Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - sábado, 29 de janeiro de 2022

Mural

Jornalismo exercido pela própria população

Deixe sua notícia neste Mural, clique aqui para enviar

Mensagem N°86057
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 27/1/2022 12:18:34
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Variações dos números de mortes por Covid-19 entre 6 a 13/01/22 e 20 a 27/01/22 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial de Saúde, em ordem decrescente dos percentuais.
12 países (60,0%) tiveram aumentos, variando de 6,2% (Reino Unido) a 329,3% (Argentina).
8 países (40,0%) tiveram reduções, variando de 0,3% (Rússia) a 42,3% (Polônia).

Classificação / País / Mortes 6 a 13/01/22 / Mortes 20 a 27/01/22 / Var. %
I) 5 maiores variações percentuais
1º Argentina* 324 1.391 +329,3
2º Colômbia* 389 1.582 +306,7
3º Brasil* 987 2.592 +162,6
4º Índia 2.159 4.007 +85,6
5º México* 922 1.664 +80,5
*4 países americanos

II) 5 menores variações percentuais
16º África do Sul 1.269 920 -27,5
17º Países Baixos* 85 61 -28,3
18º Filipinas 992 620 -37,5
19º Alemanha* 1.684 997 -40,8
20º Polônia* 2.272 1.311 -42,3
*3 países europeus
Fonte: OMS/JHU, 27/01/22, 8h2m

Em números absolutos de mortes o Brasil, que estava no 8º lugar em 20/01/22 (msg 86048), passou para o 4º lugar hoje, em ordem decrescente, com 2.592 mortes e média diária de 370 mortes, entre 20 e 27/01/22.
Países / Médias diárias de 20 a 27/01/22, até o 4º lugar
1º Estados Unidos 2.612, 2º Rússia 755, 3º Índia 572, 4º Brasil 370.
Os demais 16 países têm médias diárias de mortes variando entre 9 (Países Baixos) e 366 (Itália).

O Brasil teve um aumento de 162,6% na variação percentual, passando de 987 para 2.592 mortes, do 1º para o 2º período, permanecendo no 3º lugar, como ocorreu em 20/01/22.

O Mundo teve uma elevação de 29,2% hoje. Últimas 3 posições do Mundo: 27/01/22 +29,2%,
20/01/22 +26,2%, 13/01/22 +6,7%.
A maior redução do Mundo, de 13/08/21 até hoje, foi em 18/09/21, de 21,0%.

Últimas 3 posições da Argentina, pior colocada hoje: 27/01/22 1º, 20/01/22 1º, 13/01/22 4º.

A África do Sul, onde foi identificada a variante ômicron pela primeira vez, na primeira quinzena de novembro/21 e que foi 11a. colocada em 20/01/22, passou para o 16º lugar hoje, com redução de 27,5%

Melhor colocada hoje: Polônia, 20º lugar. Últimas posições: 20/01/22 15º, 13/01/22 17º, 6/01/22 13º.

Destaques negativos hoje: Índia, passou do 10º lugar em 20/01/22 para o 4º lugar hoje. Irã, do 19º para o 14º lugar.

Destaques positivos hoje: Reino Unido (do 8º para o 12º lugar) e Polônia (do 15º para o 20º lugar).

Dados do Mundo: Casos confirmados 362.697.586; Mortes 5.627.811. Fonte: OMS/JHU, 27/01/22, 8h37m.

Manchetes
g1/JH, 26/01/22: "Brasil bate oitavo recorde seguido na média móvel de casos conhecidos de Covid; média móvel de mortes sobe a 332."
"Seis Estados e o Distrito Federal estão com 80% ou mais de ocupação de UTIs para Covid, diz Fiocruz."

Afonso Cláudio
27/01/22, 12h11m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86056
De: Manoel Hygino Data: Quinta 27/1/2022 07:59:50
Cidade: Belo Horizonte

É só lucro

Manoel Hygino

Atravessamos um ano eleitoral. Muito propício ao levantamento de suspeitas sobre os candidatos adversários, de divulgação de boatos, acusações e mentiras, além de permitir a disseminação de promessas que, no fundo, não representam compromissos dos que se elegem.
Galeno Alvarenga, de Itabira como Drummond, formado em Medicina e Filosofia pela UFMG, distinguido com títulos e premiações que chegam a dar inveja, autor de excelente livro de Crônicas e Ensaios, lançado pela Editora Campos do Brasil, há exatamente vinte anos, nos oferece considerações sobre “quando as palavras mentem”, a partir da ideia de que, através delas “despertamos ou criamos crenças, valores, fantasias e desejos adormecidos que habitam nossas almas”.
Aí entramos no aspecto que vem ao tema: “O condutor de massas, o líder carismático e o grande pregador sempre usaram e abusaram das “palavras oportunas”, no momento certo. Somos, num certo grau, dóceis e fracos, sujeitos às manipulações continuadas dos mais espertos”.
Como funciona. “Em todos os tempos, um grupo dominou o outro para seu benefício. Assim é que na maioria das culturas os homens jovens e brancos, sadios, ricos, saudáveis, inteligentes e cultos exploraram as mulheres, os velhos, os negros, os pobres, os doentes, os deficientes mentais e os incultos. Este é o nosso destino: obedecer, sem refletir e sem o desejar, à vontade dos mais sagazes e com mais poder”.
Depois de focalizar os comerciantes, Galeno se refere aos políticos. Estes, “usando as palavras adequadas e comoventes, segundo o padrão da propaganda, oferecem-nos a justiça social, os empregos com salários altos para todos, a assistência médica de alto padrão, a proteção à criança abandonada e ao idoso, uma Justiça digna para os grupos marginalizados, uma alimentação abundante e barata. Em resumo, tudo o que é desejado por todos nós. Para quem? Para uma maioria que nunca imaginou poder alcançar tais coisas, compostas dos sem-casas, pivetes, negros e os brancos pobres, mulheres desempregadas ou com subempregos, crianças, analfabetos, deficientes mentais, etc., ou seja, pessoas sem oportunidades e estigmatizadas socialmente. Vivemos ainda sonhando com o paraíso perdido”.
Finalizando, o mestre em Filosofia, observa. “Quando se fala em melhoria do ensino, trata-se apenas de melhorar a capacidade de compreensão da leitura de instruções para que o operário saiba utilizar melhor o maquinário da empresa, aumentar a produção, a leitura de revistas que precisam ser vendidas, de propagandas diversas e, deste modo, haja mais consumo com mais lucro para as empresas”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86055
De: Manoel Hygino Data: Quinta 27/1/2022 08:00:37
Cidade: Belo Horizonte

Os combustíveis

Manoel Hygino

Os dias passam, discutem-se projetos nas casas do Congresso Nacional, aquecem-se os debates, mas o assunto permanece do mesmo tamanho: é o preço dos combustíveis no Brasil, que repercute nocivamente na inflação e nos preços de tudo, a começar pelas mercadorias indispensáveis à população.
Assim, a novela, de desfecho ignorado, estará na pauta ao se reabrirem os trabalhos na Câmara dos Deputados e no Senado. O chefe da nação prometeu zerar os tributos incidentes sobre o diesel, caso o Congresso autorize a proposta de emenda à Constituição que o Executivo negocia no Legislativo para reduzir o PIS/Cofins sobre o custo dos combustíveis no varejo.
Aliás, Bolsonaro foi taxativo: “A PEC é autorizativa. Eu prometo para vocês: se a PEC passar, no segundo seguinte à promulgação, eu zero o imposto federal do diesel no Brasil”. Mas a coisa não é tão simples assim.
O preço do barril de petróleo do tipo Brent no patamar mais elevado desde 2014 pode significar mais um problema para o bolso dos brasileiros, já debilitado pela crise econômica. Segundo especialistas, é razoável supor que, como consequência, o valor do combustível sofrerá novos reajustes.
Há alguns dias, a Petrobras subiu o preço da gasolina (4,85%) e do diesel (8,08%), mas é certo que haverá outros aumentos ao longo dos próximos meses. Cálculo realizado pela Ativa Investimentos mostra que, apesar das recentes altas, a Petrobras precisaria cobrar 48 centavos a mais para cobrir a defasagem do preço da gasolina doméstica nas refinarias em relação à cotação internacional.
Como se sabe, combustível caro afeta toda a economia. O assunto provavelmente ganhará amplitude em 2022 e é inevitável que entre nos debates eleitorais. Visões populistas não resolvem o problema.
O debate esquentará os próximos dias, em Brasília. Não há a menor dúvida. O fundamental é que se encontre uma solução que atenda aos interesses gerais do país, principalmente dos segmentos mais sofridos da população. Antes que inúmeros morram de fome.
Não é, contudo, o melhor e mais conveniente que se preconiza, porque cada um por aqui quer simplesmente resolver o problema pessoal, e os demais que cuidem de si. Nesse âmbito está grande parte dos que se encontram em cargos importantes.
Uma realidade muito triste.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86054
De: Afonso Cláudio Data: Quarta 26/1/2022 11:59:03
Cidade: Montes Claros/MG

Variações de mortes por Covid-19 na Região Sudeste e no Brasil (as de 26/1, nos 4 Estados, em ordem decrescente)

Estado / Mortes 5 a 12/1 / Mortes 19 a 26/1 / Var. % 26/1 / Var. % 19/1*/ Var. % 17/1*
São Paulo 178 920 +416,8 +280,9 +49,6
Espírito Santo 19 55 +189,5 +70,6 -38,7
Rio de Janeiro 33 84 +154,5 -10,3 -62,5
Minas Gerais 61 143 +134,4 +48,3 +10,9

Brasil 855 2.323 +171,7 +84,5 +16,8

*mensagem 86047, de 19/01/22.

Fonte: g1.com.br/coronavírus, 26/01/22, 8h0m.

E, no mesmo site do g1, verifiquei hoje os seguintes percentuais das variações dos 26 Estados e Distrito Federal:
Em alta 22 (81,5%); o mapa do Brasil quase todo vermelho, como há uma semana. Em queda 2 (7,4%). Em estabilidade 3 (11,1%).

Portanto, os percentuais das variações do g1 e os do quadro acima, de hoje, dão o mesmo alerta: tendência de maior alta dos números de mortes nos 4 Estados da Região Sudeste e no Brasil, em comparação com os percentuais de 17 e 19/01/22.

Manchetes
g1/JH, 25/01/22: "Taxa de reprodução do coronavírus (1,78 no Brasil) atinge índice mais alto desde fase inicial da pandemia (julho 2020), conforme o Imperial College, de Londres."
"No Brasil, média passa de 300 mortes por dia pela primeira vez, desde outubro."
"Mundo atinge maior média diária de mortes por Covid em 4 meses." (Idem, Folha SP)
O Tempo, 25/01/22: "Covid-19: casos em acompanhamento mais do que dobram em uma semana no Brasil."

26/01/22, 11h53m - Santos Timóteo e Tito
ACSG

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86053
De: Afonso Cláudio Data: Terça 25/1/2022 09:45:14
Cidade: Montes Claros/MG

Elevação dos casos confirmados de Covid-19 em Minas Gerais

Resultados dos cálculos dos aumentos percentuais dos casos confirmados de 10 municípios de Minas Gerais em que houve mortes entre 17 e 24/01/22, em ordem decrescente:

Municípios / Casos de 03 a 10/01/22 / Casos de 17 a 24/01/22 / Aum. %

1º Uberlândia 589 20.179 3.326,0
2º Contagem 273 2.730 900,0
3º Araguari 146 1.212 730,1
4º Montes Claros 161 1.307 708,1
5º Sete Lagoas 278 1.238 345,3
6º Uberaba 1.888 6.721 256,0
7º Governador Valadares 306 637 108,2
8º Belo Horizonte 2.178 4.395 101,8
9º Patos de Minas 671 1.204 79,4
10º Varginha 970 1.520 56,7

Minas Gerais 40.292 151.818 276,8

Fonte: Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais

Manchetes
g1/JH, 24/01/22: "Brasil volta a bater recorde na média móvel de casos conhecidos de Covid em 24 horas, com 148,2 mil; média de mortes cresce mais uma vez (292)."
"Diretor geral da OMS diz que é perigoso assumir que a pandemia de Covid-19 está acabando."

Afonso Cláudio
25/01/22, 9h40m - Conversão de São Paulo Apóstolo

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86052
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 24/1/2022 16:08:29
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 03 a 10/01/22 e 17 a 24/01/22 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, revelaram que 8 municípios (26,7%) reduziram seus respectivos percentuais, 11 (36,7%) aumentaram, 8 (26,7%) tiveram variação de 0% (com zero mortes nos 2 períodos) e 3 (10,0%) tiveram variação de 0% (com 1 morte em cada período).
- Minas Gerais aumentou 77,3%, passando de 75 para 133 mortes, do 1º para o 2º período.
- As 3 faixas de redução dos 8 municípios foram: 100,0% (Betim, Ipatinga, Curvelo, Sabará, Vespasiano e Coronel Fabriciano, todos com zero mortes no 2º período), 91,7% (Juiz de Fora, reduziu de 12 para 1 morte) e 50% (Belo Horizonte, de 22 para 11 mortes).
- 11 municípios em que houve aumentos:
de 1 para 12 mortes (1.100%): Uberlândia
de 1 para 3 mortes (200%): Governador Valadares
de 1 para 11 mortes (1.000%): Uberaba
de 3 para 12 mortes (300%): Contagem
de 0 para 2 mortes (*): Varginha e Araguari
de 0 para 1 morte (*): Divinópolis e Itabira
de 0 para 3 mortes (*): Sete Lagoas
de 1 para 2 mortes (100%): Patos de Minas e Passos
(*) infinito, divisão por zero
- 8 municípios que tiveram variação percentual igual a zero, com zero mortes nos 2 períodos: Teófilo Otoni, Poços de Caldas, Caratinga, Pouso Alegre, Ibirité, Janaúba, Pirapora e Januária.
- 3 municípios que tiveram variação percentual igual a zero, com 1 morte em cada período: Ribeirão das Neves, Montes Claros e Santa Luzia.
- Januária continua sendo o principal destaque, entre os 30 municípios, por não registrar nenhuma morte desde a semana entre 15 e 22/10/21 até hoje.
- 5 números absolutos de mortes em 16 municípios, entre 17 e 24/01/22:
3 mortes em cada (Governador Valadares e Sete Lagoas)
2 mortes em cada (Varginha, Patos de Minas, Araguari e Passos)
1 morte em cada (Juiz de Fora, Ribeirão das Neves, Montes Claros, Divinópolis, Santa Luzia e Itabira)
11 mortes em cada (Uberaba e Belo Horizonte)
12 mortes em cada (Uberlândia e Contagem)
- Quantidade de municípios com zero mortes no 1º período: 13 (43,3%). Idem, no 2º período:14 (46,7%).
- Total de mortes nos 30 municípios no 1º período: 52. Idem, no 2º período: 66. Aumento de 26,9%.

Dados de Minas Gerais em 24/01/22, 11h28m:
Total de casos confirmados 2.514.049
Casos recuperados 2.276.290
Óbitos confirmados 56.965

Os aumentos de mortes em Minas (77,3%) e nos 30 municípios (26,9%), bem como do número de casos confirmados de covid-19 no Estado (1.254,5%, msg 86043; 466,4%, msg 86050), devidos principalmente à circulação da variante ômicron e às aglomerações nas festas de passagem de ano, continuam nos mostrando que devemos manter os cuidados recomendados pelos especialistas, profissionais de saúde e autoridades, de amplo conhecimento, conforme divulgado pelos meios de comunicação.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
24/01/22, 15h52m - São Francisco de Sales e véspera da Conversão de São Paulo Apóstolo.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86051
De: Manoel Hygino Data: Sábado 22/1/2022 07:29:01
Cidade: Belo Horizonte

Além das chuvas

Manoel Hygino

Embora da Academia Mineira de Letras e arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, não foi aqui que Dom Walmor de Oliveira Azevedo teve berço. Mas o veemente apelo que ele fez no dia 14 de janeiro, neste ano perverso no calendário, merece ser lido e relido, porque adverte para a hora que atravessamos. Ele, que é presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, assume a grave responsabilidade de advertir-nos, a nós, mineiros.
O Ministério do Desenvolvimento Regional atualizou o total de recursos repassados para as cidades mineiras, destinando R$ 48 milhões para enfrentarem a situação de emergência por que passam. Simultaneamente, o governo de Minas antecipou R$ 6,3 milhões para os municípios além de R$ 1,2 milhão na compra de cestas básicas. A Assembleia Legislativa devolveu ao governo mineiro R$ 106,5 milhões em recursos economizados pelos deputados em 2021.
Enquanto o Palácio prevê o custo de R$ 100 milhões só para reparar as estradas estaduais, R$ 560 milhões são previstos para as cidades afetadas e os prejuízos, até agora, estão sendo levantados, mas não serão menos de R$ 400 milhões. São estimativas e até o fim da temporada de chuvas o número de cidades que sofrem suas consequências tende evidentemente a aumentar.
O alto dignitário afirma, diante dos fatos: “Minas ferida escancara, nas suas riquezas de sua cultura, nas especialidades de sua gente generosa e solidária, nas riquezas de sua natureza pródiga, no seu patrimônio religioso e familiar, os descompassos que exigem mudanças radicais e urgentes no modo de se governar, na maneira extrativista e depredadora no tratamento do meio ambiente”.
Mais adiante, aduz: “construtores e empreendedores da sociedade mineira estão desafiados a crescer na consciência: lógicas gananciosas precisam, urgentemente, ser superadas, para fazer valer a lógica humanista da cidadania. Não se pode continuar a negociar este patrimônio histórico, religioso, cultural e ambiental por tão pouco sacrificando o bem dos mineiros”.
Enfim: “Ante as tragédias, sem medo, sejam identificados os responsáveis, superados os modelos de administração que se reduzem a um conjunto de técnicas operacionais, para que prevaleça um humanismo integral – trata-se do caminho para reverter dolorosa realidade – Minas ferida”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86050
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 21/1/2022 18:14:43
Cidade: Montes Claros/MG

Elevações de casos confirmados de Covid-19

I) Brasil
De 31/12/21 a 07/01/22: 46.603
De 14 a 21/01/22: 773.001
Aumento de 1.558,7%
Fonte: OMS/JHU

II) Minas Gerais
De 31/12/21 a 07/01/22: 23.556
De 14 a 21/01/22: 133.412
Aumento de 466,4%

III) Montes Claros
De 30/12/21 a 06/01/22: 121
De 14 a 21/01/22: 1.270
Aumento de 949,6%

Itens II e III: Fonte, SES/MG.

Afonso Cláudio
21/01/22, 18h08m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86049
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 21/1/2022 17:01:29
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus (casos confirmados no Mundo)

Variações percentuais dos números de casos confirmados nos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial da Saúde, em ordem decrescente, entre 31/12/21 a 07/01/22 e 14 a 21/01/22 (2 períodos de 7 dias):

Class. / País / Casos 31/12/21 a 07/01/22 / Casos 14 a 21/01/22 / Var. %

1º Brasil 46.603 773.001 +1.558,7
2º Índia 387.582 2.248.100 +480,0
3º Filipinas 47.657 232.069 +386,9
4º Indonésia 2.129 8.754 +311,2
5º Ucrânia 22.502 84.335 +274,8
6º México 85.409 287.907 +237,1
7º Rússia 100.458 262.162 +161,0
8º Alemanha 275.735 635.348 +130,4
9º Colômbia 95.633 214.045 +123,8
10º Irã 10.348 21.786 +110,5
11º Polônia 84.684 177.784 +109,9
12º Países Baixos 131.861 255.353 +93,6
13º Argentina 418.558 783.216 +87,1
14º França 1.423.084 2.297.731 +61,5
15º Espanha 627.721 903.835 +44,
16º Turquia 345.510 463.045 +34,0
17º Itália 994.037 1.262.611 +27,0
18º Estados Unidos 4.235.085 5.225.776 +23,4
19º Reino Unido 1.267.015 645.466 -49,1
20º África do Sul 58.022 26.052 -55,1
MUNDO 13.745.717 22.625.365 +64,6

Na semana de 14 a 21/01/22:
5 maiores números absolutos de casos
1º Estados Unidos 5.225.776
2º França 2.297.731
3º Índia 2.248.100
4º Itália 1.262.611
5º Espanha 903.835

5 menores números absolutos de casos
16º Polônia 177.784
17º Ucrânia 84.335
18º África do Sul 26.052
19º Irã 21.786
20º Indonésia 8.754

Posições recentes do Brasil na classificação das variações percentuais dos números de casos confirmados de Covid-19:
07/01/22: 12º lugar, aumento de 56,8%, mensagem 86028.
14/01/22: 3º lugar, aumento de 874,1%, mensagem 86038.
Hoje, 21/01/22: 1º lugar, aumento de 1.558,7%. (*)

(*) Ao passar de 56,8% para 1.558,7%, em 3 avaliações, fica mais uma vez confirmada a intensa circulação da variante ômicron, devido às aglomerações das pessoas nas festas e reuniões do final de 2021 para o início de 2022 e que vem ficando mais clara após os ajustes do sistema de informática do Ministério da Saúde, atacado por hackers em 10/12/21.

Médias diárias de casos de Covid-19 no Brasil
Entre 31/12/21 e 07/01/22: 46.603/7 = 6.657,6
Entre 14 e 21/01/22: 773.001/7 = 110.428,7
[(110.428,7/6.657,6) - 1] x 100 = 1.558,7%

Manchetes
g1/JN, 20/01/22:
- "Ômicron responde por quase todos os resultados positivos de Covid no Brasil."
- "Antônio Barra Torres (diretor-presidente da Anvisa) critica quem afirma falsamente que a pandemia está acabando."
- "Pelo terceiro dia seguido, Brasil bate recorde de novos casos de Covid em 24 horas."

As mensagens 86047, 86048 e esta que estou concluindo, bem como as notícias, comentários e reportagens dos meios de comunicação, dão sinais fortes de tendências de altas, tanto de mortes, como de casos confirmados, no Brasil e em vários países, o que serve de alerta para todos nós continuarmos a praticar todos os cuidados recomendados pelos especialistas e profissionais da saúde, de amplo conhecimento e agradecermos muito a Deus pelas vacinas, que têm comprovado ser nossa grande defensora contra o coronavírus e suas variantes.

Afonso Cláudio
21/01/22, 16h52m - Santa Inês

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86048
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 20/1/2022 12:32:06
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus (mortes e casos confirmados no Mundo)

Variações dos números de mortes por Covid-19, entre 30/12/21 a 06/01/22 e 13 a 20/01/22 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial da Saúde, em ordem decrescente dos percentuais:
13 países (65%) tiveram aumentos, variando de 6,3% (França) a 307,6% (Argentina).
7 países (35%) tiveram reduções, variando de 1,6% (Rússia) a 63,9% (Países Baixos).

Class./ País / Mortes 30/12 a 06/01 / Mortes 13 a 20/01 / Var. %
I) 5 maiores variações percentuais
1º Argentina 235 958 +307,6
2º Colômbia 274 908 +231,4
3º Brasil 559 1.484 +165,5
4º Indonésia 21 42 +100,0
5º Itália 1.185 2.333 +96,9

II) 5 menores variações percentuais
16º Filipinas 421 390 -7,4
17º Ucrânia 1.354 1.000 -26,2
18º Alemanha 1.765 1.265 -28,3
19º Irã 251 160 -36,3
20º Países Baixos 177 64 -63,9

Fonte: OMS/JHU, 20/01/22, 7h30m.

- Em números absolutos de mortes o Brasil está no 8º lugar, em ordem decrescente, com 1.484 mortes e média diária de 212 mortes entre 13 e 20/01/22.
Países/Médias diárias, de 13 a 20/01/22, até o 8º lugar:
1º Estados Unidos 1.888, 2º Rússia 692, 3º Índia 380, 4º Itália 333, 5º Polônia 303, 6º Reino Unido 266, 7º França 215, 8º Brasil 212.
Os demais 12 países têm médias diárias de mortes variando entre 6 (Indonésia) e 192 (México).
- O Brasil teve um aumento do número de mortes de 559 para 1.484, do 1º para o 2º período, igual a 165,5%, e passou do 12º lugar em 13/01/22 para o 3º lugar hoje.
- O Mundo teve uma elevação de 26,2% hoje. Últimas 3 posições do Mundo: 20/01/22 +26,2%; 13/01/22 +6,7%; 06/01/22 -12,6%.
A maior redução do Mundo, de 13/08/21 até hoje, foi em 18/09/21, de 21,0%..
- Últimas posições da Argentina, pior colocado hoje: 20/01/22 1º; 13/01/22 4º; 06/01/22 1º; 30/12/21 7º.
- A África do Sul, onde foi identificada a variante ômicron pela 1a. vez, na 1a. quinzena de novembro/21 e que foi 1º lugar em 13/01/22, 30/12/21 e 23/12/21 e 2º lugar em 06/01/22, passou para o 11º lugar hoje.
- Melhor colocado hoje: novamente Países Baixos, 20º lugar. Últimas posições: 13/01/22 20º, 06/01/22 19º, 30/12/21 16º.

Dados do Mundo hoje: Casos confirmados 337.973.372; Mortes 5.565.750. Fonte: OMS/JHU, 20/01/22, 7h46m.

g1, 18/01/22: "Com 464 mil casos em 1 dia, França bate recorde na pandemia."
g1/JH, 19/01/22: "Taxa-R no Brasil chega a 1,35."; "Alemanha registra maior número de casos de Covid-19 desde o começo da pandemia."; "País registra 205 mil casos de covid em 24h e tem novo recorde."
g1, 20/01/22, 12h20m: "Explosão da ômicron - Mundo tem 3,79 milhões de casos de Covid e bate novo recorde diário."

Afonso Cláudio
20/01/22, 12h22m - São Sebastião

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86047
De: Afonso Cláudio Data: Quarta 19/1/2022 18:13:38
Cidade: Montes Claros/MG

Elevações dos números de mortes por Covid-19 no Brasil

Os casos confirmados têm aumentado muito. Exemplo: na mensagem 86039, de 14/01/22, temos os seguintes aumentos; Brasil 874,1%, Minas Gerais 1.463,1%, Montes Claros 208,2%.
Mas as mortes por Covid-19 continuam muito preocupantes.
Na mensagem 86042, de 17/01/22, incluí um quadro, quase no final da mesma, com o título "Variações dos números de mortes por Covid-19 na Região Sudeste do Brasil, por comparação do período de 22 a 29/12/21 com o de 5 a 12/01/22."
Hoje, 19/01/22, fiz a comparação de outros 2 períodos mais atuais, de 29/12/21 a 5/01/22 com o de 12 a 19/01/22, conforme o quadro abaixo, no qual comparei também as variações percentuais dos 2 quadros, permitindo-nos perceber uma elevação acentuada nos 4 Estados da Região Sudeste e no Brasil, entre 22/12/21 e hoje, 19/01/22.

Variações de mortes por Covid-19 na Região Sudeste e no Brasil (as de 19/1, nos 4 Estados, em ordem decrescente)

Estado / Mortes 29/12 a 5/1 / Mortes 12 a 19/1 / Var. % 19/1 / Var. % 17/1
São Paulo 115 438 +280,9 +49,6
Espírito Santo 17 29 +70,6 -38,7
Minas Gerais 60 89 +48,3 +10,9
Rio de Janeiro 78 70 -10,3 -62,5
Brasil 703 1.297 +84,5 +16,8

Fonte: g1.com.br/coronavírus, 19/01/22, 10h45m.

E, no mesmo site do g1, verifiquei hoje os seguintes percentuais das variações dos 26 Estados e Distrito Federal:
Em alta 20 (74,1%); o mapa do Brasil quase todo vermelho. Em queda 2 (7,4%). Em estabilidade 5 (18,5%).

Em 12/01/22, esses números eram:
Em alta 11 (40,7%). Em queda 11 (40,7%). Em estabilidade 5 (18,5%).

Portanto, os percentuais das variações do g1 e os do quadro acima, de hoje, dão o mesmo alerta: tendência de maior alta e menor queda dos números de mortes na Região Sudeste e no Brasil.

Manchete:
g1, 18/01/22: "Brasil registra recorde de 132 mil casos conhecidos de Covid em 24 horas. Média móvel de 83,6 mil por dia também é a maior da pandemia. Além disso, foram contabilizadas 317 novas mortes."
Obs: a média diária de mortes entre 12/01/22 e hoje (19/01/22) é 185, de acordo com os dados do g1.

Afonso Cláudio
19/01/22, 18h10m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86046
De: Manoel Hygino Data: Quarta 19/1/2022 08:23:33
Cidade: Belo Horizonte

A morte espreita

Manoel Hygino

Quem se interessa por conhecer a situação da segurança no Brasil se espantará, se disser que estamos menos violentos do que antes. Não é o que se divulga em mídia, a ponto de não causar surpresa o relato sobre número de assassinatos, de furtos e roubos, praticamente em todas as unidades da Federação. Há programas de rádio e televisão que cuidam unicamente desta matéria, a exemplo das editorias próprias dos jornais.

O próprio presidente, recentemente, declarou – para geral espanto das pessoas presentes à conversa – que “todos os índices de homicídios, estupros, latrocínios, roubo de veículos e cargas, invasão de fazendas, entre outros, que os índices caíram de janeiro de 2019 para cá”.

Engana-se S. Exa., contudo. A declaração destoa do divulgado pelo 15º Anuário do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Segundo os dados divulgados em julho de 2021, o Brasil retomou a tendência de crescimento de mortes violentas intencionais em 2020, após dois anos em declínio.

Em 2020, o índice subiu 4%. Em verdade, segundo as informações do Fórum, foram 50.033 vítimas, das quais 78% com armas de fogo. As mortes violentas intencionais, consideradas pelo Anuário, somam os registros de homicídios dolosos (quando há intenção), latrocínios, lesões corporais seguidas de morte, feminicídios e mortes decorrentes de intervenção policial.

O Anuário sublinha: “A arma de fogo é o principal instrumento utilizado para todos os tipos de crime, com exceção da lesão corporal seguida de morte – crime em que não há a intenção de matar a vítima, mas sim de feri-la”.

Ainda conforme os números, a arma de fogo foi utilizada em 83,5% das mortes por intervenção policial, 75,8% dos homicídios dolosos, 60,9% dos latrocínios e 14,5% das lesões corporais seguidas de morte.

A estatística revela muito, portanto, do que está acontecendo pelo território nacional, a despeito de providências que possam estar em curso para reduzir a mortandade que depende de medidas de praxe nas principais nações do mundo. Uma delas reside na formação do homem, desde a infância e a adolescência, começando pelo propiciamento de educação bem focada em objetivos. Simultaneamente é imprescindível que as famílias gozem de adequadas condições de igualdade com demais segmentos sociais.

Sem tais bases iniciais, os esforços serão vãos e caminharemos como até aqui, não permitindo que a economia se fortaleça, e se forjando um povo motivado e feliz.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86045
De: Manoel Hygino Data: Quarta 19/1/2022 08:21:21
Cidade: Belo Horizonte

Tempo convulso

Manoel Hygino

Quem abriu os jornais ou prestou maior atenção aos noticiários de televisão e rádio, certamente ficou em grande inquietação com o que acontecia no planeta, e nele simplesmente nos achamos incluídos. De fato, as informações faziam medo, e este substantivo talvez tenha sido o mais usado pelos entrevistados.

Esclarecidos, mas também os analfabetos ou quase, sentiram que estávamos no pré-fim do mundo, do Dia Implacável, “de furor e de cólera ardente, para reduzir a terra a um deserto e dela exterminar os pecadores”, como está em Isaías 13:9. Nesse dia, os céus passarão com ruído, os elementos abrasados se dissolverão, e será consumida a terra com todas as obras que ela contém (II Pedro 3:10). O Sol escurecerá, a Lua não terá claridade, e cairão do céu as estrelas (Mateus 24:29)”. Os homens definharão de medo, na expectativa de males que devem sobrevir a toda a terra (Lucas 21:25-26)”.

A descrição não é rigorosamente a destes tempos intimidadores, mas há proximidade entre as profecias e os fenômenos. O tsunami de infecções provocadas pela variante Ômicron do coronavírus fez a média móvel de casos de Covid-19 no Brasil elevar-se mais de 60%.

Em âmbito estadual, diagnosticaram-se 19.153 novos casos da doença em 24 horas e houve 19 óbitos, enquanto em Divinópolis assistia-se o crescimento de quase 200 registros, acendendo o alerta. O secretário de Saúde de Minas, admitiu que isso era apenas um detalhe, porque o pico chegará em duas semanas. Síndromes gripais ganharam espaço e lotaram as unidades de pronto atendimento em todo o país e cidades, sem exceção.

Simultaneamente, com as pesadas chuvas da primeira quinzena de janeiro, grande parte do Brasil foi inundado, com exceção do Sul. Um jornal observou: no interior ou na capital, a vida de quem mora em áreas de risco, seja perto de rios, de encostas ou de barragens, é uma tensão constante. As pessoas conhecem o perigo, mas nem sempre há opção para fugir da tragédia anunciada. O cenário nas cidades tomadas pela água é desolador. Ao mesmo tempo, as estradas parecem vítimas de uma hecatombe, enquanto as famílias enlutadas pelo desastre em Furnas choram seus mortos.

Milhares de desabrigados e desalojados, com a lama tomando conta de tudo e sem alimento nos fogões e sem água nas torneiras. Tsunami assusta ilhas de Tonga e ondas de três metros atemorizando o Japão.

Um meteoro faz tremer regiões do Brasil, como para clarear a extensão da tragédia.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86044
De: Prefeitura Data: Terça 18/1/2022 20:24:40
Cidade: Montes Claros  País: Brasil

Município de Montes Claros – MG
Procuradoria-Geral
Decreto nº 4349, de 18 de janeiro de 2022
ESTABELECE CRITÉRIOS PARA VACINAÇÃO DE
CRIANÇAS CONTRA A COVID-19 NO
MUNICÍPIO MONTES CLAROS E DÁ OUTRAS
PROVIDÊNCIAS
O Prefeito de Montes Claros – MG, no uso de
suas atribuições legais, nos termos dos arts.
71, inciso VI e 99, inciso I, alínea “i” da Lei
Orgânica Municipal e do disposto no artigo 30,
inciso I, da Constituição da República, bem
como nos termos da Lei Municipal 5.252/2020 e
da Lei Federal 13.979/2020 e,
CONSIDERANDO, a criação do Plano Municipal
“AVANÇA MOC, COM RESPONSABILIDADE”;
CONSIDERANDO, que a Agência Nacional de
Vigilância Sanitária – Anvisa aprovou o uso de
imunizante em crianças com idade de 5 a 11
anos, bem como o recebimento, pelo Município,
das primeiras doses da vacina para este público;
CONSIDERANDO, que o Município tem seguido
os critérios definidos no PLANO NACIONAL DE
OPERACIONALIZAÇÃO DA VACINAÇÃO
CONTRA A COVID-19, no qual foi incluído, pelo
Ministério da Saúde, a vacinação de crianças
de 05 a 11 anos, de forma não obrigatória;
CONSIDERANDO, a autonomia constitucional
do Município para estabelecer regras
complementares sobre o sistema de vacinação
e considerando as peculiaridades locais;
DECRETA:
Art. 1º – Fica determinado à Secretaria Municipal
de Saúde, a partir do dia 19 de janeiro corrente,
que inicie, com as doses disponíveis, a
vacinação de crianças de 05 a 11 anos,
obedecendo a seguinte escala:
I – crianças com 5 a 11 anos com deficiência
permanente ou com comorbidades, bem como
indígenas e quilombolas;
II – crianças que vivam em lar com pessoas
com alto risco para evolução grave de Covid19;
III – Crianças sem comorbidades, na seguinte
ordem:
a) crianças de 10 e 11 anos;
b) crianças de 8 e 9 anos;
c) crianças de 6 e 7 anos;
d) crianças com 5 anos.
§1º. A vacinação de crianças, regulada pelo
presente Decreto, não será obrigatória e
decorrerá do livre exercício do Poder Familiar.
§2º. No momento da vacinação, pelo menos um
dos genitores ou o responsável pela criança
deverá estar presente, manifestando sua
concordância.
§3º. Em caso de ausência de pais ou
responsáveis, a vacinação deverá ser
autorizada por um termo de assentimento, por
escrito.
§4º. O esquema vacinal completo, para as
crianças, será composto de duas doses, a
serem aplicadas com intervalo de 08 (oito)
semanas.
§5º. Após a imunização, a criança deverá
permanecer em observação, no posto de
vacinação, por pelo menos 15 (quinze) minutos.
§6º. Deverá ser respeitado um intervalo de 15
(quinze) dias entre a aplicação da vacina contra
a Coivd-19 e as demais vacinas de rotina.
Art. 2º – A Secretaria Municipal de Saúde deverá
informar aos pais ou responsáveis sobre o direito
à assistência médica com objetivo de embasar
sua decisão sobre a vacinação de crianças
contra a Covid-19.
Art. 3º – A implementação das regras do presente
Decreto não poderá implicar em prejuízo para a
complementação do esquema vacinal dos grupos
anteriores.
Art. 4º – Os casos não mencionados no presente
Decreto seguirão os critérios definidos pelo
Plano Nacional de Operacionalização da
Vacinação Contra a COVID-19, de acordo com
a disponibilidade de doses.
Art. 5º – Este decreto entra em vigor na data de
sua publicação, revogando as disposições em
contrário.
Município de Montes Claros, 18 de janeiro de
2022.
HUMBERTO GUIMARÃES SOUTO
Prefeito de Montes Claros
Dulce Pimenta Gonçalves
Secretária Municipal de Saúde

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86043
De: Afonso Cláudio Data: Terça 18/1/2022 10:42:09
Cidade: Montes Claros/MG

Elevação dos casos confirmados de Covid-19 em Minas Gerais

Resultados dos cálculos dos aumentos percentuais dos casos confirmados de 10 municípios de Minas Gerais em que houve mortes entre 10 e 17/01/22, em ordem decrescente:

Municípios / Casos de 27/12/21 a 03/01/22 / Casos de 10 a 17/01/22 / Aum. %

1º Poços de Caldas 23 840 3.552,2
2º Divinópolis 15 313 1.986,7
3º Juiz de Fora 59 821 1.291,5
4º Uberlândia 214 2.414 1.028,0
5º Contagem 91 804 783,5
6º Uberaba 902 6.197 587,0
7º Montes Claros 87 514 490,8
8º Belo Horizonte 1.467 6.330 331,5
9º Governador Valadares 149 433 190,6
10º Santa Luzia 19 38 100,0

Minas Gerais 7.071 95.775 1.254,5

Fonte: Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais

A variante ômicron do coronavírus, que se transmite e contamina em maior número do que as outras variantes, juntamente com a epidemia da gripe influenza e outras enfermidades, superlotam hospitais e sobrecarregam os profissionais da saúde.
Os aumentos percentuais do quadro acima confirmam mais uma vez, infelizmente, a necessidade de nos cuidarmos muito, como recomendam os especialistas e é amplamente divulgado pela mídia, para evitarmos essa tão perigosa doença.

Afonso Cláudio
18/01/22, 10h31m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86042
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 17/1/2022 15:45:09
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 27/12/21 e 03/01/22 e 10 a 17/01/22 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, revelaram que 5 municípios (16,7%) reduziram seus respectivos percentuais, 12 (40,0%) aumentaram, 11 (36,7%) tiveram variação de 0% (com zero mortes nos 2 períodos), 1 (3,3%) teve variação de 0% (com 6 mortes em cada período) e 1 (3,3%) teve variação de 0% (com 2 mortes em cada período).
- Minas Gerais aumentou 67,9%, passando de 53 para 89 mortes, do 1º para o 2º período.
- As 2 taxas de redução dos 5 municípios foram: 100,0% (Varginha, Patos de Minas e Araguari, todos com zero mortes no 2º período) e 50,0% (Montes Claros e Vespasiano, ambas passaram de 2 para 1 morte).
- 12 municípios em que houve aumentos:
De 1 para 2 mortes: Governador Valadares (100,0%)
De 0 para 5 mortes: Uberlândia (*)
De 0 para 2 mortes: Juiz de Fora, Santa Luzia e Itabira (*)
De 0 para 1 morte: Divinópolis, Poços de Caldas, Sabará e Sete Lagoas (*)
De 0 para 10 mortes: Contagem (*)
De 11 para 15 mortes: Belo Horizonte (36,4%)
De 1 para 3 mortes: Ribeirão das Neves (200,0%)
(*) Infinito = divisão por zero
- 11 municípios que tiveram variação percentual igual a zero, com zero mortes nos 2 períodos: Teófilo Otoni, Betim, Ipatinga, Curvelo, Caratinga, Pouso Alegre, Ibirité, Coronel Fabriciano, Janaúba, Pirapora e Januária.
- 1 município que teve variação percentual igual a zero, com 6 mortes em cada período: Uberaba. Idem, com 2 mortes em cada período: Passos.
- Januária continua sendo o principal destaque, entre os 30 municípios, por não registrar nenhuma morte desde a semana entre 15 e 22/10/21 até hoje.
- 7 números absolutos de mortes, em 16 municípios, entre 10 e 17/01/22: 2 mortes em cada (Governador Valadares, Juiz de Fora, Santa Luzia, Passos e Itabira), 5 em Uberlândia, 6 em Uberaba, 10 em Contagem, 15 em Belo Horizonte, 3 em Ribeirão das Neves, 1 morte em cada (Montes Claros, Divinópolis, Poços de Caldas, Sabará, Sete Lagoas e Vespasiano).
- Quantidade de municípios com zero mortes no 1º período: 20 (66,7%). Idem, no 2º período: 14 (46,7%).
- Total de mortes nos 30 municípios no 1º período: 30. Idem, no 2º período: 55. Aumento de 83,3%.

- Dados de Minas Gerais, desde o início da pandemia: Casos confirmados 2.362.231; Casos recuperados 2.191.191; Óbitos confirmados 56.832.

Fonte: Portal de Notícias, Boletim Epidemiológico, SES/MG, 10h02m, 17/01/22.

Manchetes:
g1, 16/01/22: "Média móvel de casos no Brasil fica acima de 68 mil pelo segundo dia".
"Datafolha: número de brasileiros com Covid pode ser o dobro do oficial".
g1/JH, 14/01/22: "Variante ômicron deixa hospitais perto de seus limites de capacidade em 24 Estados".

Os aumentos de mortes em Minas (67,9%) e nos 30 municípios (83,3%), bem como o número de casos confirmados de Covid-19 no Estado, superior a 1.400% (mensagens 86034 e 86039), devidos principalmente à variante ômicron, continuam nos alertando para mantermos todos os cuidados recomendados pelos especialistas e autoridades da saúde, de amplo conhecimento: vacinação em dia, distanciamento social, evitar aglomerações, lavar as mãos com frequência, com água e sabão ou usar álcool em gel, higienizar sempre objetos, alimentos e ambientes.

Há exatamente 1 ano, em 17/01/2021, foi vacinada contra a Covid-19 a primeira pessoa no Brasil, a enfermeira Mônica Calazans, em São Paulo.
Após o início da vacinação, houve reduções importantíssimas do número de mortes por Covid-19, por exemplo, de 58,8% em Belo Horizonte e 78,0% em Montes Claros, conforme a mensagem 85843, de 15/9/21 e a mensagem 85949, de 17/11/21, com reduções de 69,6% em Minas Gerais e 75,0% em Montes Claros.
Mas, tanto em Minas, como em outros Estados, os percentuais de casos e mortes por covid-19, confirmados e recentes, estão sempre desafiando-nos a atingir a meta tão importante de controle da pandemia do coronovírus.
E abaixo, um quadro que confirma isto.

Variações dos números de mortes por Covid-19 na Região Sudeste do Brasil, por comparação do período de 22 a 29/12/21 com o de 5 a 12/01/22:

Estado / Mortes de 22 a 29/12/21 / Mortes de 5 a 12/01/22 / Var. % / Mortes por 100 mil, 2º período / Class. ordem decresc.
Espírito Santo 31 19 -38,7 0,47 1º
Minas Gerais 55 61 +10,9 0,29 3º
Rio de Janeiro 88 33 -62,5 0,19 4º
São Paulo 119 178 +49,6 0,39 2º ​
Brasil 732 855 +16,8 0,41

O ideal é que as variações sejam sempre reduções e com tendência a 100%.
Percentual da população da Região Sudeste em relação à do Brasil = 42,0%.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
17/01/2022, 15h34m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86041
De: Manoel Hygino Data: Sábado 15/1/2022 08:44:32
Cidade: Belo Horizonte

A obstinação indevida

Manoel Hygino

Contrariando tudo o que se podia esperar para o novo ano, como pretendido nos bons votos e augúrios das festas no tempo que virou passado, a situação da crise produzida pela Covid-19 é sumamente difícil. Em primeiro lugar, porque é a continuação de uma guerra cuja finalização é ainda desconhecida parcialmente pelos generais: os cientistas.

A despeito da evolução da ciência nos últimos séculos, o coronavírus ainda carrega consigo uma imensidão de mistérios que precisam ser desvendados. Alguns deles resultam da própria circunstância de tratar-se de algo novo, como se viu, embora a célere atuação nos laboratórios para descobrir o comportamento do vírus, que já causou mais de 620 mil mortes somente no Brasil.

Aos cidadãos que se encontram à frente dos combates no exercício de altos cargos, tem faltado, entre outras habilidades e sentimentos, humildade para perceber que a ciência é agora quem dá as cartas no difícil jogo, cujo fim ainda se desconhece. A reiterada negativa do presidente da nação em reconhecer que a vacina é o instrumento mais poderoso nos embates que se travam, é contrária a tudo aquilo que demais chefes de Estado e de governo já plenamente reconhecem.

O atraso na tomada de posição quanto ao início da imunização em 2021 causou grande número de vítimas, e o fato se repete com a vacinação das crianças de 5 a 11 anos, que se transformou num combate incompreensível e absolutamente dispensável, finalmente superado pela ciência, pelas associações médicas, pelas famílias.

A tragédia de mais de 600 mil óbitos se repete diariamente com acréscimo de novas vítimas, quando não se sabe sequer o que poderá sobrevir para a humanidade após a variante ômicron, que já é o grande espectro que assusta tanto os homens de ciência, quanto os dirigentes das nações nesta segunda década do século. Pagam pela insensibilidade e falta de visão do futuro os que querem obstruir com suas ações ou inações o tempo melhor por vir. Novas cabeças rolarão.

E tudo se dá, quando outros males, alguns típicos do Brasil e da estação do ano, já superlotam os ambulatórios e unidade de pronto atendimento. É bom que se preste atenção para se fazer o julgamento, em que os jurados são todos os habitantes deste grande território da América do Sul, formando o maior país do hemisfério.

Os brasileiros presentemente já sabem avaliar a atuação dos dirigentes municipais, estaduais e federais e expressar sentimentos e pensamentos sobre os cidadãos guindados ao poder e seu comportamento político, social e ético. A resposta virá na hora de votar em novas eleições.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86040
De: Fátima Data: Domingo 16/1/2022 07:28:56
Cidade: Montes Claros

Ainda em plena pandemia, foi uma madrugada de domingo penosa, na área hospitalar de Montes Claros, que se estende pelo mal afamado "triângulo da impunidade"; e que mais uma vez ameaça retornar com toda força.

Na última madrugada, depois da meia-noite, os tais carros pancadões, as chamadas usinas de som criminoso - que assolam toda a Montes Claros - começaram a voltar depois da meia-noite.

Por volta das 3h, estavam em plena atividade de gerar barulho proposital, criminoso, quando ouviu-se o sinal de uma viatura da PM.

Cessaram o barulho dos pancadões por minutos, e depois voltaram enquanto quiseram, até quando o dia veio. Não acredito que a polícia tenha recuado diante deles, os criminosos. Talvez estivesse em outra missão.

Até quando as leis não serão cumpridas em Montes Claros ?

Quem, descumprindo as leis, assegura impunidade a essas pessoas, quase sempre bêbadas e drogadas, agindo até nas proximidades de área hospitalar ? (...)

O que faz a Secretaria do Meio Ambiente, que tem patrulha própria e recursos públicos para desempenhar seu dever? (....)

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86039
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 14/1/2022 16:22:35
Cidade: Montes Claros/MG

Elevação dos casos confirmados de Covid-19

I) Brasil
De 24 a 31/12/21: 50.706
De 07 a 14/01/22: 493.925
Aumento de 874,1%.
Fonte: OMS/JHU, 14/01/22.

II) Minas Gerais
De 24 a 31/12/21: 5.290
De 07 a 14/01/22: 82.687
Aumento de 1.463,1%.

III) Montes Claros
De 23 a 30/12/21: 98
De 07 a 14/01/22: 302
Aumento de 208,2%.

Itens II e III - Fonte: SES/MG, 14/01/22.

Afonso Cláudio
14/01/22, 16h13m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86038
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 14/1/2022 12:00:30
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus (casos confirmados no Mundo)

Variações percentuais dos números de casos confirmados nos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial da Saúde, em ordem decrescente, entre 24 a 31/12/21 e 07 a 14/01/22 (2 períodos de 7 dias):

Class. / País / Casos 24 a 31/12/21 / Casos 07 a 14/01/22 / Var. %

1º Filipinas 3.357 203.492 +5.961,7
2º Índia 66.178 1.091.541 +1.549,4
3º Brasil 50.706 493.925 +874,1
4º México 25.922 202.681 +681,9
5º Colômbia 31.845 198.309 +522,7
6º Argentina 177.788 767.816 +331,9
7º Indonésia 1.332 4.221 +216,9
8º Itália 464.374 1.180.180 +154,1
9º Turquia 194.158 483.926 +149,2
10º Países Baixos 87.902 217.563 +147,5
11º França 843.898 2.004.159 +137,5
12º Estados Unidos 2.437.788 5.595.127 +129,5
13º Alemanha 210.356 419.628 +99,5
14º Espanha 576.738 1.008.062 +74,8
15º Ucrânia 31.786 49.127 +54,8
16º Polônia 77.188 86.141 +11,6
17º Reino Unido 978.129 952.752 -2,6
18º Irã 12.881 11.735 -8,9
19º Rússia 155.454 121.007 -22,2
20º África do Sul 72.270 42.254 -41,5
MUNDO 8.400.038 19.867.800 +136,5

Na semana de 07 a 14/01/22:
5 maiores números absolutos de casos
1º Estados Unidos 5.595.127
2º França 2.004.159
3º Itália 1.180.180
4º Índia 1.091.541
5º Espanha 1.008.062

5 menores números absolutos de casos
16º Polônia 86.141
17º Ucrânia 49.217
18º África do Sul 42.254
19º Irã 11.735
20º Indonésia 4.221

Em 07/01/22, conforme a mensagem 86028, o Brasil estava no 12º lugar da classificação das variações percentuais, com aumento de 56,8%. Hoje está no 3º lugar, com aumento de 874,1%, ao que tudo indica pelos ajustes do sistema de informática do Ministério da Saude, atacado por hackers em 10/12/21, já refletirem mais fielmente a rápida circulação da variante ômicron, impulsionada pela maior aglomeração de pessoas nas festas e reuniões de fim de ano.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
14/01/2022, 11h53m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86037
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 13/1/2022 15:24:53
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Variações dos números de mortes por Covid-19 entre 23 a 30/12/21 e 06 a 13/01/22 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial da Saúde, em ordem decrescente dos percentuais:
- 11 países (55%) tiveram aumentos, variando de 2,76% (Índia) a 264,65% (África do Sul).
- 9 países (45%) tiveram reduções, variando de 1,70% (Brasil) a 68,64% (Países Baixos).

Class. / País / Mortes 23 a 30/12/21 / Mortes 06 a 13/01/22 / Var. %
I) 5 maiores variações percentuais:
1º África do Sul 348 1.269 +264,65
2º Reino Unido 516 1.723 +233,91
3º Filipinas 325 992 +205,23
4º Argentina 147 324 +120,41
5º Espanha 394 671 +70,30

II) 5 menores variações percentuais:
16º Rússia 6.495 5.300 -18,40
17º Polônia 2.970 2.272 -23,50
18º Ucrânia 1.688 1.166 -30,93
19º Irã 316 194 -38,61
20º Países Baixos 271 85 -68,64

Fonte: OMS/JHU, 13/01/22, 8h36m.

Em números absolutos de mortes o Brasil está no 13º lugar, em ordem decrescente, com 987 mortes e média diária de 141 mortes, entre 06/01/22 e 13/01/22.

Países / Médias diárias de 06 a 13/01/22: 1º Estados Unidos 1.733, 2º Rússia 757, 3º Polônia 324, 4º Índia 308, 5º Reino Unido 246, 6º Alemanha 240, 7º Itália 228, 8º França 209, 9º África do Sul 181, 10º Ucrânia 166, 11º Turquia 150, 12º Filipinas 142, 13º Brasil 141.
Os demais 7 países têm médias diárias de mortes variando entre 6 (Indonésia) e 132 (México).

O Brasil teve uma redução do número de mortes, do 1º para o 2º período, de 1,70% e passou do 16º lugar em 06/01/22 para o 12º lugar hoje, com a ressalva de provável subnotificação, devida ao ataque hacker de 10/12/21 aos sistemas de informática do Ministério da Saúde, que põe em dúvida o real estágio atual da pandemia.

O Mundo teve uma elevação de 6,69% hoje. Últimas 3 posições do Mundo: 13/01/22 +6,69, 06/01/22 -12,6%, 30/12/21 -10,0%.
A maior redução do Mundo, de 13/8/21 até hoje, foi em 18/9/21, de 21,0%.

Últimas posições da África do Sul, pior colocada hoje e onde foi identificada a variante ômicron pela primeira vez, na primeira quinzena de novembro/21: 13/01/22 1º, 06/01/22 2º, 30/12/21 1º, 23/12/21 1º.

Melhor colocado hoje: Países Baixos 20º lugar. 3 últimas posições: 06/01/22 19º, 30/12/21 16º, 23/12/21 14º.

Dados do Mundo: Casos confirmados 317.289.446; Mortes 5.515.204. Fonte: OMS/JHU, 13/01/22, 10h13m.

Manchetes:
Folha de São Paulo, 11/01/22: "Internações por Covid em UTI sobem em SP e levam governo a estado de atenção sobre leitos."
g1/JH, 11/01/22: "Mundo registra mais de 3 milhões de casos de Covid em um dia pela primeira vez". "Metade dos europeus deve se infectar nas próximas 6 a 8 semanas".
g1/JH, 12/01/22: "Laboratórios privados registram mais pessoas com coinfecção de gripe e Covid (Brasil)".
"Áustria e Alemanha batem recordes de novos casos de Covid".
"Mundo está longe da meta de vacinação contra a Covid, diz OMS".
g1/JH, 13/01/22: "Depois de 6 meses, média móvel de casos conhecidos de Covid volta a passar de 50 mil no país (52.714 novos casos/dia no Brasil)".

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
13/01/22, 15h02m (Hora da Misericórdia)

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86036
De: Rosimeire C. B. de Sousa Data: Quinta 13/1/2022 06:25:03
Cidade: Montes Claros

Agora há pouco passei em frente ao cemitério para conferir o que foi escrito pelo Sr. José Ponciano no dia 04 de Janeiro.

Nossa Senhora! A água tá (...) mesmo!

Tá saindo e descendo a avenida rumo um posto de gasolina.

Peço a prefeitura para drenar a água que está saindo do cemitério
.
Vi lá as caixinhas da copasa onde era para receber a água misturada com um líquido que me lembro o nome.

É um problema de Saúde pública.

Rosimeire C. Bonifácio de Sousa

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86035
De: Manoel Hygino Data: Quarta 12/1/2022 07:54:13
Cidade: Belo Horizonte

Aconteceu em Capitólio

Manoel Hygino

O trágico acontecimento no Sul de Minas que deixou um saldo elevado de vítimas, entre as quais algumas fatais, há de ser inserida entre os episódios mais tristes de nossa história contemporânea. No momento em que se fazia esta redação, não se sabia exatamente o número de mortos e feridos, cuja apuração definitiva resultou do trabalho empreendido por equipes de mais de uma corporação.
Tampouco se conhece, de modo seguro e decisivo, as causas do desastre, eis que evidentemente há mais de uma, dadas as condições em que ele se registrou. De toda maneira, pode-se concluir com nossos ancestrais que, com natureza e água, não se brinca, até porque a segunda integra essencialmente as manifestações da primeira.
O lago formado com represamento das águas para produção de energia elétrica é incontestavelmente um dos mais belos panoramas criados pelo homem no Brasil, no século passado, valendo-se das condições especiais que ali se propiciam.
Ademais, se por um lado se produziu o ambiente adequado para o lago, abriu as perspectivas para aproveitamento prático, mediante implantação de um polo turístico, que ganha espaço nas mídias, gerando receitas e utilização de mão de obra.
No entanto, a natureza é caprichosa e tem suas próprias regras. Ela não se inclina pacificamente à vontade do homem, exigindo dele conhecimento íntimo com suas predileções e preferências. Para usá-la, tem-se de adotar métodos e medidas de precaução.
O inquérito que se abriu, ou deve ser aberto, em torno do infausto evento, apontará onde se falhou e porque se falhou, permitindo o acidente. Uma coisa ficou certa: foi exemplar a assistência médica que, em prazo ínfimo, ofereceram as Santas Casas da região aos feridos, fazendo justiça à benemérita instituição. A rainha D. Leonor de Lancastre, fundadora da piedosa obra, abençoará esses anônimos servidores do bem e da vida.
A Marinha se disse presente. Sem menosprezar, é claro, o apoio dos chefes dos executivos municipais e do governo de Minas, por seus organismos competentes, entre os quais os Bombeiros sempre presentes nestes episódios.
Enfim, mais um desastre cruel, mais vidas perdidas, apenas com lições que devem ser extraídas. Em todas as ocasiões, há sempre ensinamentos que não se deve esquecer, evitando males irreparáveis no futuro.
E as chuvas persistiram, deixando marcas de tristeza e luto. A vida como ela é.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86034
De: Afonso Cláudio Data: Terça 11/1/2022 10:42:34
Cidade: Montes Claros/MG

Elevação dos casos confirmados de Covid-19 em Minas Gerais

Resultados dos cálculos dos aumentos percentuais dos casos confirmados de 9 municípios de Minas Gerais em que houve mortes entre 03 e 10/01/22, em ordem decrescente:

Municípios / Casos de 20 a 27/12/21 / Casos de 03 a 10/01/22 / Aum. %

1º Juiz de Fora 0 200 infinito*
2º Contagem 4 273 6.725
3º Belo Horizonte 65 2.178 3.251
4º Uberaba 62 1.888 2.945
5º Ipatinga 26 473 1.719
6º Governador Valadares 64 306 378
7º Uberlândia 140 589 321
8º Betim 27 102 278
9º Montes Claros 94 161 71

Minas Gerais 2.108 40.292 1.811

* divisão por zero

Fonte: Boletim Epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais

Os elevados percentuais de aumento dos casos confirmados da Covid-19 são mais uma comprovação dos riscos provocados pela variante ômicron, pela grande circulação de pessoas e à epidemia de gripe influenza, com reflexo na alta de ocupação de leitos no Brasil, como alertam os especialistas.

Afonso Cláudio
11/01/22, 10h37m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86033
De: Manoel Hygino Data: Terça 11/1/2022 08:13:40
Cidade: Belo Horizonte

Aconteceu em Salinas

Manoel Hygino

O visitante ingressou na minha sala de trabalho e, após os cumprimentos de praxe, entregou-me o respectivo diploma, apondo-me às costas a toga que consigo trazia, declarando-me membro da Academia de Letras de Salinas, perpetuando o ato, sem convidados, com uma foto histórica. Assim, José Prates, presidente do sodalício, a ele me integrou.
Aconteceu há exatamente 20 anos, que se completara no ano que começou. Foi quando José Prates lançou “O tropeiro e o menino”, com quase quinhentas páginas, relatando um pouco de suas aventuras pelo mundo, porque – depois de considerado suspeito pelo regime militar – andou pelo Peru, França, Argentina, Chile e Guiné-Bissau.
De volta, assentou-se provisoriamente em Brasília, onde fez boas relações e construiu amizades. Tanto que o livro referido foi patrocinado pelo Fundo da Arte e da Cultura do Distrito Federal. O prefácio é do coronel Afonso Eliodoro, companheiro de Juscelino nas horas boas e más e ex-presidente do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal.
Agora, porém, com a calamidade que desabou líquida e em grande quantidade sobre a cidade e outras, alcançando o sul da Bahia, achei que seria de bom alvitre lembrar o povo operoso da região, que jamais perdeu sua esperança em melhores tempos e mais sorte.
As imagens coloridas mas dramáticas de televisão, com ruas, praças e habitações tomadas pela água suja invasora, muito destruiu com a correnteza, fazendo imaginar o que sobrará dos belos dias, principalmente os de feira, que forma o grande “círculo de cultura do povo” aos sábados.
Depois de toda a dor das horas presentes, o menino de antes do período de exceção, que tanto brincara naquele lugar, “poderá medir com o olhar e os passos das correrias de criança, os espaços da praça, divididos pelo mercado, evidenciando imponentes o sobrado do coronel, o fórum, a igreja e o grupo escolar, onde avançará no mundo encantado da cultura letrada e aprendendo a libertar a palavra dos livros”.
Poderá talvez olhar para aquelas crianças que trabalham duro para levar umas poucas coisas para vender na cidade. Enfim, libertaria a alma com a presença dos roceiros que traziam o alimento para o corpo e a doçura da palavra para o espírito, de quem com eles se encontrasse, “assuntando a sua fala poeirenta, seca e plena da gostosura do melado da cana”.
A experiência de agora é dolorosa, marcará um tempo na lembrança do povo de Salinas e das demais cidades e localidades próximas, mas não apagará a esperança dos que creem no futuro e na felicidade.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86032
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 10/1/2022 16:26:16
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais - resultados muito preocupantes

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19 entre 20 a 27/12/21 e 03 a 10/01/22 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, revelaram que 5 municípios (16,7%) reduziram seus respectivos percentuais, 13 (43,3%) aumentaram, 10 (33,3%) tiveram variação de 0% (com zero mortes nos 2 períodos), 1 (3,3%) teve variação de 0% (com 3 mortes em cada período) e 1 (3,3%) teve variação de 0% (com 1 morte em cada período).
- Minas Gerais aumentou 59,6%, passando de 47 para 75 mortes, do 1º para o 2º período.
- As 3 taxas de redução dos 5 municípios foram: 100,0% (Teófilo Otoni, Divinópolis e Caratinga; todos com zero mortes no 2º período); 66,7% (Governador Valadares, passou de 3 para 1 morte; 50,0% (Uberlândia, passou de 2 para 1 morte).
- 13 municípios em que houve aumentos: Juiz de Fora (de 0 para 12 mortes).
De 0 para 1 morte: Uberaba, Betim, Montes Claros, Curvelo, Santa Luzia, Sabará, Passos, Vespasiano e Coronel Fabriciano).
De 0 para 2 mortes: Ipatinga. De 0 para 3 mortes: Ribeirão das Neves.
Aumento de 69,2% (de 13 para 22 mortes): Belo Horizonte.
- 10 municípios que tiveram variação percentual igual a zero, com zero mortes nos 2 períodos: Varginha, Poços de Caldas, Pouso Alegre, Ibirité, Sete Lagoas, Araguari, Itabira, Janaúba, Pirapora e Januária.
- 1 município que teve variação percentual igual a zero, com 3 mortes em cada período: Contagem. Idem, com 1 morte em cada período: Patos de Minas.
- Januária continua sendo destaque, entre os 30 municípios, por não registrar nenhuma morte desde a semana entre 15 e 22/10/21.
- 4 números absolutos de mortes em 16 municípios, entre 03 e 10/01/22: 12 (Juiz de Fora), 1 morte cada (Governador Valadares, Uberlândia, Uberaba, Betim, Montes Claros, Curvelo, Patos de Minas, Santa Luzia, Sabará, Passos, Vespasiano e Coronel Fabriciano), 2 mortes (Ipatinga), 3 mortes em cada (Contagem e Ribeirão das Neves).
- Quantidade de municípios com zero mortes no 1º período: 22 (73,3%). Idem, no 2º período: 13 (43,3%).
- Total de mortes nos 30 municípios no 1º período: 27. Idem, no 2º período: 50. Aumento de 85,2%.
- Dados de Minas Gerais, desde o início da pandemia: Casos confirmados 2.266.456; Casos recuperados 2.160.364; Óbitos confirmados 56.743.

Fonte: Portal de Notícias, Boletim Epidemiológico, SES/MG, 13h01m, 10/01/22.

Manchete:
Agência Brasil, 08/01/22: "Fiocruz alerta para alta na ocupação de leitos de covid-19 no Brasil. Pesquisadores ressaltam que a disseminação da ômicron se soma à epidemia de gripe e à grande circulação de pessoas."

Os aumentos de mortes em Minas (59,6%) e nos 30 municípios (85,2%), se comparados, por exemplo, às reduções da mensagem 86010, de 27/12/21 (70,1% em Minas e 68,2% nos 30 municípios), alertam para termos muito cuidado com a variante ômicron, uso de máscara, evitar aglomerações, lavar sempre as mãos com água e sabão ou usar álcool em gel, higienizar objetos, alimentos e ambientes etc., além de estarmos em dia com a vacinação, como alertamos também na mensagem 86023, de 03/01/22.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
10/01/22, 16h17m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86031
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 8/1/2022 16:24:15
Cidade: Montes Claros/MG

Elevações dos casos confirmados de Covid-19

I) Brasil
De 17 a 24/12/21: 29.722
De 31/12/21 a 07/01/22: 46.603
Aumento de 56,8% (mensagem 86028)
Fonte: OMS/JHU, 07/01/22

II) Minas Gerais
De 17 a 24/12/21: 2.079
De 31/12/21 a 07/01/22: 23.556
Aumento de 1.033,0%

III) Montes Claros
De 16 a 23/12/21: 80
De 30/12/21 a 6/01/22: 121
Aumento de 51,2%

Itens II e III - Fonte: SES/MG, 08/01/22

Manchetes:
Agência Brasil, 07/01/22: "Brasil - casos diários de covid-19 aumentam mais de 6 vezes em uma semana."
g1/GM, 07/01/22: "Hospital Universitário registra recorde de ocupação."
"Falta de profissionais dificulta o atendimento médico em Montes Claros."
"Minas Gerais registra aumento de casos de Covid-19. São 23.556 casos registrados em uma semana. Causas: variante ômicron e festas de fim de ano. Aumento de 48% dos casos de Covid em Minas, em uma semana, em relação a todo o mês de dezembro/21, que teve 15.910 casos.
70% das pessoas internadas em leitos clínicos em Minas são pessoas que não vacinaram."

As previsões de aumentos elevados dos casos confirmados de Covid-19, devidos à variante ômicron e às festas e reuniões de fim de ano, estão sendo confirmadas também, nos últimos dias, como os exemplos dos 3 itens acima.
Os postos de saúde e hospitais estão superlotados para atendimento aos prováveis casos de covid-19, da gripe influenza e outras enfermidades.
Os profissionais da saúde estão sobrecarregados devido aos aumentos dos números de pacientes.
Para maior proteção da população são indispensáveis: vacinação do maior número possível das pessoas, o mais rápido possível, uso da máscara, lavagem frequente das mãos, distanciamento social, evitar aglomerações, como recomendado pelos especialistas, o que depende dos órgãos da saúde pública e privada e também dos cidadãos se conscientizarem que a pandemia ainda não acabou e todos nós devemos ter muito cuidado com a nossa saúde.

Afonso Cláudio
08/01/22, 16h20m - amanhã: "Batismo do Senhor"


Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86030
De: José Ponciano Neto Data: Sábado 8/1/2022 10:51:58
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

ELVIS PRESLEY

“Em 08 de janeiro de 1935, nasce no Leste de Tupelo no estado de Mississippi, nos Estados Unidos, Elvis Aaron Presley. Foi, e é, considerado o maior roqueiro da história mundial, Elvis iniciou na música aos 10 anos de idade frequentando uma Igreja protestante – mas sua carreira musical efetivou aos 19 anos em 1954, quando fez sua primeira gravação."

Fez várias gerações vibraram com suas musicas e sua performance no palco um balanço literalmente próprio. - Se vivo fosse estaria completando 87 anos. Infelizmente foi encontrado morto na sua mansão, em 16/08/1977, consequência da overdose com drogas.”

Ainda hoje é considerado “ melhor dos melhores”.

- Ídolo da nossa geração!

(*) José Ponciano neto é Membro INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO MONTES CLAROS.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86029
De: Manoel Hygino Data: Sábado 8/1/2022 07:49:59
Cidade: Belo Horizonte

A língua pátria

Manoel Hygino

Comenta-se, frequentemente, a dificuldade para se publicar a produção literária no Brasil, a despeito dos novos autores e nomes que estão aparecendo, felizmente. Sente-se a necessidade de mudar esse quadro para melhorar, inclusive a distribuição das publicações aqui feitas. A propósito foi a atuação do presidente da Academia Mineira de Letras, no penúltimo mês de 2021, em Lisboa.
Em setembro, o embaixador de Portugal no Brasil, Luís Faro Ramos, veio a Belo Horizonte, para contatos com autoridades políticas e empresariais. Não deixou, contudo, de visitar a Academia Mineira de Letras, única instituição cultural a receber a distinção, quando se realçou a importância da missão de se preservar e promover a Língua Portuguesa. Em dezembro, o presidente da entidade foi a Lisboa, para o encontro pelos 25 anos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.
Na reunião, Rogério Faria Tavares louvou, no campo da educação, o trabalho das instituições dedicadas à difusão, ensino e pesquisa da Língua, como estratégia para aproximar os povos e as culturas, citando paradigmas como o Instituto Camões, o Instituto Internacional da Língua Portuguesa, sediado em Cabo Verde, mas também as cátedras da língua mundo afora.
Em segundo lugar, enfatizou a importância da literatura na difusão da língua, pois a literatura, em seu entendimento, é a alma do idioma, pois nela moram “os seus tesouros mais secretos, seus bens mais valiosos, sua esperança de permanecer e de transcender. Cabe à literatura fixar a língua, dando-lhe o poder de inventar e de reinventar a vida, de produzir sentidos e de alterá-los”.
Em decorrência, segundo o presidente da AML, “é preciso fortalecer as ações em favor das literaturas em língua portuguesa e de seu mercado editorial”. Observou que os concursos e prêmios são gestos fundamentais nessa direção, porque, ao popularizar o fazer literário, ajuda-o a ocupar espaços na comunidade e nos meios de comunicação, sem esquecer o reconhecimento pela contribuição de personalidades marcantes na vida cultural.
Para Rogério Tavares, não falta talento a nossos escritores. O que se pretende é divulgação e condição para publicar e, assim, chegar aos leitores. Resume: “O que se produz atualmente em toda a lusofonia é de alta qualidade e merece viajar por toda parte”.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86028
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 7/1/2022 10:56:57
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus (casos confirmados no Mundo)

Variações percentuais dos números de casos confirmados em 19 dos 20 países da classificação da Organização Mundial da Saúde, em ordem decrescente, entre 17 a 24/12/21 e 31/12/21 a 07/01/22 (2 períodos de 7 dias):

Class. / País / Casos 17 a 24/12/21 / Casos 31/12/21 a 07/01/22 / Var. %

1º Índia 46.577 387.582 +732,1
2º Argentina 52.315 418.558 +700,1
3º Colômbia 13.728 95.633 +596,6
4º México 16.498 85.409 +417,7
5º Itália 208.874 994.037 +375,9
6º França 423.096 1.423.084 +236,3
7º Estados Unidos 1.301.387 4.235.085 +225,4
8º Turquia 129.182 345.510 +167,4
9º Espanha 295.839 627.721 +112,2
10º Reino Unido 672.070 1.267.015 +88,5
11º Indonésia 1.351 2.129 +57,6
12º Brasil 29.722 46.603 +56,8
13º Países Baixos 91.376 131.861 +44,3
14º Alemanha 219.097 275.735 +25,8
15º Polônia 93.948 84.684 -9,9
16º Irã 14.363 10.348 -27,9
17º Rússia 182.216 100.458 -44,9
18º Ucrânia 41.740 22.502 -46,1
19º África do Sul 118.446 58.022 -51,0
Mundo 5.125.531 13.745.717 +168,2

Na semana de 31/12/21 a 07/01/22:
5 maiores números absolutos de casos
1º Estados Unidos 4.235.085
2º França 1.423.084
3º Reino Unido 1.267.015
4º Itália 994.037
5º Espanha 627.721

5 menores números absolutos de casos
15º Filipinas 47.657 (20º da class. OMS)
16º Brasil 46.603
17º Ucrânia 22.502
18º Irã 10.348
19º Indonésia 2.129

Manchete:
Uai/EM, 06/01/22: "Chance de morte em não vacinados contra Covid-19 é 11 vezes maior, afirma Secretário Fábio Baccheretti."

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
07/01/22, 10h51m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86027
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 6/1/2022 12:10:37
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Variações dos números de mortes por Covid-19 entre 16 a 23/12/21 e 30/12/21 a 06/01/22 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial da Saúde, em ordem decrescente dos percentuais:
- 6 países (30%) tiveram aumentos, variando de 28,4% (França) a 119,6% (Argentina).
- 14 países (70%) tiveram reduções, variando de 3,8% (Estados Unidos) a 66,7% (Indonésia).

Class. / País / Mortes 16 a 23/12/21 / Mortes 30/12/21 a 06/01/22 / Var. %
I) 5 maiores variações percentuais:
1º Argentina 107 235 +119,6
2º África do Sul 361 626 +73,4
3º Espanha 318 506 +59,1
4º Reino Unido 782 1.195 +52,8
5º Itália 899 1.185 +31,8

II) 5 menores variações percentuais:
16º Brasil 820 559 -31,8
17º Ucrânia 2.062 1.354 -34,3
18º México 1.171 712 -39,2
19º Países Baixos 326 177 -45,7
20º Indonésia 63 21 -66,7

Fonte: OMS/JHU, 06/01/22, 8h13m

Em números absolutos de mortes o Brasil está no 13º lugar, em ordem decrescente, com 559 mortes e média diária de 80 mortes, entre 30/12/21 e 06/01/22.

Países/Média diária de mortes, de 30/12/21 a 06/01/22: 1º Estados Unidos 1.318, 2º Rússia 703, 3º Polônia 321, 4º Índia 288, 5º Alemanha 252, 6º França 203, 7º Ucrânia 193, 8º Reino Unido 171, 9º Itália 169, 10º Turquia 145, 11º México 102, 12º África do Sul 89, 13º Brasil 80..
Os demais 7 países têm médias diárias de mortes variando entre 3 (Indonésia) e 72(Espanha).

O Brasil teve uma redução do número de mortes, do 1º para o 2º período, de 31,8% e passou do 8º lugar em 30/12/21 para o 16º lugar hoje, com a ressalva de provável subnotificação, devida ao ataque hacker de 10/12/21 aos sistemas de informática do Ministério da Saúde, que põe em dúvida a realidade atual do estágio da pandemia do coronavírus.

Últimas posições da África do Sul nas classificações das variações de mortes: hoje 2º, 30/12/21 1º, 23/12/21 1º. Como se sabe, foi na África do Sul onde foi identificada a variante ômicron pela primeira vez, na primeira quinzena de novembro/2021.

Melhor colocada hoje: Indonésia, 20º lugar. 3 últimas posições: 30/12/21 12º; 23/12/21 9º; 16/12/21 14º.
Destaques positivos: Polônia (passou do 6º lugar em 30/12 para o 13º lugar hoje); Alemanha (permaneceu no 15º lugar).

Destaques negativos: Argentina, do 7º lugar em 30/12 para o 1º hoje; Reino Unido, do 18º para o 4º hoje; Filipinas, do 20º para o 8º lugar hoje.

Dados do Mundo hoje: Casos confirmados 297.964.211; Mortes 5.467.412 - Fonte: OMS/JHU, 06/01/22, 10h21m.
O Mundo teve uma redução de 12,6% hoje. Últimas 3 posições, com reduções, do Mundo: hoje 12,6%, 30/12/21 10,0%; 23/12/21 13,8%.
A maior redução do Mundo, de 13/8/21 até hoje, em comparações deste tipo (2 períodos), foi em 18/9/21: 21,0%.

Manchetes:
g1, 05/01/22: "Mundo bate novo recorde com 2,6 milhões de casos de Covid em 1 dia."
g1/JN, 04/01/22: "Alta transmissibilidade da ômicron reforça necessidade de isolamento quando infectado."
"Ômicron não é apenas um resfriado comum, alerta OMS."
"Carnaval de rua no Rio* é cancelado pelo segundo ano por causa do aumento nos casos de Covid."
"Média de novos casos de Covid tem aumento de 223%, sétima alta seguida (Brasil)".
*Várias capitais do Brasil também cancelaram carnaval de rua, devido aos riscos de contaminações pelo coronavírus e suas variantes.
A pandemia continua. Nossas principais defesas são as vacinas, as máscaras, a higienização das mãos, com água e sabão ou álcool em gel, o distanciamento social e evitar aglomerações, conforme as orientações dos especialistas e profissionais da saúde.
E que o Pai Nosso livre o Brasil e o Mundo de todo mal.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
06/01/22, 11h43m - Santos Reis Magos


Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86026
De: Manoel Hygino Data: Quarta 5/1/2022 08:04:27
Cidade: Belo Horizonte

O adeus do líder

Manoel Hygino

O veterano arcebispo Desmond Tutu não teve forças para aguardar o surgimento de um novo ano. No dia 26 de dezembro, logo após o Natal dos cristãos católicos, seu coração e cérebro pararam de funcionar. Um câncer de próstata, diagnosticado em 1997, o foi dominando gradativamente de modo a afastá-lo de seu povo, a que não falava mais. Um passamento tranquilo, depois de 90 anos, grande parte dos quais em luta pela solução dos problemas sul-africanos, que constituíam o seu grande desafio.
Considerado um dos últimos ícones de seu tempo em todo o mundo, abrindo uma lacuna imensa, a que seu povo precisa corresponder a título de gratidão. As grandes lideranças e os chefes de governo de Estado não deixaram de reconhecer seus notáveis méritos e insuperável força para vender os empecilhos na construção de uma nação unida em torno de ideias e ideais.
O papa Francisco, prestou-lhe homenagem como chefe da Igreja de Roma. O Dalai Lama registrou que Tutu foi “um grande homem, inteiramente dedicado ao serviço de seus irmãos e irmãs”, enquanto Antonio Guterres, secretário-geral da ONU, o identificava como um “farol da justiça social, liberdade e resistência não violenta”.
Charles Michel, presidente do Conselho Europeu em representação dos 27 países da EU, o viu como “um homem que deu a vida pela liberdade com um profundo compromisso com a dignidade humana”. O presidente Joe Biden, dos Estados Unidos, concluiu: “Desmond Tutu seguiu seu chamado espiritual para criar um mundo melhor, mais livre e igual”.

Contrariamente a outras lideranças da África do Sul e outras nações do continente, Tutu usou processos pacíficos para atingir seus objetivos, merecendo o Prêmio Nobel da Paz, que recebeu em 1984. Por seus meios de ação, evitou prisões, lutou contra o apartheid, a corrupção na administração e falhas na luta contra a AIDS.
Bem disposto em suas aparições públicas, dançando com os patrícios de todas as categorias sociais, enfrentou as divergências sobre e contra homossexuais, além obviamente do status quo relativo à praça.
Em 2016, o arcebispo Desmond Tutu, visto quase sempre em franco sorriso, declarara: “Eu me preparei para minha morte e deixei claro que não desejo ser mantido vivo a qualquer custo. Espero ser tratado com compaixão e ter permissão para passar à próxima fase da jornada da vida da maneira que escolhi”. Assim se fez.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86025
De: José Ponciano Neto Data: Terça 4/1/2022 18:39:05
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

Água proveniente do cemitério pode estar contaminando via pública

Em 2005 escrevi um artigo sobre a contaminação do solo e o lençol freático através do necrochorume. o titulo: “a ação poluidora do homem não acaba após sua morte”. – esse artigo gerou várias matérias televisadas e escritas; inclusive com entrevista do saudoso dr. roberto loyola. na época, embasado no caso, a secretaria de saúde pública municipal interditou um poço profundo dentro do cemitério, pois, foi constatado que a água desse estava contaminada e concomitantemente à água que infiltrava e escorria afora dos murros. provavelmente contaminando as fontes de água próximas (cisternas).

Na época a prefeitura diante da repercussão construiu drenos aos pés dos muros – jogando a água contaminada na rede de esgoto da copasa, e, imediatamente passou atender as resoluções do conselho nacional do meio ambiente – conama que apregoam os aspectos construtivos de um cemitério. incidindo sepultar os corpos em jazigos impermeabilizados evitando a contaminação do solo e das águas subterrâneas. - a situação constrangedora foi resolvida!

Mais adiante, em 03/02/2020 nesse site: montesclaros.com - mens: 84.504 - discorri acerca da contaminação da água em vários sentidos e não deixei de abordar o necrochorume misturado com a água de chuva e sua maledicência à saúde pública.

O necrochorume é rico em adenovírus e enterovírus que, segundo os médicos infectologistas, atacam o fígado e o pâncreas. “em 1988 a oms” publicou um relatório afirmando que os cemitérios seriam uma fonte potencial de poluição, podendo causar impactos ambientais no solo e lençóis freáticos em razão da liberação de substâncias orgânicas, inorgânicas e microorganimos patogênicos.

Hoje – “aparentemente” - história se repete. quem passa av. leonel beirão ao lado do cemitério jardim da esperança nota-se vários pontos de surgências de águas oriundas das infiltrações das sepulturas por inumação (direto no solo sem impermeabilização) e das vielas internas. de inicio – é fato - os drenos aos pés dos murros (foto) estão colmatados (atulhados /entupidos) devido às raízes da vegetação (mato) existente e resíduos – demanda limpeza para direcionar a “água necrosada” à rede de esgoto. com o transito de veículos, água que escorre libera um cheiro desagradável, além da aparência e a vulnerabilidade dos transeuntes.

Apesar de que a mobilidade do necrochorume no solo é desconhecida; através de criteriosos estudos hidrogeológicos e sanitários – com analises para detectar a concentração dos “vírus entéricos” na água que infiltra no cemitério e escorre pela avenida e imediações. estudos poderão confirmar ou não a contaminação da água. dessa forma, se os resultados da qualidade da água percolada estiverem em conformidade com as normas ambientais, os transeuntes e visitantes do cemitério poderão ter a certeza que não estão sendo prejudicados ambientalmente.

Finalizando, inicialmente, é visivelmente confirmado que os drenos no pé dos murros estão comatados (atulhados /entupidos) devido às raízes do mato ali existente, que dificulta a drenagem da água ao pl da copasa.

{iv-i-mmxxii}

(*) José Ponciano neto é membro da comissão de geografia e ecologia do instituto histórico e geográfico montes claros e ex conselheiro da supram-nm

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86024
De: Manoel Hygino Data: Terça 4/1/2022 08:00:33
Cidade: Belo Horizonte

A voz de Minas

Manoel Hygino

2022 marca os 90 anos de um dos movimentos políticos mais candentes da República, uma revolução como efetivamente é considerada. São Paulo e Minas Gerais se ergueram contra Vargas, conduzido ao poder pela revolução de 1930, mas que não cumpria o estabelecido. Nem nova eleição para o Catete, nem uma nova Constituição.
Em Minas, Artur Bernardes, caçado na região da Mata mineira, foi preso como um bandido e levado ao Rio, permanecendo prisioneiro em bases militares nas ilhas das Cobras, do Rijo e Vigia. Nesta, o ex-presidente prestou depoimento, de que há cópia no Arquivo Público Mineiro. Eis um trecho: “Declarou que organizava no Estado de Minas Gerais um grande movimento revolucionário, que não teve o começo de execução, mas seria vitorioso, se não tivesse sido em tempo descoberto”.
Em geral, o entusiasmo pela causa, e ele declarante sentia dificuldade contrária ao absolutismo, mesmo temporário. Há precisamente um século, em 1831, que ele se levantou, com Teófilo Otoni à frente, contra tentativas absolutistas de D. Pedro I, em um dos mais expressivos movimentos que se conhece e, secundando o povo amotinado, no Rio, viu logo implantar-se o regime constitucional Pátria nova. Agora era a repetição na História que ali se verificava.
A injustificável tardança em entregar a nação ao governo de si mesma, alienou em Minas, como no país, as simpatias que fortaleciam o governo do sr. Getúlio Vargas. Sua autoridade passou então a ser considerada ilegítima, e a não merecer, portanto, obediência. Tecnicamente falando, o povo passou a ver em S. Exa. um usurpador do poder, e isso por dois motivos: primeiro, porque, nas democracias, os governos haurem sua autoridade das constituições políticas e, na falta destas, da vontade popular, por ser o povo soberano.
Ora, conclui-se, destruída nessa parte a Constituição de 24 de fevereiro pela Revolução de Outubro, ficou sendo o povo a fonte de toda a autoridade. Este, cheio de esperança, alçou o sr. Getúlio Vargas ao governo; mas, verificando que, em dois anos, ele não correspondeu aos seus anseios, retirou-lhe a confiança...”
A opinião pública considerava que “o sr. Getúlio Vargas, protelando o advento da Constituição, transformava em definitivo um governo que lhe foi dado a título provisório”.
Minas mais uma vez, erguia a voz.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86023
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 3/1/2022 17:02:21
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 13 a 20/12/2021 e 27/12/2021 a 03/01/2022 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, revelaram que 11 municípios (36,7%) reduziram seus respectivos percentuais, 7 (23,3%) aumentaram e 12 (40,0%) não reduziram, nem aumentaram, permanecendo com zero mortes nos 2 períodos.

- Minas Gerais reduziu 40,5%, passando de 89 para 53 mortes, do 1º para o 2º período.

- As 3 taxas de redução dos 11 municípios foram: 100% (Governador Valadares, Uberlândia, Betim, Contagem, Ipatinga, Caratinga, Pouso Alegre, Ibirité e Sabará; todos com zero mortes no 2º período); 8,3% (Belo Horizonte, passou de 12 para 11 mortes); 66,7% (Patos de Minas, passou de 3 para 1 morte).

- 7 municípios em que houve aumentos: Uberaba (100%, passou de 3 para 6 mortes).
Passaram de 0 para 1 morte: Ribeirão das Neves e Araguari.
Passaram de 0 para 2 mortes: Montes Claros, Passos e Vespasiano.
Passou de 0 para 3 mortes: Varginha.

- 12 municípios em que não houve variações percentuais (nenhuma morte nos 2 períodos): Teófilo Otoni, Juiz de Fora, Divinópolis, Curvelo, Poços de Caldas, Santa Luzia, Sete Lagoas, Coronel Fabriciano, Itabira, Janaúba, Pirapora e Januária.

- Destaques: 2 municípios, entre os 30 destas análises, que estão há mais tempo sem mortes (as últimas foram entre 15 e 22/10/21, há mais de 70 dias): Curvelo e Januária.

- 5 números absolutos de mortes, em 9 municípios, entre 27/12/21 e 03/01/22: 6 (Uberaba), 11 (Belo Horizonte), 3 (Varginha), 1 em cada (Ribeirão das Neves, Patos de Minas e Araguari), 2 em cada (Montes Claros, Passos e Vespasiano).

- Quantidade de municípios com zero mortes no 1º período: 18 (60%). Idem, no 2º período: 21 (70%).

- Total de mortes nos 30 municípios no 1º período: 44. Idem, no 2º período: 29. Redução de 34,1%.

- As reduções de mortes em Minas (40,5%) e nos 30 municípios (34,1%), hoje, são bem inferiores às citadas na mensagem 86010, de 27/12/21, de 70,1% em Minas e de 68,2% nos 30 municípios. Mas isto depende das datas dos dois períodos que estão sendo comparados. O ideal seria que todas as reduções fossem sempre o mais próximo possível de 100%, em todos os municípios, Estados e no país, mas isto depende de vários parâmetros da pandemia tais como o ritmo da vacinação, a adesão da população à mesma e às recomendações dos cientistas e especialistas para uso da máscara, distanciamento social, evitar aglomerações, lavar sempre as mãos com água e sabão e usar o álcool em gel, higienizar objetos, alimentos e ambientes etc. de amplo conhecimento de todos.

- Dados de Minas Gerais hoje, 03/01/2022, 14h11m:
Total de casos confirmados 2.226.164; Casos recuperados 2.152.868; Óbitos confirmados: 56.668.

-Manchetes:
Folha de São Paulo, 01/01/22: "Ômicron já é responsável por 83% dos novos casos em Portugal. Em um mês, variante dominou o país, que enfrenta recorde de infecções."
g1/JH, 01/01/22: "Anvisa pede cancelamento da temporada de cruzeiros por causa da Covid."
"A pandemia mudou as regras da virada ao redor do mundo."
Folha de São Paulo, 02/01/22: "Vacinados com Coronavac podem precisar de 2 reforços contra ômicron, diz estudo."
Bandnews, 02/01/22: "Israel identifica infecção conjunta de covid e influenza."
g1/JH, 03/01/22: "Rio de Janeiro e Ceará detectam casos simultâneos de Covid e gripe."
"Número de casos de Covid-19 nos Estados Unidos têm batido recorde atrás de recorde."

- Retifico a data da última linha da mensagem 86019 para 01/01/22.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
03/01/2022, 16h55m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86022
De: Manoel Hygino Data: Segunda 3/1/2022 08:20:58
Cidade: Belo Horizonte

Situações e números

Manoel Hygino

Do ano que virou passado, fica o registro doloroso da diferença no Brasil daqueles que têm muito e dos que nada possuem. Em ruas e praças públicas, sob marquises e vãos de viadutos, nas grandes cidades e nas pequenas localidades, assiste-se ao espetáculo cruel, segmentos de uma sociedade injusta, que começa por não oferecer oportunidades iguais para os que nasceram iguais: seres humanos.
Os governos não conseguem atingir a totalidade desses grupos em penúria, inclusive na doença e na morte. Disso, tivemos comprovação clara nestes dias pretéritos, em que a solidariedade, a compaixão de alguns, mais abastecidos em bens materiais, não serviu senão para amenizar a dor, inclusive da fome, por um restrito lapso de tempo.
Elevados aos altos cargos, os cidadãos que receberam votos não têm conseguido ou podido reduzir as diferenças não mais adstritas ao material e cotidiano. As tentativas de eliminação deste quadro tenebroso não têm produzido resultados positivos e animadores.
O ano começa sob o signo da injustiça que repercute drasticamente, quando não terrivelmente, sobre verdadeiras castas de desprotegidos, que formam multidões sofridas socialmente, sem que possam nutrir sequer a esperança.
O mais triste é que grande parte, ou praticamente a totalidade de males que afetam ponderável parcela da sociedade, é mantida e patrocinada pelo próprio cidadão que paga impostos, mas não tem condições de acompanhar pari passu o que é feito com o recurso auferido e sua utilização. Os pobres seguem pobres ou se tornam mais pobres, enquanto outros sobem os degraus aveludados das escadas do poder. As verbas públicas são afetadas por descaminhos, prejudicando a eficácia nos dispêndios sociais.
Quem lê jornais, livros, revistas, pode conhecer mais de perto os números, não memorizados pelos meios eletrônicos mais populares de comunicação. Mas, não custa saber, por exemplo, que US$ 618 milhões foi a soma do que os brasileiros gastaram em viagens internacionais somente em novembro. É quase o dobro dos US$ 329 milhões desembolsados em 2020, no mesmo período. Como?

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86021
De: José Ponciano Neto Data: Domingo 2/1/2022 14:14:02
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil

FOLIA DE REIS EM GLAUCILÂNDIA – MG

Ontem o 1º de Janeiro foi de “furar saco” nas folias de Reis.

Folia de Reis - segundo a história - é uma tradição iniciada no Brasil através dos Jesuítas já nas primeiras décadas do século XVI, pós-descobrimento do Brasil. Foi à maneira de “catequizar” os escravos e os índios.

Ontem 1º de Janeiro 2022 foi na casa da Dona Dolores Freitas Assunção (foto), logo na chegada vieram com as cantigas de louvação com e a exaltação da bandeira – cantiga da entrada - diante do presépio as danças tradicionais como: Lundu e o Guaiano e finalmente a festa de encerramento com aquele jantar e o café com biscoito que deixou os foliões e os “fura sacos” mais alegre e fortes para a nova visita .

Do outro lado do Rio Verde Grande, em Mandacarú outro Terno de Folia visitou a o Presépio da casa do campesino “Zé Caçarema”.

Toda cerimônia é mesclada de cânticos e saudações que acenam a visita dos Reis Magos e o nascimento do menino Rei. - Tradição que vem de “pais pra filhos”. As festas irão até dia 06 de janeiro

- “Senhor dono da casa / vai chegando a folia / Vem beijar a nossa bandeira e escutar a cantoria”.

- “Deus vos salve casa santa / Deus vos salve casa santa / Aonde Deus fez a morada / Aonde Deus fez a morada, ah, ah, aaaah

Reflexão: "O saber a gente aprende com os mestres e os livros - a sabedoria se aprende com a vida e com os humildes".
Salve os foliões!!

{II-I-MMXXII}
(*) José Ponciano Neto é “Fura saco de folia”- Historiador Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros – Diretor Financeiro da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86020
De: José Ponciano Neto Data: Sábado 1/1/2022 14:41:54
Cidade: Montes Claros- MG  País: Brasil


Hoje, primeiro dia de 2022, fui direto ao Site “montesclaros.com” para atualizar-me com as novidades do dia-a-dia.

Deparei com esse titulo na pagina principal: "(Detalhe: é possível ouvir o galo cantar, pela segunda vez, quando a imagem alcança novamente a fenda, hoje seca, no lugar onde a cachoeira refletia a luz do luar, em noites altas, soleníssimas, da cidade de 10 mil habitantes - hoje, 440 mil)".

Imediatamente fui remetido de volta ao passado – naqueles anos dourados da adolescência, quando frequentávamos a Serra do Melo para desfrutar da cachoeirinha que ali existia e perene o ano inteiro. Neste momento resolvi a republicar um texto que escrevi - aqui nesse Site - em 04 de Abril de 2018. - Leiam.

Titulo: A SECA DO BIÊNIO 39/40 E AS INUNDAÇÕES DE 1965

SÍNTESE: Chuva é coisa de Deus. É a água! Além de ser viva... Ela é responsável pela VIDA de toda biosfera. Desde Rinoceronte e o búfalo aos menores bentônicos.

Nestes 08 anos seguidos de chuvas minguadas e para piorar as tempestades solares vieram em forma de calor de “rachar mamona”; porém, o ciclo da água ainda é incógnito. São anos de estudos (monitoramentos), e ainda existem fenômenos misteriosos. - Nem sempre a “previsão” é “precisão”!

Antigamente na esquina da Rua João Souto c/ R. General Carneiro existia uma Estação Climatológica que era monitorada por Dona Joaninha Procópio; era comum as professoras do Grupo Escolar Francisco Sá nos levar para visitá-la. Atentamente ficávamos ouvindo as explicações da observadora meteorológica. Aprendemos o que são milímetros de chuva – bem explicados por Dona Joaninha Procópio. Já no 4º ano primário, no ano 1965, em Montes Claros a chuva era tanto que, diariamente me induzia ir à Estação para saber o tanto que tinha chovido, no intuito de narrar para meu avô “Seu Ponciano” quantos milímetros de chuva tinha caído e se a chuva iria continuar.

Naqueles anos, a Companhia de Água e Esgoto de Montes Claros -CAEMC tinha um rodízio rigoroso - guardar água de chuva era obrigatório – toda casa tinha tambores debaixo das bicas do telhado.

No ano de 1965 a gente olhava para a Serra do MELO e assistia suas furnas em cachoeiras. Era muito bonito! Nas baixas – hoje os bairros: Morada do Sol, Melo, São Luiz e Ibituruna - todas inundadas. A Serra fazia parte da Fazenda MELO que pertenceu a família Tupynambá - hoje os Bairros citados. Esta fazenda, mais tarde, parte dela foi vendida a família Marcondes. Fazenda Melo originou o nome da serra : Serra do Melo.

Como todo menino é encapetado! Não obstante ter seu “anjo da guarda”. Íamos até a baixa do Seminário Premonstratense, tomar banho na lagoa e aproveitar das enxurradas era de praxe.. Era uma das felicidades na nossa infância.

Voltando às chuvas e seu Ciclo; muitas vezes o meu avô José Ponciano me narrava que no biênio 1939 / 1940 nas Comunidades do Sitio; Granjas Reunidas; Dolabela e Bocaiúva os moradores enfrentaram uma das maiores secas - choveu muito pouco - quase nada – nos registros da Rede Ferroviária e da Firma Dolabela & Portela, constavam que foram menos de 300 milímetros no período de chuva de Setembro/39 a Abril/40. Segundo meus avós, a seca foi tanta, que não houve chuva sequer para plantar milho; os pastos acabaram ocasião que muitos animais e pessoas morreram com a sequidão.

outras pessoas narravam que o Rio Jequitai em varias partes secou; tinham noticias que o Rio São Francisco oferecia condições de atravessar andando em Pirapora e na cidade São Romão.

Este fenômeno aconteceu há 82 anos, época que não havia tanto desmatamento - a emissão de substâncias gasosas como: dióxido de carbono e metano não eram suficientes para provocarem o Efeito Estufa. Digo isso embasado na teoria dos “especialistas”. – Mistério!

Deus queira que chova bastante nos próximos ciclos – como em 1965 – 79 e 83. Não temos mais a Dona Joaninha Procópio para explicar sobre o ciclo hidrológico, mas, acreditamos que muitos mistérios terrestres e celestiais ainda estão para serem desvendados... como o ciclo da Lua e a influência das tempestades solares no ciclo das chuvas.

As cachoeiras da SERRA DO MELO dificilmente serão perenes novamente como outrora.

FELIZ 2022 PARA TODOS.


(I – I – MMXXII)
(*) José Ponciano Neto é Ecologista - Historiador Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros – Diretor Financeiro da Academia Maçônica de Letras do Norte de Minas. Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Montes Claros.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86019
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 1/1/2022 11:59:16
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus
Comparações de mortes em 2020 e 2021

I) Mundo
Mortes em 2020 (até 31/12) / Mortes em 2021 (até 30/12) / Aumento
1.807.331 / 3.617.387 / 100,1%

II) Brasil
Mortes em 2020* / Mortes em 2021* / Aumento (*até 31/12)
193.875 / 425.459 / 119,4%

III) Minas Gerais
Mortes em 2020* / Mortes em 2021* / Aumento (*até 31/12)
11.902 / 44.757 / 276,0%

IV) Montes Claros Mortes em 2020* / Mortes em 2021* / Aumento (*até 30/12) 223 / 767 / 243,9%

Fontes: itens I e II: OMS/JHU; itens III e IV: SES/MG.

Influência da vacinação em 2021

Ao compararmos 2 períodos de 3 meses (21/4/21 a 26/7/21 com 21/7/21 a 26/10/21), conforme, por exemplo, a mensagem 85924, de 27/10/21, encontramos estas reduções dos números de mortes: Brasil 63,8%, Minas Gerais 65,5% e Montes Claros 69,6%.
E na mensagem 86010, de 27/12/21, ao compararmos 2 períodos de 1 semana, encontramos 70,1% em Minas Gerais e 100,0% em Montes Claros.
Na mensagem 86015, de 29/12/21, em comparação de 2 períodos de 1 semana também, encontramos redução de 30,0% no Brasil.

Afonso Cláudio
01/01/21, 11h55m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86018
De: Afonso Cláudio Data: Sábado 1/1/2022 08:57:09
Cidade: Montes Claros/MG

Milímetros de chuva acumulados em Montes Claros nos últimos 5 anos

Ano / mm
2017 / 447; 2018 / 1.000; 2019 / 704 (mensagem 84440);
2020 / 1.132 (mensagem 85403)
2021 / 1.219 (sendo 509 mm no 1º semestre/mensagem 85727, e 710 mm no 2º semestre).
Fonte: mm publicados pelo montesclaros.com.
Média anual, conforme INMET, em 102 anos: 1.053,7 mm

Feliz 2022. Saúde e paz.

Afonso Cláudio
01/01/2022, 8h50m; Maria, Santa Mãe de Deus
Dia Mundial da Paz

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86017
De: Afonso Cláudio Data: Sexta 31/12/2021 10:40:18
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus (casos confirmados no Mundo)

Cálculos e classificação, em ordem decrescente, dos aumentos percentuais do número de casos confirmados em 19 dos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial da Saúde, entre 24 e 31/12/21 (7 dias), revelaram que, entre os 10 primeiros colocados, 6 países são da Europa (60%) (Espanha/1º, França/2º, Itália/3º, Reino Unido/4º, Alemanha/7º e Países Baixos/8º ), 1 da África (10%) (África do Sul/9º), 1 da América do Norte (10%) (Estados Unidos/5º), 1 da América do Sul (10%) (Argentina/6º) e 1 da Ásia/Europa (10%) (Turquia/10º).

Posições de outros 3 países americanos: a) América do Sul: Colômbia 15º, Brasil 16º; b) América Central: México 14º.
Três países muito próximos do 10º lugar: Polônia (11º), Rússia (12º) e Ucrânia (13º).

Destaques positivos hoje: Reino Unido (passou do 1º lugar em 24/12 para o 4º lugar hoje); África do Sul (do 5º para o 9º). Destaque negativo: Argentina (do 13º para o 6º).

O aumento percentual dos casos confirmados no Mundo, que em 24/12/21 foi de 1,88% (em 1 semana), hoje foi de 3,02% (também em 1 semana).

Manchetes:
a) g1/JH, 30/12/21: 1) "Surto de Covid-19 interrompe viagem de cruzeiro e navio é obrigado a atracar em Santos."; 2) "Õmicron: Estados Unidos registram recorde de casos diários da Covid-19."
b) Folha de São Paulo, 30/12/21: 1) "Internações por Covid voltam a subir no Estado de São Paulo."; 2) "Ômicron deixa sistemas de saúde à beira do colapso, diz OMS."

Continuam sendo aconselhados, nas festas de fim de ano, pelos especialistas e por autoridades da Saúde em Minas Gerais os mesmos procedimentos preventivos contra o coronavírus, além da vacinação completa: reunir poucas pessoas, ambiente arejado, afastamento de 1,5 a 2 metros entre as pessoas, usar máscara, higienizar as mãos, objetos e ambientes, tendo em vista a transmissão comunitária da variante ômicron estar aumentando.
Estes procedimentos também nos protegem contra a gripe influenza, que também é muito perigosa para a saúde.

Feliz Ano Novo para todos nós, com muita saúde, paz, as bênçãos e a proteção de Deus para o mundo inteiro.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
31/12/21, 10h34m - São Silvestre I, Papa.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86016
De: Afonso Cláudio Data: Quinta 30/12/2021 14:12:48
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia do coronavírus

Variações dos números de mortes por Covid-19 entre 9 a 16/12 e 23 a 30/12 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 20 primeiros países da classificação da Organização Mundial da Saúde, em ordem decrescente dos percentuais:
- 6 países (30%) tiveram aumentos, variando de 0,7% (Polônia) a 85,1% (África do Sul).
- 14 países (70%) tiveram reduções, variando de 1,3% (Argentina) a 52,8% (Filipinas).

Class. / País / Mortes 9 a 16/12 / Mortes 23 a 30/12 / Var. %
I) 5 maiores variações percentuais:
1º África do Sul 188 348 +85,1
2º Itália 706 1.014 +43,6
3º França 925 1.224 +32,3
4º Estados Unidos 9.283 10.851 +16,9
5º Espanha 382 394 +3,1

II) 5 menores variações percentuais:
16º Países Baixos 413 271 -34,4
17º Ucrânia 2.619 1.688 -35,5
18º Reino Unido 804 516 -35,8
19º México 1.294 771 -40,4
20º Filipinas 688 325 -52,8

Fonte: OMS/JHU, 30/12/21, 9h35m

Em números absolutos de mortes o Brasil está no 10º lugar, em ordem decrescente, com 1.004 mortes e média diária de 143 mortes, entre 23 e 30/12.
Países/Média diária de mortes, de 23 a 30/12: 1º Estados Unidos 1.550, 2º Rússia 992, 3º Polônia 424, 4º Índia 300, 5º Alemanha 265, 6º Ucrânia 241, 7º França 175, 8º Turquia 157, 9º Itália 145, 10º Brasil 143.
Os demais 10 países têm médias diárias de mortes variando entre 7 (Indonésia) e 110 (México).
O Brasil teve uma redução de apenas 1,6% e passou do 18º lugar em 23/12/21 (redução de 36,3%) para o 8º lugar de hoje.
Últimas 3 posições da África do Sul: hoje 1º, 23/12 1º, 16/12 7º.
As Filipinas, melhor colocada hoje, ficou também no 20º lugar em 23/12, no 19º lugar em 16/12 e no 18º lugar em 9/12.
Outros destaques: o Reino Unido melhorou do 10º lugar em 23/12 para o 18º lugar hoje. A Alemanha, do 7º para o 15º e a Colômbia, do 6º para o 13º.

Dados do Mundo hoje: Casos confirmados 284.649.446; Mortes 5.424.718 - Fonte: OMS/JHU, 30/12/21, 9h44m.
O Mundo teve uma redução de 10,0% hoje. Últimas 3 posições, com reduções, do Mundo: hoje 10,0%, 23/12 13,8%, 16/12 8,3%.
Maior redução do Mundo, de 13/8/21 até hoje, em comparações deste tipo (2 períodos), foi em 10/9/21: 21,0%. A maioria foram pequenas reduções percentuais e alguns aumentos, confirmando a dificuldade de se conseguir chegar a um estágio mais favorável de controle da pandemia do coronavírus, a nível internacional. Mas não devemos desanimar, de forma alguma. A vitória virá, pela ciência humana e pela graça de Deus, desde que todos nós colaboremos para tal.

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
30/12/21, 14h02m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86015
De: Afonso Cláudio Data: Quarta 29/12/2021 14:51:23
Cidade: Montes Claros/MG

Pandemia nos Estados brasileiros

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 8 a 15/12 e 22 a 29/12 (2 períodos de 7 dias), nos 26 Estados e Distrito Federal, do Brasil, revelaram que 14 Estados e o DF (55,5%) reduziram seus respectivos percentuais, 10 Estados (37,0%) aumentaram e 2 (7,4%) não aumentaram, nem reduziram.
- As reduções variaram entre 11,2% (Rio Grande do Norte) e 100,0% (Sergipe).
- Os aumentos variaram entre 5,5% (Piauí) e 416,7% (Goiás).
- Os 2 Estados que não variaram seus percentuais foram: Acre e Paraíba (ambos com 0%).
- Reduções no Sudeste: São Paulo (60,9%), Minas Gerais (60,4%) e Rio de Janeiro (19,3%).
O Espírito Santo aumentou 24,0%..
- 5 maiores números absolutos de mortes, entre 22 e 29/12:
1º São Paulo 119, 2º Rio de Janeiro 88, 3º Goiás 62, 4º Minas Gerais 55 e 5º Rio Grande do Sul 50.
- Comparando as médias diárias de mortes nos 2 períodos acima citados, o Brasil passou de 150 para 105 mortes, com redução de 30,0%.

Fonte: g1.com.br/coronavírus, 29/12/21, 10h55m.

Obs.: conforme o g1/JN, de 28/12/21, "Especialistas têm alertado que a instabilidade nos sistemas do Ministério da Saúde, que ocorre desde o ataque hacker do último dia 10, está impedindo que se tenha um retrato preciso do atual estágio da pandemia. Alguns Estados ainda têm relatado dificuldades para incluir as informações."

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
29/12/21, 14h46m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86014
De: Afonso Cláudio Data: Quarta 29/12/2021 10:15:41
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais

Classificação do índice de mortes por 100 mil habitantes, pela Covid-19, em ordem decrescente, dos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, referente ao período de 29/11/21 a 28/12/21:

Class. 28/12/21 / Município / Nº mortes / mortes/100 mh / Class. 30/11/21 (msg 85964)

1º Caratinga 22 23,89 1º
2º Governador Valadares 59 21,08 6º
3º Divinópolis 15 6,29 15º
4º Patos de Minas 6 3,93 13º
5º Uberaba 10 2,99 2º
6º Contagem 19 2,86 18º
7º Janaúba 2 2,79 27º
8º Belo Horizonte 65 2,59 4º
9º Varginha 3 2,21 22º
10º Poços de Caldas 3 1,79 12º
11º Pirapora 1 1,77 5º
12º Uberlândia 8 1,16 9º
13º Ibirité 2 1,11 7º
14º Santa Luzia 2 0,912 16º
15º Coronel Fabriciano 1 0,910 24º
16º Sete Lagoas 2 0,83 21º
17º Vespasiano 1 0,78 11º
18º Sabará 1 0,73 23º
19º Teófilo Otoni 1 0,71 27º
20º Betim 3 0,68 10º
21º Pouso Alegre 1 0,66 26º
22º MONTES CLAROS 2 0,49 20º
23º Ribeirão das Neves 1 0,30 8º
24º Juiz de Fora 1 0,17 3º
25º Ipatinga 0 0 17º
25º Curvelo 0 0 27º
25º Araguari 0 0 14º
25º Passos 0 0 19º
25º Itabira 0 0 25º
25º Januária 0 0 27º

Minas Gerais 459 2,17*
*equivalente ao 9º lugar da classificação dos municípios em 28/12 (12º em 30/11).

Nos 30 municípios:
Soma de mortes entre 28/10 e 29/11 = 346
Idem, entre 29/11 e 28/12 = 231
Redução: 33,3%

Em Minas Gerais:
Idem, entre 28/10 e 29/11 = 639
Idem, entre 29/11 e 28/12 = 459
Redução: 28,2%

Fonte: Boletim Epidemiológico Coronavírus, Secretaria Estadual de Saúde/MG.

Manchetes:
Boletim Epid. Prefeitura BH, 27/12/21: "Taxa de transmissão da Covid em BH é a maior em 9 meses. Índice está em 1,10."
28/12/21: "Secretário de Saúde de Minas prevê avanço da variante ômicron em janeiro."
g1/JH, 28/12/21: 1) "Mundo registra pela primeira vez mais de 1 milhão de casos de Covid em 1 dia."
2) "Ômicron: OMS alerta que disseminação da variante vai causar muitas hospitalizações."
3) "Preocupação com a variante ômicron faz cidades ao redor do mundo cancelarem ou reduzirem as festas de réveillon."

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
29/12/21, 10h7m

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86013
De: Manoel Hygino Data: Quarta 29/12/2021 07:59:11
Cidade: Belo Horizonte

Madame Curie em Belô

Manoel Hygino

O próximo ano assinala o bicentenário de Independência do Brasil. Até aí, não é novidade. Mas ainda em 2022 se registra o centenário de inauguração do Instituto do Radium, o primeiro das Américas, fato sobre o qual se fala e se escreveu tão pouco.
Desde 1919, o crescimento dos casos de câncer assustava, e médicos na capital sentiram que havia necessidade de agir. Assim, graças a esses profissionais e à dedicação de outros como Borges da Costa, levou a um notável esforço pela criação do Instituto do Câncer e Radium, com apoio do presidente de Minas, Artur Bernardes.
A ideia floresceu, Minas Gerais à frente de todo o continente. Em 7 de setembro de 1922, inaugurou-se o empreendimento, para o qual a Santa Casa da capital produziu uma peça expositiva ainda não editada.
Na Europa, Madame Curie se interessou à época, pois parecia inimaginável que numa cidade com menos de 25 anos como capital, se tivesse concretizado uma façanha dessa dimensão científica e médica. Em 1926, Marie Sklodowska Curie desembarcou aqui, recebida quase com veneração pelos colegas, visitou o Instituto, fez conferência na Faculdade.
Pedro Nava, médico e hoje memorialista celebrado, era universitário e assistiu “com olhos embasados à lição com que ela nos honrou”. Anotou, emocionado: “Essa mulher fabulosa, nos vinte, pelos seus cinquenta para sessenta e já era detentora duas vezes do Prêmio Nobel. Era pequena de estatura, andava vestida de negro, saia arrastando, costume sebento. Apresentou-se sempre com a mesma roupa na capital de Minas, mal penteada, mãos vermelhas maltratadas e vi suas botinas de salto baixo tendo abotoadas só o botão de cima”.
Entretanto: “Ensinando, transfigurava-se e, às suas palavras, nosso anfiteatro iluminou-se mais – como se passassem por suas paredes raios urânicos, centelhas radioativas de tório e faíscas ferromagnéticas”.
Nascida em Varsóvia, Polônia, em 7 de novembro de 1867, órfã de mãe aos 10 anos, quando sua pátria fazia parte da Rússia czarista, venceu muitos desafios e dificuldades, formou-se em Medicina e se transferiu para Paris, ingressando na Sorbonne. Graduou-se em Medicina, depois em Física e Matemática, iniciando experiências em um porão cedido pela instituição. Conquistou duas vezes o Nobel e se consagrou como único cientista a receber dois desses Prêmios, sendo a primeira mulher a tornar-se professor na Sorbonne. Faleceu em 1934, oito anos após visitar Belo Horizonte.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86012
De: Manoel Hygino Data: Terça 28/12/2021 08:07:17
Cidade: Belo Horizonte

Obras importantes

Manoel Hygino

Nem tudo está podre como no reino da Dinamarca, contrariando o texto de Shakespeare e as versões malévolas de alguns setores políticos. Pior é que se estabeleceu um violento sistema de suspeitas e fuxicos em vários setores da vida brasileira, em que quase tudo é direcionado ao Judiciário, que o cidadão comum se perde no meio das divergências e dos interesses escusos, quando não na terminologia advocatícia.
Há boas notícias, porém. O Brasil está voltando a vender carne à China, superando a suspeita de contaminação do produto daqui procedente. Não apenas isso. A Rússia já retomou importação de carnes bovina e suína, interrompida por motivo igual. Isso ajuda nossa pauta de exportação, colaborando também com as duas nações, que necessitam atender sua demanda interna. É a fome com a vontade de comer.
E existe mais: o Ministério da Infraestrutura já autorizou a construção de nove ferrovias no país. As empresas vencedoras de licitações investirão R$ 50 bilhões e agregarão 3,5 mil quilômetros à malha brasileira, beneficiando vários estados, inclusive Minas Gerais. Serão R$ 150 bilhões em investimentos, o que dá ideia da significação dos projetos.
Para nós que somos do sertão, é bom saber que o governo de Minas autorizou a construção de uma extensa ponte sobre o rio São Francisco com início previsto para 2022. A ponte será uma das maiores já construídas em Minas, com 1.120 metros de comprimento e 13,8 metros de largura, além do acesso de aproximadamente três quilômetros. Para a execução de toda a obra serão aplicados cerca de R$ 113 milhões. Os recursos são do Termo de Reparação assinado com a mineradora Vale, em decorrência do rompimento da barragem de Brumadinho.
Desde a abertura da rodovia, a travessia do São Francisco se fazia por meio de balsas, que dependem das condições climáticas e da capacidade fluvial do curso d’água para realizarem a transposição de veículos de cargas e de passeio.
Com a construção, a circulação de mercadorias do setor agropecuário entre as regiões Norte e Noroeste de Minas será facilitada e, também, o escoamento da produção dos estados de Goiás e Mato Grosso para o Nordeste. Outro importante benefício será ampliar o acesso das cidades mineiras ao Distrito Federal, uma vez que, por vias asfaltadas, será obrigatório passar por Pirapora, João Pinheiro, Paracatu e Unaí.
“A construção de uma ponte de mais de 1 quilômetro não é tarefa fácil. A estrutura tem vão de navegação de 240 metros, outros vãos menores, de 40 metros, e pilares centrais de 15 metros de altura”, explica o diretor-geral do DER-MG, Robson Santana.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86011
De: Ananias Data: Terça 28/12/2021 08:58:30
Cidade: Montes Claros

Fiquei sabendo há pouco: nesta madrugada, um eucalipto caiu sobre o cano de 60 centímetros de altura que conduz a água do Rio Pacui para o consumo da população de M. Claros.

Aconteceu a 32 quilômetros daqui, na fazenda que foi do saudoso Antônio Augusto Ataíde e que foi vendida para grupo de pecuaristas de Pará de Minas, que instala um mega-projeto de confinamento no local.

O acidente desta madrugada pode afetar o abastecimento, mas técnicos da Copasa trabalham no local, para refazer a tubulação.

Também fiquei sabendo: a Barragem de Juramento, que no fim de semana tinha 35% de sua capacidade, subiu hoje para 45,7%, cerca de 1 metro a mais.

Não farei comentários, mas a população estranha o não enchimento da barragem.

A Copasa não pode deixar de prestar esclarecimentos regulares à populaáo, sob pena de descrédito, de que já foi vítima tempos atrás.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86010
De: Afonso Cláudio Data: Segunda 27/12/2021 17:26:42
Cidade: Montes Claros/MG

Covid-19 em Minas Gerais - excelentes resultados

Cálculos das variações percentuais dos números de mortes devidas à Covid-19, entre 6 a 13/12 e 20 a 27/12 (2 períodos de 7 dias), relativas aos 30 municípios entre os de maiores populações de Minas Gerais, revelaram que 8 municípios (26,7%) reduziram seus respectivos percentuais, 3 (10,0%) aumentaram e 19 (63,3%) não reduziram, nem aumentaram.
- Minas Gerais reduziu 70,1%, passando de 157 para 47 mortes, do 1º para o 2º período.
- As 3 taxas de reduções de 8 municípios foram: 100,0% (Juiz de Fora, Uberaba, Montes Claros, Poços de Caldas, Sete Lagoas e Janaúba); 91,2% (Governador Valadares) e 81,8% (Caratinga).
- 3 municípios em que houve aumentos: Teófilo Otoni (infinito, de zero para 1 morte), Uberlândia e Divinópolis (de 1 para 2 mortes cada).
- 19 municípios em que não houve variações percentuais:
Nenhuma morte nos 2 períodos: Betim, Varginha, Ribeirão das Neves, Ipatinga, Curvelo, Pouso Alegre, Santa Luzia, Ibirité, Sabará, Araguari, Passos, Vespasiano, Coronel Fabriciano, Itabira, Pirapora e Januária.
13 mortes em cada período: Belo Horizonte.
3 mortes em cada período: Contagem.
1 morte em cada período: Patos de Minas.
- 4 números absolutos de mortes entre 20 e 27/12: Governador Valadares e Contagem (3 mortes cada); Uberlândia, Divinópolis e Caratinga (2 mortes cada); Teófilo Otoni e Patos de Minas (1 morte cada) e Belo Horizonte (13 mortes).
- Quantidade de municípios com zero mortes no 1º período: 16 (53,3%). Idem, no 2º período: 22 (73,3%).
- Total de mortes nos 30 municípios no 1º período: 85. Idem, no 2º período: 27. Redução de 68,2%.

Dados de Minas Gerais em 27/12/21, 14h27m: Casos confirmados 2.219.093; Casos recuperados 2.149.489; Óbitos confirmados 56.615.

Muito importante compararmos as variações de mortes em Minas e nos 30 municípios, por exemplo, nas 3 últimas análises:
Mensagem / Var. % em MG / Var. % nos 30 municípios
85986, 13/12 +29,7 +44,1
85994, 20/12 -26,4 -25,4
... , 27/12 -70,1 -68,2

É muito clara a forte tendência de redução de mortes por Covid, próxima de 70% em Minas, como os números acima revelam, mas a perseverança de todos é indispensável para se obter e manter resultados tão importantes, até chegarmos à redução de 100%, permanente, nos 853 municípios do Estado, com nenhuma morte por Covid mais.
E, como todos sabem, a vacinação e a proteção recomendada pelos especialistas, amplamente divulgada, contra o coronavírus e suas variantes, são nossas fortes aliadas.

Manchetes:
g1, 25/12/21: "23 funcionários se contaminam com a variante ômicron em festa de empresa em Minas Gerais."
g1, 27/12/21: "Com propagação da ômicron, mais de 7 mil voos são cancelados." (no mundo)

Afonso Cláudio de Souza Guimarães
27/12/21, 17h19m - São João Apóstolo e Evangelista

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86009
De: Manoel Hygino Data: Segunda 27/12/2021 08:13:51
Cidade: Belo Horizonte

Um país em foco

Manoel Hygino

A Academia Mineira de Letras sempre nos premia com fatos dignos de serem registrados. É o que se viu neste último mês de 2021, como vou referenciar. Assim, o acadêmico Caio Boschi foi contratado pela Unesco para, em Portugal, identificar e estabelecer formas de reprodução de documentos históricos relativos à emancipação política do Brasil. A Biblioteca Nacional fará a divulgação por meio digital-eletrônico, nos termos do Projeto Resgate Barão do Rio Branco.
Outro motivo de satisfação: a revista Bula, especializada em Cultura e Artes, editada há pouco, noticia que, entre os dez melhores livros de 2021, foi escolhido a “Pequena Enciclopédia de Seres Comuns”, da acadêmica Maria Esther Maciel, lançada a obra pela Editora Todavia.
E a Editora Liberdade, Casa dos Contos e o Museu Casa Alphonsus de Guimaraens lançaram, nos dias 17 e 20, em Outro Preto e Mariana respectivamente, o livro de Ângelo Oswaldo de Araujo Santos – “Na Casa de Alphonsus”. O volume reúne textos sobre o notável poeta, patrono do sodalício, elaborados por Ângelo, prefeito de Ouro Preto pela quarta vez e nosso confrade na AML.
Os três fatos, que são efetivamente eventos, merecem atenção pela importância que envolvem, inclusive por envolverem temas em que Minas Gerais foi e é protagonista na história brasileira, merecendo, e mesmo exigindo, realce neste ano do bicentenário que já bate à porta.
A Caio Boschi já se devem trabalhos valiosos no que tange ao assunto que despertará muito interesse do Brasil em 2022. Em 1998, ele já coordenara o “Inventário dos Manuscritos Avulsos Relativos a Minas Gerais existentes no Arquivo Histórico Ultramarino”, em Lisboa. A nova missão será uma contribuição relevante ao objetivo maior e final do trabalho proposto. Ninguém melhor do que ele para fazê-lo. O próprio Boschi comentou ser imprescindível que “nós brasileiros, estejamos melhor imbuídos da consciência documental a respeito ao nosso país.
No que tange à acadêmica Maria Esther, bastaria dizer que, para seu projeto, escolheu 76 verbetes para discorrer, de animais, plantas, flores e pessoas. Entre os mais populares, a maria-fedida, inseto que excreta um líquido malcheiroso quando ameaçado e a maria-cachaça, peixe carnívoro do Nordeste.
Quanto ao livro de Ângelo Oswaldo, bastaria recordar que ele é um dos maiores conhecedores de Alphonsus no Brasil, como tem demonstrado suficientemente em livros e artigos, assim como em belos discursos e palestras. A nova publicação adverte para seus méritos e conhecimentos sobre temas tão caros aos amantes de nossas letras.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Mensagem N°86008
De: Afonso Cláudio Data: Domingo 26/12/2021 13:51:12
Cidade: Montes Claros/MG

As tragédias rodoviárias não param

Preferia estar falando sobre o Natal, da Sagrada Família, de Santo Estevão, primeiro mártir cristão, mas:
" 1 morte e 6 feridos, de madrugada, em acidente envolvendo ônibus (de M. Claros) e carro, perto de Corinto. O motorista do carro, de Corinto, viajava sozinho e morreu. Domingo 26/12/21 - 10h16".
Em 6 acidentes noticiados pelo montesclaros.com, em rodovias do Norte e Centro de Minas, de 19 a 26/12/21: 6 mortos, sendo 3 em Buritizeiro, 1 em Cabeceiras (zona rural de Moc ), 1 em Bocaiuva e 1 em Corinto (neste, poderia ter sido maior número porque o ônibus de M. Claros tombou e havia 30 passageiros nele). Feridos: 10, sendo 4 em Buritizeiro e 6 em Corinto.
Fim de ano? Não. Por causa da chuva? Não. Isto acontece o ano todo, entra ano, passa ano, com ou sem chuva, infelizmente.
As causas são de amplo conhecimento, seja por falhas humanas dos motoristas, sejam devidas às rodovias mal projetadas, conservadas e fiscalizadas, principalmente inadequadas para trânsito excessivo de veículos enormes, tais como caminhões, cegonheiras, bi-trens, tri-trens etc., por serem de pistas simples, nas quais os eventuais choques frontais ou traseiros, envolvendo esses veículos e os de menor porte, normalmente resultam em vítimas fatais e feridos graves ou gravíssimos, pela elevadíssima energia mecânica (cinética) no momento dos choques.
Já abordei este assunto em inúmeras mensagens aqui neste Mural, mostrando, inclusive, as vantagens e segurança do transporte ferroviário moderno e do aéreo/rodoviário comercial, que ligam Montes Claros a outras regiões de Minas e do Brasil (o transporte ferroviário de passageiros por aproximadamente 70 anos, de 1926 a 1996 e o aéreo comercial há 83 anos).
Quem sabe, mais uma mensagem pode ajudar alguma coisa? Não custa tentar.

Há exatos 50 anos, em 26/12/1971, faleceram Luiz Victor, meu irmão, e Paulo Afonso, nosso irmão espiritual, em acidente de carro próximo à Cerâmica Cowan, na estrada do Aeroporto de Moc.
Dai-lhes, Senhor, o repouso eterno e brilhe para eles a Vossa luz e que São Cristóvão proteja todos os motoristas.

Eng. Afonso Cláudio de Souza Guimarães
26/12/21, 13h42m.

Siga pelo Twitter @montesclaroscom Inscreva-se aqui para receber o Maillist
Receba Notícias por E-mail Imprimir Envie esta notícia a um amigo Aprimore esta informação, complete-aAprimore esta informação, complete-a

Página Anterior >>>

Abra aqui as mensagens anteriores: