Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - domingo, 23 de janeiro de 2022

Última informação dos Bombeiros é de que 3 pessoas seguem desaparecidas nas águas do Capitólio, após queda do penhasco que matou 7

Domingo 09/01/22 - 6h16


Número de mortos em desabamento de rocha em Capitólio sobe para seis

Feridos foram levados para hospitais de cidades próximas

O Corpo de Bombeiros de Minas Gerais informou que subiu para seis o número de mortes devido ao desabamento de uma grande rocha no cânion de Capitólio. De acordo com os Bombeiros, mais de 30 pessoas ficaram feridas, algumas delas tiveram que ser hospitalizadas nas cidades de Passos, Piumhi e São José da Barra. Pelo menos quatro barcos foram atingidos.

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Edgard Estevo, há informações de que 20 pessoas estariam desaparecidas. Em coletiva à imprensa, ele afirmou que o trabalho de buscas feito por mergulhadores será interrompido durante a noite, por segurança.

A chefe da Divisão de Medicina Legal do Interior da Polícia Civil de Minas Gerais, Marcela Sena Brava, informou que peritos já estão no local para auxiliar na liberação dos corpos. Eles serão encaminhados para o Instituto Médico Legal de Passos.

A Marinha auxilia o Corpo de Bombeiros com equipes de Busca e Salvamento (SAR). Um inquérito será instaurado para apurar o incidente.

Por meio de seu perfil no Twitter, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, se pronunciou sobre o acidente: “Sofremos hoje a dor de uma tragédia em nosso Estado, devido às fortes chuvas, que provocaram o desprendimento de um paredão de pedras no lago de Furnas, em Capitólio. O governo de Minas está presente desde os primeiros momentos através da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros”. (Agência Brasil)


***



DIVERGÊNCIA


Embora a informação da Agência Brasil fale em 20 desaparecidos, a última atualização do Corpo de Bombeiros reduziu o número para 3.

A informação é enfática, curta:
"Atualizações oficiais sobre a Operação em Capitólio - Óbitos: 7 - Desaparecidos: 3 - Todos pertenciam a lancha de nome “Jesus”



A explicação para a divergência de números, segundo nota dos Bombeiros:

"A modificação se dá em decorrência da própria característica do acidente, muitas pessoas foram socorridas por embarcações que estavam na região e foram levadas por meios próprios para unidades hospitalares.

Assim sendo, inicialmente elas foram classificadas como desaparecidas, mas ao longo do dia, graças a força-tarefa, foi possível fazer o contato com as vítimas".

DESENCONTRO


Na queda do penhasco, pessoas foram jogadas na água e o socorro veio através de lanchas e barcos próximos.

As pessoas socorridas foram levadas a hospitais durante horas, daí o desencontro das informações.

JESUS

Todos os desaparecidos estavam na lancha Jesus, uma das que foi atingida diretamente pelas rochas. Todas as vítimas que morreram também estavam nesta embarcação.


TROMBA DÁGUA

Tromba dágua na parte mais alta do lago teria sido a causa da queda do penhasco.

3 lanchas foram atingidas diretamente: a primeira, que estava mais perto do paredão, foi coberta por rochas.

Duas afundaram.

ÚLTIMA

A última nota dos Bombeiros diz:

"O CBMMG informa que, de acordo com as informações obtidas no Posto de Comando integrado, que envolve o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Civil, Defesa Civil e Marinha do Brasil e outros órgãos, sete óbitos foram confirmados e três pessoas desaparecidas. A modificação se dá em decorrência da própria característica do acidente, muitas pessoas foram socorridas por embarcações que estavam na região e foram levadas por meios próprios para unidades hospitalares. Assim sendo, inicialmente elas foram classificadas como desaparecidas, mas ao longo do dia, graças a força tarefa, foi possível fazer o contato com as vítimas. Concluímos, portanto, que da estimativa inicial de 20 desaparecidos, 7 foram de vítimas fatais, 10 pessoas foram localizadas por telefone e 3 pessoas permanecem desaparecidas"

AFUNDARAM

Das 4 embarcações atingidas, 2 afundaram.

Pelas primeiras contas, 32 pessoas ficaram feridas.



O município de Capitólio tem cerca de 9 mil habitantes, mas chega a receber 5 mil turistas nos fins de semana e até 30 mil em feriados.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais