viagem cansativa, por estradas esburacadas e poeirentas. Toninho tinha posto na cabeça - e quando ele botava algo na cabeça ninguém tirava - que a população de Montes Claros iria assistir a Copa de 1970 pela televisão com imagem de primeira. Não foi fácil - Edes Barbosa que o diga - pois naquela época, manter os links em condições satisfatórias não era tarefa das mais agradáveis. As torres repetidoras (e eram varias) ficavam localizadas geralmente nos picos dos morros mais altos. Chegar até elas era um sacrifício extremamente cansativo. Quando chovia, era quase inviável.
Mas Toninho conseguiu: o montes-clarense pôde acompanhar os jogos da seleção brasileira no México pela televisão, com uma imagem de alto nível. Naquela época, não era todo mundo que tinha o aparelho, que custava o olho da cara.
As casas que possuíam o aparelho ficavam lotadas nos dias de jogos, com amigos e vizinhos se acomodando como fosse possível para acompanhar Pelé, Tostão, Gérson, Rivelino e Cia.
Eu mesmo assisti aos jogos na casa do meu vizinho Clemente Santos, lá na rua Irmã Beata, onde morei durante algum tempo. Clemente dos Correios, como era mais conhecido, era um aficionado do futebol, técnico do juvenil do Ateneu. O Brasil conquistou o tri no México e Montes Claros pôde vibrar com o
título graças à garra de Toninho Rebello e de Edes Barbosa.
Foi uma vitória quase pessoal de Toninho, ainda que ele achasse que era obrigação da prefeitura custear o link que trazia a imagem até os lares dos montes-clarenses.
Há outra história que mostra como Toninho era mesmo meio fanatizado com televisão. Já no final de seu segundo mandato, juntou-se com Elias Siufi, Geraldo Borges, Raimundo Tourinho, José Correa Machado e João Bosco Martins, formou uma sociedade e juntos criaram a TV Montes Claros, que foi ao ar pela primeira vez em 1980 (me socorre Elias, se a data é esta mesmo) e por muito tempo seria uma glória para a cidade. Nenhum deles pretendia ganhar dinheiro com o empreendimento mas apenas realizar um sonho. Elias dirigiu a TV Montes Claros com incrível competência, primeiro como afiliada da Bandeirantes, depois da Globo. Tive o prazer de trabalhar com ele por mais de cinco anos,de 1989 a 1994. Tenho grande admiração por Elias, a quem até hoje chamo de "chefe". Este é outro cara a quem Montes Claros deve muito. Mato grossense, de Campo Grande, mudou-se para a cidade na década de 1960, para comandar a ZYD-7, e daqui nunca mais saiu. Adotou e foi adotado por Montes Claros.
Mas não tenham dúvidas: não fosse Toninho, não teria havido TV Montes Claros. Foi ele, junto com Elias, que embalando o sonho de dar à cidade um canal próprio de televisão, juntou o capital necessário para o investimento, que não era pequeno. Não sei, posso estar errado, mas penso que se Toninho não tivesse morrido, Elias não teria vendido a TV Montes Claros. De qualquer forma, se a cidade chegou um dia a ter um canal próprio de televisão, de um grupo de empreendedores locais - ou seriam sonhadores locais - isto só foi possível pela capacidade visionária de Toninho e de Elias, que acreditaram no sonho e correram atrás. Mas como tem sido ressaltado aqui por diversas vezes, esta era uma das qualidades mais presentes em Toninho Rebello: a persistência com que perseguia os sonhos, especialmente se de alguma forma isto viesse a beneficiar a cidade que ele tanto amava.
Infelizmente, depois que deixou a prefeitura, Toninho sofreu muito vendo os projetos que deixara prontos sendo relegados a segundo plano (ou mesmo engavetados) pelos prefeitos que vieram depois. Várias vezes, bebendo um gole comigo, no restaurante Quintal, do Waltinho, Toninho me confessou que ficava triste por ver que muita coisa boa que projetara para a cidade não seria executada. Tomando sua pinguinha com coca-cola, mistura que ele mais gostava, prognosticava, sem mágoa, mas ressentido: "ao abandonar o projeto viário que deixamos pronto, os prefeitos estão condenando a cidade a conviver com um trânsito impossível num futuro próximo". Ele estava coberto de razão.

(Extraído do livro "Toninho Rebello, o Homem e o Político", de Ivana Rebello e Jorge Silveira, a ser lançado na noite de hoje, 25 de fevereiro, no Parque de Exposições, em M. Claros)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79494
De: José Ponciano Neto Data: Qua 25/2/2015 01:53:26
Cidade: Montes Claros-MG
Caro Hildebrando. Mens: 79493. a cidade de Montes Claros está cheia de dominicanos, haitianos e jamaicanos, todos trabalhando temporariamente. Chega!! Como? Ninguém sabe... Trabalham em lanchonetes ou em malharias (confecções de roupas) de fundo de quintais. Depois das desilusões, ficam procurando outros empregos ou pedindo dinheiro para sobrevivências e volta para países de origem. Pelo visto, até agora... são pessoas boas. Faltam acompanhamentos.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79493
De: Hildebrando Data: Ter 24/2/2015 20:32:24
Cidade: M. Claros
Sinal dos tempos. Vi há pouco, num desses barzinhos da Avenida Sanitária, um jovem mendigo pedindo dinheiro "para pinga, sou sincero", mas...em inglês. Disparava frases completas. Mulato, demonstrando inteligência e espírito, e ainda pedia um beijinho às moças presentes. Sinal muito condizente com os tristes dias que correm.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79492
De: Motorista Data: Ter 24/2/2015 17:00:04
Cidade: Montes Claros MG
Continua a paralisação da BR 251 nos dois sentidos enfrente ao Posto Dangelis.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79491
De: Adilson Data: Ter 24/2/2015 15:27:32
Cidade: Montes Claros  País: Brasil
Caminhoneiros Fecham BR 251 Nos dois sentidos próximo ao posto D`angiles.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79490
De: Polícia Federal - (Gissele Niza) Data: Ter 24/2/2015 10:54:16
Cidade: M. Claros
E-mail: niza.gissele@gmail.com
PF prende ex-prefeito de São Francisco - Montes Claros/MG - A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira, 24 de fevereiro, o ex-prefeito de São Francisco/MG, Oscar Caetano Neto.
A prisão decorre de sentença condenatória, com trânsito em julgado, expedida pelo juízo da 1ª Vara Federal de Montes Claros/MG.
O ex-prefeito foi condenado por sacar, em 16/11/2000, diretamente “na boca do caixa”, da conta corrente n. 5.845, do Banco do Brasil, Agência 0494-4/São Francisco/MG, de titularidade da Prefeitura Municipal de São Francisco/MG, a quantia de R$ 8.478,00.
O recurso havia sido depositado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, a título de repasse voluntário do Programa Dinheiro Direto na Escola – PDDE, que deveria ser utilizado em benefício da Escola Antonio Braga e outras, naquela cidade.
A pena definitiva aplicada ao ex-prefeito foi de 4 (quatro) anos e 4 (quatro) meses de reclusão, além da inabilitação pelo prazo de 05 (cinco) anos para o exercício de cargo ou função pública, eletivo ou de nomeação.
Em razão da interdição do presídio regional de Montes Claros/MG, o preso foi encaminhado à cadeia pública da Comarca de São Francisco/MG.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79489
De: César Data: Ter 24/2/2015 09:46:56
Cidade: Montes Claros
1787, de Thomas Jefferson, pai da República norte-americana:

“Sendo a base de nossos governos a opinião do povo, o primeiro objetivo deve ser o de manter esse direito; e se fosse deixado para mim decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem um governo, não hesitaria um momento em preferir a última hipótese. Mas devo dizer que todo homem deve receber os jornais e ser capaz de lê-los.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79488
De: Bianca P. Data: Seg 23/2/2015 19:45:24
Cidade: MOC
"Pé d`agua" no Maracanã e região. Choveu rápido, mas o suficiente pra molhar bem. É Deus quem decide mesmo. A meteorologia, por exemplo, nem previa chuva para hoje.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79487
De: Ildefonso Data: Ter 24/2/2015 08:29:55
Cidade: M. Claros
Alvíssaras! Eu que sou otimista radical e creio em Deus quero ser o primeiro a trazer estas alvíssaras, que o dicionário define como "boas novas": a meteorologia elevou a chance de chuvas em M. Claros, de quinta-feira e até a semana que vem. Na seguinte proporção: 2mm quinta, 10 sexta, 15 sábado, 12 domingo, 3 segunda, 15 terça, 13 quarta e 2 quinta, que é o último visto pela previsão do tempo, neste boletim que saiu há pouco. Agora, o tempo está parcialmente nublado na cidade.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79486
De: Ivana Rebello Data: Seg 23/2/2015 17:03:49
Cidade: Montes Claros

Vinte e um


A verdade é que Toninho, para viver, dispensou o seu próprio medo. O corpo tornou-se desnecessário. Para viver, ele dispensou a sua imagem, a sua escultura, o seu comportamento. Ele foi efetivamente o homem público número um desta cidade. Foi o autêntico mineiro. Ninguém o excedeu e jamais o excederá.
(Francelino Pereira)


Aos vinte e um dias do mês de Abril, de 1918 nascia Antônio Lafetá Rebello. O número 21 emblemático
na sua vida. 2121 seria a placa do inesquecível corcel marrom, velhinho, que o acompanharia por toda a vida e seria seu único carro de trabalho, e com o qual se dirigia todos os dias à prefeitura, durante sua gestão como prefeito. Jamais utilizou um veículo público para si, nem permitiu que qualquer colaborador utilizasse de qualquer regalia política em benefício pessoal.
Essa atitude não significava intenção de voto nem qualquer pendor populista, ao contrário, ele foi uma das pessoas mais sinceras que conheci. Era a atitude de um homem íntegro e de um político raro, que sabia distinguir com severidade a fronteira da coisa pública e da esfera privada. Falava o que pensava, não se importando com as consequências de suas palavras; nunca quis ser simpático, embora fosse muito brincalhão e espirituoso. Era avesso a adulações e honrarias.
Na verdade, nunca se sentiu bem em ambientes sofisticados e excessivamente formais; envergava terno e gravata, em ocasiões muito raras, apenas pela força do cargo. Vestia camisas alvas, imaculadas, como lembrou Paulinho Narciso em bela crônica, alvas como sua consciência e sua retidão e, certamente, testemunhas do desvelo de sua esposa, Marcolina, sua sempre companheira.
Cercava-se de amigos de todos os lugares e origens, partilhava da intimidade do governador Francelino Pereira, de quem era grande amigo, e de centenas de amigos anônimos, desvalidos alguns, a quem secretamente ajudava e os quais a família só veio a conhecer no dia de seu velório. Muita gente compareceu para despedir-se daquele que a ajudara, sem fazer disso estardalhaço ou bandeira política.
Discretíssimo, ele preferia, nas horas vagas, refugiar-se na fazenda Santa Clara, junto com sua mulher e filhos. Lá, sentava-se à varanda, ao final de mais um dia de trabalho, para ver o pôr-do-sol do sertão, sempre um belíssimo espetáculo de cor. Então, era possível ver passar o gado frente à cerca, em seu lento caminhar, levando o ferro 21, que era o seu.
Enquanto esteve à frente da prefeitura, conduzindo a gestão municipal, afastou-se de suas atividades particulares, delegando ao filho mais velho, Jayme Rebello Neto, a gerência de seus negócios. Dedicou-se integralmente à causa pública e sequer pegou para si um único mês de seu salário como prefeito. No final da vida, estando um dia em sua casa, conversando com seus filhos e talvez pressentindo que o fim chegava, disse-lhes que, se não tivesse trabalhado tanto por Montes Claros, poderia ter deixado a eles uma fortuna considerável.
Todos nós sabemos que seus filhos herdaram muito, em se falando de bens materiais, pois Toninho Rebello foi trabalhador incansável, destacando-se em vários empreendimentos em Montes Claros. Assim como seu pai, foi destemido, arrojado e inteligente nos negócios. Naquele dia, todos os seus filhos o contradisseram, dizendo que ele escolhera o único caminho que lhe fora possível escolher. Às vezes, um homem não pode se furtar ao chamado da vida.
O número 21, que ele escolheu como marca, resguarda vários significados, segundo a numerologia: destaca uma pessoa de forte personalidade, um líder nato, dotada de muita autoconfiança, por isso, fadada a ter sucesso em tudo o que faz. Esse também é o número que indica coragem, independência nas ações e pioneirismo. Uma intuição ou uma dose de teimosia fez com que ele adotasse o 21 como o referente numérico de si. Aliás, todos os livros que possuía estavam marcados na página 21. Na lei brasileira, 21 assinala a maioridade penal - época em que o homem se torna plenamente responsável por seus atos. Essa mistura de carisma, coragem e independência constituía o homem singular que foi Antônio Lafetá Rebello.
Os seus filhos sempre souberam, além de tudo que a maior herança de um homem não é constituída de bens móveis ou imóveis. O verdadeiro e maior legado de um homem é seu patrimônio moral.

(Extraído do livro "Toninho Rebello, o Homem e o Político", de Ivana Rebello e Jorge Silveira, a ser lançado na noite de 25 de fevereiro, no Parque de Exposições, em M. Claros)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79485
De: Estado de Minas Data: Seg 23/2/2015 17:37:14
Cidade: Belo Horizonte
Acusado de matar estudante de medicina é solto por engano em presídio de Montes Claros - Leandro Dantas estava preso pelo assassinato da ex-namorada em agosto de 2014. Agora, ele precisa ser recapturado para aguardar o julgamento - Luiz Ribeiro - Foi liberado no último fim de semana o ex-modelo Leandro Dantas de Freitas, de 28 anos, que estava recolhido no Presídio Regional de Montes Claros pelo assassinato da ex-namorada, a estudante de medicina Sara Teixeira de Souza, de 35, crime ocorrido em 5 de agosto de 2014 e que chocou a cidade. Leandro é acusado de matar a vítima, a facadas, dentro de casa, simplesmente por ela não aceitar o fim do relacionamento. Nesta segunda-feira, o juiz Isaías Caldeira Veloso, da Primeira Vara Criminal de Montes Claros, confirmou que o preso foi solto por engano e que deve ser recapturado imediatamente.
O magistrado informou que foi expedido um mandado de soltura de Leandro Dantas pelo cumprimento de pena de cinco meses, referente a condenação pelo crime de agressão contra a mesma vítima, baseada na Lei Maria da Penha. Acontece que, explicou Caldeira Veloso, ao receber o documento, o servidor da Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) fez confusão e considerou que o alvará era referente ao crime de homicídio. “Foi um equívoco. Não vi má fé por parte do servidor”, disse o juiz, lembrando que, diante do erro, Leandro Dantas terá que ser recapturado imediatamente, pois foi preso em flagrante logo após o assassinato da estudante de medicina e terá que continuar atrás das grades até o julgamento, a ser marcado pelo Tribunal do Júri.
O advogado Otávio Batista Rocha, que defende o ex-modelo, afirmou que entrou com um pedido de liberdade do seu cliente, alegando que ele é dependente químico e sofre de problemas mentais. Por outro lado, admitiu que caso seja comunicado de que foi solto por engano Leandro Dantas estará disposto a se apresentar para cumprir a ordem da Justiça e aguardar o julgamento na prisão. Até o final da tarde desta segunda-feira, ele continuava livre.
Sara Teixeira de Souza, que cursava o oitavo período de medicina, foi morta a facadas dentro do apartamento onde morava, no bairro Ibituruna, área de classe média/alta de Montes Claros. Na época do assassinato, Leandro Dantas deveria estar preso. Existia um mandado de prisão preventiva contra ele, por causa de ameaças contra a mulher. No entanto, o mandado não foi cumprido a tempo. A Polícia Civil alegou que, após receberem o mandado, procuraram por Leandro, mas não conseguiram localizá-lo. Ele acabou sendo preso somente depois da morte da ex-namorada, quando tentava fugir, na rodoviária da cidade.
A reportagem entrou em contato com Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) para esclarecer o caso e aguarda resposta.
***
Jornal O Tempo - Suspeito de matar ex-namorada é solto por engano no Norte de Minas - Secretaria de Estado de Defesa Social informou que vai apurar o motivo da soltura indevida; crime aconteceu em agosto do ano passado - Bruna Carmona - O homem suspeito de matar a ex-namorada a facadas em Montes Claros em agosto do ano passado foi solto por engano na última sexta-feira (21). L. D.F., de 28 anos, estava detido no Presídio Regional de Montes Claros pela morte da estudante de medicina Sara Teixeira de Souza, de 35, e pelo descumprimento de uma medida protetiva.
Segundo a Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi), o suspeito conseguiu a soltura apenas pelo crime de violação à Lei Maria da Penha, mas um funcionário do órgão se confundiu e autorizou a liberação de L.D.F., que deveria continuar preso por homicídio. Segundo a Secretaria de Estado de Defesa Social (Seds) a direção-geral do Presídio Regional de Montes Claros instaurou um Procedimento Interno para apurar as responsabilidades pela soltura indevida do detento. Ainda de acordo com a secretaria, até as 19h desta segunda-feira, L.D.F. ainda não havia retornado à unidade prisional onde estava detido.
A reportagem de O TEMPO tentou contato com o advogado do suspeito, mas ninguém atendeu às ligações.

O caso
A estudante de medicina Sara Teixeira de Souza, de 35 anos, foi assassinada pelo ex-namorado dentro de seu apartamento, em Montes Claros, no Norte do Estado, em 5 de agosto de 2014. O crime aconteceu no bairro Ibituruna, considerado de classe média alta na cidade.
O suspeito, que é comerciante, foi preso poucas horas depois de deixar o prédio onde a estudante morava. Ele foi detido na rodoviária da cidade e confessou o crime na delegacia. L.D.F., de 28 anos, contou que esfaqueou a vítima depois de uma discussão, porque teria visto a estudante com outro homem, mas essa informação não foi confirmada. Ele disse também que estava sob o efeito de entorpecentes e remédios de uso controlado e que não lembrava detalhes do que fez.
Na época do crime, L.D.F. estava com um mandado de prisão em aberto há cerca de três meses, por descumprir a medida protetiva que outra mulher havia conseguido na Justiça contra ele.
Sara cursava o 6º período do curso de medicina e era natural da cidade de Porteirinha. Ela deixou uma filha, de 15 anos.
***

Estado de Minas - Corregedoria da Polícia Civil vai investigar soltura de acusado de matar estudante de medicina - O ex-modelo Leandro Dantas de Freitas, de 28 anos, foi solto por engano em Montes Claros, na Região Norte de Minas Gerais. A polícia fez buscas na cidade, mas sem sucesso - Luiz Ribeiro - A Corregedoria da Polícia Civil de Minas Gerais instaurou, nesta terça-feira, um inquérito e uma sindicância administrativa para verificar se houve crime ou falha disciplinar na soltura por engano do ex-modelo Leandro Dantas de Freitas, de 28 anos. O homem é acusado de assassinar a ex-namorada, a estudante de medicina Sara Teixeira de Souza, de 35, em agosto de 2014. Um delegado e um investigador que estavam de plantão em Montes Claros, na Região Norte de Minas Gerais, no dia em que Freitas deixou a cadeia, estão sendo investigados.
Depois de pedir a expedição de um mandado de recaptura pela Vara do Tribunal do Júri, nesta tarde, equipes da Polícia Civil fizeram buscas por Leandro Dantas na cidade. Mas, o assassino confesso não foi encontrado e segue foragido.
A soltura ainda causa repercussão em Montes Claros, principalmente nas redes sociais. Conforme informou o juiz Isaías Caldeira Veloso, da Primeira Vara Criminal de Montes Claros, foi expedido um mandado de soltura para ele pelo cumprimento de pena de cinco meses, referente a condenação pelo crime de agressão contra Sara Teixeira de Souza, baseada na Lei Maria da Penha. Porém, relatou o magistrado, ao receber o documento, a equipe da Polícia Civil que estava de plantão se confundiu e considerou que o alvará era referente ao crime de homicídio. Por isso, decidiu liberar o ex-modelo. Na verdade, como foi preso em flagrante, no dia do assassinato, ele deve ser mantido atrás das grades até o dia do julgamento pelo crime.
Quando Leandro cometeu o homicídio, ele deveria estar preso, já que existia um mandado de prisão preventiva contra o ex-modelo, devido as agressões contra Sara, mas a Polícia Civil alegou que não conseguiu encontrá-lo para fazer a prisão a tempo.
Nesta terça-feira, o delegado regional de Montes Claros, Giovane Siervi Andrade, informou que foi instaurado o inquérito e aberta sindicância administrativa para investigar se houve crime ou transgressão (falha) disciplinar na liberação equivocada de Leandro Dantas por parte do delegado e de um investigador que estavam de plantão no último fim de semana. A apuração está sob responsabilidade do delegado Jean Pierre Batista Neves e deverá ser concluída dentro 30 dias. Os nomes dos investigados não foram divulgados.
O delegado Giovani Siervi Andrade não quis emitir nenhum comentário sobre o comportamento dos dois policiais que libertaram o autor confesso do assassinato da estudante de medicina. Por outro lado, ressaltou que, a princípio, não existe suspeita de facilitação dos policiais para que o preso fosse colocado em liberdade irregularmente. “Não houve suspeita de facilitação. O que ocorreu foi um erro e vai ser investigado se esse erro configura crime ou transgressão disciplinar”, assegurou o delegado regional.

Revolta

A soltura de Leandro Dantas por engano revoltou familiares da vítima Sara Teixeira, que moram em Porteirinha (Norte de Minas). “Isso é um absurdo, Nem acreditei quando ouvi a notícia de que aquele monstro foi solto por engano. Ele é um demônio que destruiu minha família”, disse, aos prantos, a comerciante Maria Cícera Teixeira, mãe da estudante de medicina. “Queremos que justiça seja feita’, completou a mulher.
***
Estado de Minas - Solto por engano, suspeito de matar estudante de medicina em MG se apresenta à polícia
O ex-modelo Leandro Dantas de Freitas, de 28 anos, estava sendo procurado desde o último fim de semana, quando deixou a cadeia por falha dos policiais - João Henrique do Vale , Luiz Ribeiro - O ex-modelo Leandro Dantas de Freitas, de 28 anos, que confessou ter matado a ex-namorada a estudante de medicina Sara Teixeira de Souza, de 35, se apresentou na tarde desta quarta-feira à delegacia, em Montes Claros, Região Norte do estado. O homem estava sendo procurado desde o último fim de semana quando foi solto por engano. A corregedoria da Polícia Civil de Minas Gerais abriu inquérito e uma sindicância administrativa para verificar se houve crime ou falha disciplinar na soltura.
Leandro Dantas se apresentou à delegacia acompanhado do advogado. O delegado responsável pelo caso já está ouvindo o homem. Ainda não há informações sobre o depoimento do ex-modelo.
A soltura no último fim de semana causou repercussão em Montes Claros, principalmente nas redes sociais. Conforme informou o juiz Isaías Caldeira Veloso, da Primeira Vara Criminal de Montes Claros, foi expedido um mandado de soltura para ele pelo cumprimento de pena de cinco meses, referente a condenação pelo crime de agressão contra Sara Teixeira de Souza, baseada na Lei Maria da Penha. Porém, relatou o magistrado, ao receber o documento, a equipe da Polícia Civil que estava de plantão se confundiu e considerou que o alvará era referente ao crime de homicídio. Por isso, decidiu liberar o ex-modelo. Na verdade, como foi preso em flagrante, no dia do assassinato, ele deve ser mantido atrás das grades até o dia do julgamento pelo crime.
Quando Leandro cometeu o homicídio, ele deveria estar preso, já que existia um mandado de prisão preventiva contra o ex-modelo, devido as agressões contra Sara, mas a Polícia Civil alegou que não conseguiu encontrá-lo para fazer a prisão a tempo.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79484
De: Alberto Sena Data: Seg 23/2/2015 08:42:17
Cidade: Grão Mogol

ALZHEIMER URBANO

Alberto Sena

Recordo-me como se fosse hoje dos dias em que descia a Rua Dr. Santos, em Montes Claros, de mão dada ao meu pai, José Batista da Conceição. Íamos ao mercadão antigo, aquele casarão da Praça Dr. Carlos. Íamos à feira. Meu pai segurava a minha mão e na outra levava uma sacola feita de lona. A sacola voltava cheia. Sinal de que íamos ter salada de frutas de sobremesa. Ou marmelada? Ou seria doce de cidra?
Acredito, por experiência prática, que os fios de lembranças são de matéria elástica e se vão espichando. O menino ficava excitadíssimo quando o pai dizia: “Vá calçar sapatos, vamos à feira”. Lavava os pés correndo, calçava os sapatos marrons de bicos carcomidos de tanto chutar pedra e lata na rua e íamos ao mercado.
Na Praça Dr. Carlos, esta mesma praça que alguém teve a bendita ideia de tirar essa fotografia hoje no acervo de Dona Maria das Dores Guimarães Gomes, dona Dorzinha chamada, agora representada por um dos filhos dela, Wagner Gomes, meu pai e eu adentrávamos o pórtico do casarão e na minha imaginação tinha certeza de que antes do casarão virar mercado, fora morada de gigantes.
Gigantes, sim. Se não eram gigantes pra quê fazer um casarão daquela altura?, com uma torre lá em cima e um relojão mais parecido com uma cebola branca marcando as horas. Meu pai tinha um cebolão e sempre o comparava com o relojão do mercado. Mas o que mais encabulava era aquela quantidade de cavalos, bruacas de couro cru, arcas, sacos e gente. Gente pitando cigarro de palha e cuspindo de lado.
O que mais interessava, enquanto pai escolhia o que queria levar eram os periquitos. Sempre tinha um em casa. Às vezes acontecia de um periquito voar porque ganhara asas para tal. Noutras vezes acontecia de um gato roubar-me o periquito. Criava-os com papa de fubá. Punha no bico com uma colher. Era bom ver como crescia e ganhava as penas verdinhas.
Seria o caso, hoje, de sacar uma foto do mesmo ângulo desta pra fazer uma comparação. Evidentemente, a foto antiga é muito mais bonita do que a de hoje. Basta levar em consideração a beleza da arquitetura de então. Os cavalos deram lugar aos cavalos dos motores de carros. A Praça Dr. Carlos de hoje é poluída.
A praça perdeu o casarão do mercado. Foi perdendo a memória a cada administração pública. As gerações de hoje só saberão como era a praça por meio de fotografias como essa que me levou a mergulhar na piscina da vida do menino, em meados da década de 50, quando os adultos falavam muito em nomes como o de Dona Tiburtina e Deba.
Além de ter compartilhado do facebook a foto da praça, tive a boa ideia de copiar os comentários a respeito dessa imagem que congelou o tempo. O primeiro é de Mara Narciso, que, criança ainda, ela diz se recordar de “alguns desses prédios”. Não sei, mas será possível ainda hoje encontrar resquícios desses imóveis com as características antigas?
Carmen Netto Victoria, na escuta, ela que é uma das testemunhas vivas da beleza dessa praça que a foto congelou a época. “A Praça Dr Carlos antes de ser descaracterizada, era tão bem cuidada!”, disse Carmen, que bem viveu e agora revive os bons tempos da Rua XV.
Mercia de Souza Lima Prates Revert: “Era linda” a praça. Minervino Sarmento de Pina Santos opinou também sobre a foto dando a impressão de que viveu esse tempo chamado de “época maravilhosa, lembro-me desses imóveis, como estão na foto”.
Flávio Guerra Maurício pelo jeito foi contemporâneo de Minervino, porque além de ter achado a foto um “espetáculo”, também se lembra da praça assim.
Virginia Abreu De Paula expressou o seu espanto: “Como é que pode ir piorando com o tempo?!” Chamou de “belíssima a casa dos Peres”. Embora historiadora, ela disse não ter certeza de que era mesmo a casa dos Peres. “Acho que é dos Peres; hoje é tudo feio ali”, disse ela.
Mabel Morais expressou toda a vontade de ter vivido essa época numa palavra: “Espetacular!!!!” Os pais dela, sim, devem ter curtido bons momentos na praça. Naquela época sabíamos, “a praça é nossa” diferentemente de hoje.
Como havia deixado para trás um acréscimo ao próprio comentário, Carmen Netto Victoria voltou – e fez muito bem ter voltado – pra dizer: “O jardim da praça era lindo, hoje não existe mais!”
Pois é, acrescento, enquanto o subdesenvolvimento for mental, as gerações de hoje e as que ainda virão não verão como era a cidade a não ser por meio de fotografias porque do dia para a noite tudo se transforma como reza a Lei de Lavoisier.
É o Alzheimer urbano – a “doença do alemão” – que há muitos e muitos anos atacou Montes Claros. E assim, não lentamente, a cidade vai perdendo a memória.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79483
De: Cemig Data: Seg 23/2/2015 08:35:07
Cidade: Montes Claros
E-mail: neli@cemi.;com.br
(...)História do Horário de Verão A ideia original do Horário de Verão é atribuída a Benjamin Franklin, em 1784, embaixador dos Estados Unidos na França, quando percebeu que o sol nascia antes das pessoas se levantarem, durante alguns meses do ano. Dessa forma, ele pensou, que se os relógios fossem adiantados em uma hora, naquele período, as pessoas poderiam aproveitar melhor a luz do dia, ao entardecer, e economizar velas, já que naquele tempo ainda não existia luz elétrica. Mas naquela época as suas ideias não despertaram o interesse das autoridades.
O primeiro país a adotá-lo foi a Alemanha, em 1916, durante a 1ª Guerra Mundial, tendo em vista sua necessidade de se economizar energia elétrica por causa da guerra, principalmente de origem térmica, a carvão e óleo.
No Brasil, o horário de verão foi instituído pela primeira vez no verão de 1931/1932, pelo então presidente Getúlio Vargas. Ele foi adotado 11 vezes entre 1931 e 1968, de forma descontinuada, voltando depois no verão de 1985/1986, e a partir daí em todos os anos até hoje, durante 30 anos seguidos
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79482
De: Marcelo Eduardo Freitas Data: Sáb 21/2/2015 08:58:36
Cidade: montes claros  País: Brasil
E-mail: marcelo.mef@dpf.gov.br
VOCÊ SABE O QUE É "REFORMA POLÍTICA"?

* Marcelo Eduardo Freitas

A partir do século XVII, surge na Europa um movimento intelectual que defendia o uso da razão para promover mudanças na sociedade. Refiro-me aqui ao pensamento iluminista que, a grosso modo, contestava o modelo de sociedade que surgiu a partir do século XV, caracterizada pelo chamado Antigo Regime.
Jean-Jacques Rousseau, pensador suíço e iluminista, é o autor da consagrada frase que bem define as bases da chamada soberania popular: "Todo poder emana do povo e em seu nome será exercido". A assertiva proclamada por Rousseau está inscrita em diversas constituições democráticas de todo o planeta e constitui a base de nossa Constituição Federal. Está lá em seu primeiro artigo: "Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição".
Ocorre que, em uma rápida interpretação social de nosso texto constitucional, temos observado que, de fato, todo poder emana do povo. Por vezes, em raras exceções, para o povo e quase nunca em benefício da sociedade brasileira. O que fazer?
Caro leitor, estamos em plena discussão sobre a reforma política em nossa nação. Você não pode ficar alheio a esse debate! Em apertada síntese, a reforma política pode ser entendida como um conjunto de mudanças que pretende aperfeiçoar o sistema eleitoral brasileiro. Cuidam-se de propostas para uma reorganização do sistema político, que não foram apreciadas quando da elaboração de nossa atual Constituição.
Existem várias propostas, elaboradas por diversos segmentos da sociedade organizada e partidos políticos. Alguns pontos merecem profunda reflexão: Financiamento de campanha, candidatura avulsa, igualdade de gênero na composição das candidaturas, suplência de senador, coligações, voto facultativo, voto distrital, fidelidade partidária, fortalecimento da democracia participativa, reeleição, fim do foro privilegiado, entre outros.
De forma corajosa, a igreja, a OAB e mais de cem entidades se uniram em defesa do projeto da chamada reforma política democrática. A proposta é baseada em quatro eixos considerados essenciais: Proibição do financiamento de campanha por empresas e adoção do Financiamento Democrático de Campanha; eleições proporcionais em dois turnos; paridade de sexo na lista pré-ordenada e fortalecimento dos mecanismos da democracia direta, com a participação da sociedade em decisões nacionais importantes.
Mas você sabe como a reforma política pode ser concretizada? Basicamente, de duas maneiras: a) Por uma Proposta de Emenda Constitucional, que modificaria algumas regras da Constituição. Exemplo: O fim da chamada reeleição, hoje permitida por um período subsequente; b) Por uma Assembleia Constituinte, formada por um grupo especial de deputados e senadores, que tem o poder de modificar a Constituição ou mesmo elaborar uma outra.
Assim, do ponto de vista legal, um plebiscito ou referendo, que são formas de participação popular, não seriam necessárias para que as mudanças fossem feitas. Acontece que, como a reforma política vem sendo demandada pelo próprio povo, de longa data, o mais democrático e almejado é no sentido de que os eleitores participem e ratifiquem ou não as mudanças propostas. É importante esclarecer que um referendo é mais interessante para o Congresso, pois todo o poder permanece nas mãos dos deputados, que deixariam para a população apenas referendar ou não as mudanças estabelecidas. Por essa razão, louvam-se as campanhas que buscam a coleta de assinaturas para a apresentação de projeto de lei de iniciativa efetivamente popular. Busque conhecer um pouco mais em sua comunidade.
Como se observa, de forma muito rápida, nossa democracia na realidade é enganadora e atrasada. Fique atento. Se realmente queremos um país e um governo que trabalhem em favor do povo, gastando os recursos públicos para o bem de todos, respeitando verdadeiramente o cidadão, é urgente o apoio à reforma política e partidária em nossa nação. Conhecer o que se passa já é o primeiro passo desta longa caminhada!
Para reflexão, lego aqui as palavras do Papa Francisco em sua obra Corrupção e Pecado: "A corrupção não é um ato, e sim um estado, estado pessoal e social, no qual a pessoa se acostuma a viver. Os valores (ou desvalores) da corrupção são integrados a uma verdadeira cultura, com capacidade doutrinal, linguagem própria, modo de proceder peculiar. É uma cultura de ‘pigmeização`, que insiste em convocar adeptos para rebaixá-los ao mesmo nível da cumplicidade admitida e corrupta... É uma cultura do diminuir: diminui-se a realidade em prol da aparência".
Somos os atores principais das mudanças que estão por vir! Mas cada um tem um papel a cumprir. Pense nisso. Qual o seu papel?

(*) Delegado de Polícia Federal e Professor da Academia Nacional de Polícia
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79481
De: Jorge Silveira Data: Sáb 21/2/2015 18:51:52
Cidade: Montes Claros
O respeito com o dinheiro público

Se havia uma coisa da qual Toninho Rebello não abria mão, como prefeito, era um tremendo respeito com o dinheiro público. E exigia o mesmo comportamento de todos os seus auxiliares, indistintamente. Mas era ainda mais duro e exigente com aqueles secretários com os quais tinha mais intimidade.
Ou mais afeição. Estes ele tratava como um paizão, pois mesmo sendo um homem geralmente carrancudo, de semblante duro, tinha um coração mole como manteiga com aqueles de quem gostava um pouco mais. Ou muito mais, em alguns casos. Waltinho era um deles. Lourinho (Lourival Alcântara)
era outro. Ambos não tinham diploma, curso universitário, nem indicação política, mas ambos eram dois pés de boi. Não tinham medo de serviço pesado.
- Se eu preciso de que alguma coisa seja bem feita, com presteza, é só entregar para o Waltinho. Ou para o Lourival.
Se tiverem que descer ao inferno para cumprir a ordem, eles descem. Aí, posso ficar descansado, não preciso ficar cobrando. - Não foi nem uma nem duas vezes que Toninho me disse isto. E olha que, constantemente, ele ouvia de outros secretários que não devia confiar muito em Waltinho, pois ele bebia muito. "Por acaso você já o viu bebendo no serviço?", Toninho perguntava aos que falavam mal de Waltinho. "Não? Então deixe ele por minha conta". E era por causa desta confiança que o prefeito tinha nele, que Waltinho nunca o decepcionou. Muitas vezes - e não poucas - ia trabalhar numa tremenda ressaca, mas nunca faltava ao serviço. Sabia que tinha que corresponder à confiança e à amizade de Toninho, por quem tinha grande respeito e admiração.
Certa vez, Toninho estava no gabinete conferindo e assinando algumas ordens de pagamento. Ele não assinava nada, mas nada mesmo, sem conferir, mesmo tendo inteira confiança em Joel (Guimarães, secretário da Fazenda). Eu estava sentado conversando com Guarinello (Expedito, chefe de gabinete) quando, de repente, Toninho vira para Guarinello e lhe pede para chamar o Wanderley (Fagundes, secretário de Serviços Urbanos). Não disse para quê. Wanderley demorou, pois estava fora da prefeitura. Tinha saído com Ciríaco (Serpa de Menezes, secretário de Planejamento), para olhar algum problema na obra da Sanitária (Avenida Deputado Esteves Rodrigues), em construção e que seria a maior obra do segundo mandato de Toninho. Por sinal, para muitos, até hoje a maior obra construída em Montes Claros, que pode ser vista da seguinte forma: antes e depois da Sanitária.
Quando Wanderley chegou, Toninho lhe entregou uma ordem de pagamento e perguntou: "que despesa é esta? Não estou entendendo". Wanderley olhou e logo respondeu: "são as notas da viagem que fizemos a semana passada a Belo Horizonte, para aquela reunião no DER. Toninho parou o que estava fazendo, olhou para o Wanderley, e lhe disse em tom de censura: "na nota do hotel consta uma dose de uísque. Vou mandar o Joel estornar. A prefeitura não tem obrigação de pagar uísque para secretário. Você sabe disso. Se você não pode pagar do seu bolso, então não beba". Wanderley não aguentou e começou a rir. " Ora, uma simples dose de uísque, Toninho, que eu peguei no frigobar, à noite, antes de dormir. Nem me lembrei disso na hora de pagar a conta". Eu e Guarinello, que havíamos escutado a conversa, também achamos graça. Toninho continuou sério, assinando o resto da documentação. Nem deu bola para a explicação de Wanderley.
Ele era assim. Economizava o que fosse possível para o município. Ainda que em certos momentos tivesse que passar uma reprimenda em algum de seus auxiliares, como no caso do Wanderley (outro para quem Toninho tinha muita afeição).
Talvez por isso, o dinheiro da prefeitura tenha rendido tanto em suas duas administrações, época em que a cidade se encheu de obras, isto num tempo em que os recursos eram bem mais escassos do que hoje. E muitas dessas obras estão aí até hoje servindo à comunidade, como a Rodoviária, o Centro Cultural Hermes de Paula, o Parque Municipal Milton Prates, a Deputado Esteves Rodrigues, o Ceanorte, para lembrar apenas as mais importantes na cidade foi Toninho quem construiu. Segundo ele, "para amenizar a temperatura", pois Montes Claros era uma cidade muito árida e quente.
Como bom "mão de vaca" que era, o lago não custou um centavo sequer para o município, pois Toninho conseguiu que ele fosse construído pelo DNOCS, do qual seu secretário de Planejamento, Ciríaco Menezes, era funcionário.
O diretor regional do DNOCS, na época, Luiz Antônio Medeiros, está aí vivo para contar a história. Até porque, sem sua efetiva participação, talvez o lago não existisse. Depois de Toninho, em meus mais de 50 anos de jornalismo, nunca encontrei um homem público que tivesse tanto respeito com o dinheiro do contribuinte. Ao contrário, o que se vê por todos os cantos, em todos os governos, é um tremendo desrespeito com o dinheiro dos impostos, que serve para custear todos os tipos de mordomias, pouco sobrando para o essencial. Com Toninho, mordomia não existia. Nem carro oficial o gabinete do prefeito tinha. Toninho andava no seu próprio carro. Com gasolina paga do próprio bolso. No primeiro mandato, num fusquinha verde; no segundo, num corcel marrom. Difícil de acreditar, mas era assim.
Qual prefeito hoje, mesmo dos municípios mais pobres, não tem um carrão da prefeitura para rodar? Por sinal, a maioria dos prefeitos, tão logo se elegem, a primeira coisa que fazem é comprar um carro dos mais caros para a própria locomoção.

(Extraído do livro "Toninho Rebello, o Homem e o Político", de Ivana Rebello e Jorge Silveira, a ser lançado na noite de 25 de fevereiro, no Parque de Exposições, em M. Claros)
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79480
De: Adriano Data: Sex 20/2/2015 10:57:49
Cidade: Montes Claros
Ao contrario do dito aqui pelo muralista Oswaldo, a ponte da Avenida Sidney Chaves não está pronta. Verifiquei no local que já estão mexendo na estrutura construída. Não informaram se é reforço na construção da ponte ou porque ela ficou menor que o vão. Parece que o projeto executado estava errado. Com a palavra a Prefeitura.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79479
De: José Prates Data: Sex 20/2/2015 10:55:45
Cidade: Rio de Janeiro - RJ
Estou lendo emocionado, o que Ivana Rebelo escreveu sobre Toninho Rebelo. O seu relato levou-me de volta aos idos anos quarenta vivendo a juventude numa cidade de sonhos. Conheci Toninho e com ele tive muitos contato, principalmente quando eu trabalhava no Jornal de Montes Claros. Recordar é viver, mas, também, nos faz sofrer porque o que passou ficou no passado, não volta nais.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Mensagem N° 79478
De: P. Militar - 11ª RPM Data: Sex 20/2/2015 09:31:40
Cidade: Montes Claros
Policiais Militares ontem 19, por volta das 20h15min, durante patrulhamento pela Av. Leonel Beirão de Jesus, Bairro Vila Luiza, nesta cidade, ouviram vários disparos de arma de fogo e em seguida deparam com as vitimas H. R. A., 22 anos; e D. S. V., 29 anos, possui várias passagens pelos meios policiais, caídas ao solo. Equipes do SAMU compareceram ao local, constatando que H. R., sofreu 02 (duas) perfurações de arma de fogo, na escapula esquerda e outra na coluna, próximo a cintura; a outra vítima D. S., foi atingido por 04 (quatro) disparos, um no braço direito, duas lado direito do tórax e uma na virilha, lado direito, sendo socorridos ao HPS, onde ficaram sob cuidados médicos. Segundo as vitimas abasteceram a motocicleta FAZER, placa HGQ-1530, num posto de combustível, quando saíram foram foram abordados por 02 (dois) indivíduos, numa motocicleta, os quais efetuaram diversos disparos contras elas e, em seguida, evadiram. Perícia compareceu ao local e realizou os levantamentos de praxe. Motocicleta FAZER liberada no local.
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a Link:

Página Anterior >>>

Abra aqui as mensagens anteriores:


Voltar à Página Inicial

 






Um olhar de Montes Claros sobre o que é notícia em toda parte
Uma janela para Montes Claros


Clique e acesse nosso Twitter
Siga o montesclaros.com


Últimas Notícias

03/03/15 - 13h
Chefe de segurança do Vaticano admite ameaça ao Papa pelo Estado Islâmico

03/03/15 - 12h
Pela meteorologia, chance de chuva em M. Claros deve diminuir 5ª feira e retornar depois de 11 de março

03/03/15 - 11h
Família proíbe informações sobre o cantor Cauby Peixoto, internado há 3 semanas em UTI de São Paulo

03/03/15 - 10h
Venda de carro cai 28% e montadoras registram o pior fevereiro desde 2007

03/03/15 - 9h
CBF determina a perda de pontos para clubes que atrasarem salários no Brasileiro

03/03/15 - 8h
Câmara Federal deve recuar de passagem aérea para mulher de deputado

03/03/15 - 7h
Após alta de até 32%, conta de energia ainda terá novo reajuste médio de 10% ainda este ano


02/03/15 - 18h
Xuxa vai a Silvio Santos, em Miami, antes de fechar acordo com a Record, revela colunista

02/03/15 - 17h
De olho em time argentino, técnico confirma mudanças no Cruzeiro

02/03/15 - 16h
Mercado antevê em 2015 PIB menor 0,58% - a maior contração em 25 anos

02/03/15 - 15h
Ainda insatisfeito, técnico do Atlético prevê confiança alta para o clássico contra o Cruzeiro

02/03/15 - 14h
Manchetes dos jornais: “Luz sobe mais uma vez hoje. Veja dicas para economizar” - “Copasa começa a cobrar sobretaxa neste mês” - “Arrocho do governo leva Brasil à recessão”

02/03/15 - 13h
Dois presos (e soltos) pela morte do universitário mineiro que bebeu 30 copos de vodca em disputa durante festa; o 2º classificado está em UTI

02/03/15 - 12h
Aluno desmaia a 4 mil metros de altura, e é salvo por instrutor paraquedista, que o alcança e abre o paraquedas. Veja as imagens

02/03/15 - 11h
4 assaltantes, armados, rendem fregueses de bar no Bairro Morada do Sol e levam 6 garrafas de uísque

02/03/15 - 10h
Copasa promete cobrar tarifação extra de quem exceder o consumo dos últimos 12 meses

02/03/15 - 9h43
"Às vezes, um grupo grande ali se reunia, para beber, comer e cantar modinhas de João Chaves. Marcolina, que adorava música, saia vez ou outra de seu discreto papel e integrava o coro de cantores"

02/03/15 - 9h05
Jornal Estado de Minas: "...desvio de recursos públicos das cidades de Pirapora, Coração de Jesus e Lagoa dos Patos, todas no Norte do Estado, onde ele foi prefeito. Atualmente, o prefeito é réu em 92 ações"

02/03/15 - 9h
Choveu 80 milímetros no fim de semana e pode chover 23 (reduzido para 15), hoje, em M. Claros

02/03/15 - 8h
Declaração do Imposto de Renda pode ser entregue de hoje até 30 de abril

02/03/15 - 7h
Corte no INSS já começa a valer hoje e deve atingir anualmente 55 mil viúvas ou viúvos


01/03/15 - 16h04
Já choveu cerca de 70mm em Montes Claros, sábado e domingo; e a meteorologia vê 23mm amanhã, segunda-feira

01/03/15 - 11h23
"A previsão mais favorável era de 24 milímetros de chuva em Montes Claros, neste sábado e domingo. Mas, até aqui, a chuva já é de 70 milímetros. (...) Chove, e está bom"

01/03/15 - 9h32
"Ao invés de preservar e aumentar o verde, construíram quadras pavimentadas e até mesmo um ginásio coberto em pleno parque, um verdadeiro atentado ao espírito do empreendimento. E vive, geralmente, em estado de pré-abandono, como se fosse uma obra de segunda categoria"


28/02/15 - 19h22
"Boas noticias. Foram duas pancadas de chuva, aos costumes. A segunda mais constante: deixou 30 milímetros de chuva na área central. Três vezes mais do que a meteorologia marcou. Foi uma chuva de acender as luzes do posteamento nas ruas, chuva geral, com nuvens bem escurecidas, solenes. Depois, com a cidade lavada, ares limpos, e leves, o sol ainda ....."

28/02/15 - 18h
China paga 119 milhões de reais e lidera, pela 1ª vez, gastos com jogadores do futebol brasileiro

28/02/15 - 17h
Em busca da reabilitação, Atlético terá titulares contra o Guarani pelo Campeonato Mineiro

28/02/15 - 16h
Revista cita empresários brasileiros com contas na Suíça investigados pela Receita

28/02/15 - 15h
Cruzeiro enfrentará o Tupi hoje, às 16h, pelo Campeonato Mineiro. A 98 FM vai transmitir o jogo

28/02/15 - 14h
Manchetes dos jornais: “Apaguem as luzes a conta vai subir 28,8%” - “Dilma sobe tributo em 150% e empresas preveem demissões” - “Imposto sobe até 150% e indústria teme desemprego”

28/02/15 - 13h
Reajuste da conta de energia já chega a 56% em um ano, comprova Federação do Comércio do Rio

28/02/15 - 12h
Mantida a previsão de 10 milímetros de chuva hoje e 14mm amanhã em M. Claros - chances são acima de 90%

28/02/15 - 11h
Nova regra do seguro-desemprego já vale para demitidos a partir de hoje

28/02/15 - 10h
Empresas acenam com demissão após alta de imposto, de até 150%

28/02/15 - 9h
Indonésia prepara caixões e envia soldados à ilha onde 2º brasileiro e outros condenados à morte serão fuzilados

28/02/15 - 8h
Ministro da Fazenda diz que desoneração da folha de pagamento era “brincadeira” e custou 25 bilhões de reais

28/02/15 - 7h
Conta de energia da Cemig terá reajuste médio de 28,8% já partir de segunda-feira


27/02/15 - 18h
Brasil tem 437 mil mandados de prisão para serem executados – a maioria em Minas, S. Paulo e Rio

27/02/15 - 17h
Corte na pensão e no auxílio-doença começará domingo

27/02/15 - 16h
Cientistas descobrem buraco negro 12 bilhões de vezes maior que o Sol

27/02/15 - 15h
Mercado de trabalho fecha 81 mil postos de emprego em janeiro. É o pior resultado para o mês desde 2009

27/02/15 - 14h
Inscrições para 209 vagas de agente de saúde em M. Claros podem ser feitas até o dia 4, com provas dia 15 e resultado em 18 de março

27/02/15 - 13h
Meteorologia puxa para hoje 10mm da chuva de 12 que ontem anunciou para M. Claros. A de sábado foi reduzida para 2mm e, a de segunda, caiu de 23 para 2mm

27/02/15 - 12h27
"Antes, porém, havia recomendado à mulher que fosse velado ali, na Igreja do Rosário, local onde havia se casado"

27/02/15 - 12h26
"Alguma coisa precisa ser feita, e de maneira urgente. A calamidade nas ruas está se agravando. Cumprir as leis é o caminho elementar, do qual ninguém pode se excluir. Ou pode? Basta ver o absurdo número de veículos, entre eles motos, que..."

27/02/15 - 12h
Manchetes dos jornais: “Dilma faz novo arrocho para equilibrar contas” - “Voo da alegria é tapa na cara do brasileiro” - “Ajuste pode cortar 22% do Orçamento até fim do ano”

27/02/15 - 11h
Medida provisória publicada hoje aumenta imposto sobre a folha de pagamentos em até 150%, a partir de junho

27/02/15 - 10h
Cientista italiano fala em transplante de cabeça, apesar dos "entraves éticos"

27/02/15 - 9h
Capa da “The Economist” mostra o Brasil no “atoleiro”, e menciona "completa - e provavelmente prolongada - recessão"

27/02/15 - 8h
Ministro diz a políticos que governo vai aumentar impostos dos contribuintes mais ricos

27/02/15 - 7h
“Amplitude” dos efeitos levou desembargador a suspender a ordem de bloquear o WhatsApp


26/02/15 - 18h
Tailândia vai reconhecer “terceiro sexo” em nova Constituição

26/02/15 - 17h
Quem dorme mais de 8 horas pode ter mais risco de sofrer um AVC, aponta pesquisa

26/02/15 - 16h
Estudo francês diz que pílula antes e depois do sexo pode evitar o vírus da Aids

26/02/15 - 15h
Desemprego fica em 5,3% em janeiro e é o maior desde setembro de 2013

26/02/15 - 14h
Manchetes dos jornais: “Mulher de deputado vai voar com nosso dinheiro” -“Pacote de bondades inclui viagem para mulher de deputado”- “Rebaixamento da Petrobras trava mercado para captação”

26/02/15 - 13h
Meteorologia anuncia que chuvas de sábado e domingo em M. Claros –num total de 26 milímetros - têm chance de 90%. A de segunda (de 23 mm), 60%

26/02/15 - 12h
Assaltantes armados, sempre de moto, atacam de madrugada. E atiram contra casa na saída da cidade

26/02/15 - 11h
Maconha para fins recreativos passa a ser legal na capital dos EUA, a partir de hoje

26/02/15 - 10h
Segunda derrota seguida complica situação do Atlético na Libertadores

26/02/15 - 9h
Câmara reajusta verba de gabinete e aprova passagens para esposas de deputados

26/02/15 - 8h
Caminhoneiros aceitam proposta do governo, mas bloqueio das estradas ainda pode continuar

26/02/15 - 7h
Juiz do Piauí manda tirar WhatsApp do ar em todo o Brasil. (À tarde, a ordem foi cassada)


25/02/15 - 18h
Cruzeiro começa hoje arrancada para ser o melhor do Brasil na Libertadores

25/02/15 - 17h
Economia está ruim para 71,6% dos brasileiros – constata Fundação Getúlio Vargas

25/02/15 - 16h
Atlético busca hoje, às 19h45, a reabilitação na Libertadores contra o Atlas, do México. A 98 FM vai transmitir a partida

25/02/15 - 15h
Álcool é 144 vezes mais mortífero do que a maconha, publica revista científica

25/02/15 - 14h
Manchetes dos jornais: “Cemig quer pagar R$ 15 mil mensais a ex-presidentes” - “Crise e corrupção tiram selo de bom pagador da Petrobras” “Inflação dispara e protesto nas estradas é nova ameaça”

25/02/15 - 13h
Juro do cheque especial atinge 208% e é o maior em quase 18 anos. O do cartão passa de 330% ao ano

25/02/15 - 12h
Chuva de 5ª a 5ª-feira em M. Claros, antevista ontem pela meteorologia, agora é mais provável entre sábado e 2ª feira

25/02/15 - 11h
Cemig quer pagar 15 mil reais mensais aos seus ex-presidentes – adianta jornal de BH

25/02/15 - 10h
Biogás dos aterros no Brasil pode gerar energia igual à de Furnas, sugere estudo

25/02/15 - 9h
Agência internacional de risco rebaixa a Petrobras e retira o selo de bom pagador

25/02/15 - 8h
2 a 4 anos de cadeia para quem vender, dar ou servir álcool a menores de 18 anos. Falta só uma assinatura

25/02/15 - 7h04
Profecia no livro que será lançado esta noite: "...ao abandonar o projeto viário que deixamos pronto, os prefeitos estão condenando a cidade a conviver com um trânsito impossível num futuro próximo"

25/02/15 - 7h
Ligação local e interurbana, feita de fixo para celular, é para ficar mais barata de 12% a 22%, desde ontem


24/02/15 - 18h
Jogadores do Atlético negam relaxamento, mas veem time desatento em campo

24/02/15 - 17h
Fifa recomenda Copa do Mundo do Catar entre novembro e dezembro

24/02/15 - 16h
Cruzeiro leva 19 jogadores para jogo de estreia na Libertadores contra time da Bolívia

24/02/15 - 15h
Brasil é o segundo país mais inseguro para mulher viajar sozinha, atrás da Índia



OUÇA E VEJA A 98 FM
Todos direitos pertecentes a Rádio Montes Claros 98,9 FM. O material desta página
não pode ser publicado, transmitido por broadcasting, reescrito ou distribuído
sem prévia autorização