Receba as notcias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 23 - sexta-feira, 9 de junho de 2023

Cobra píton é capturada a 203 quilômetros de M. Claros e vira celebridade. É da maior espécie do mundo, natural da Ásia e da África. Mata como a sucuri e jiboia, apertando suas presas

Segunda 20/03/23 - 8h36

Uma cobra pton com cerca de 3 metros de comprimento, nativa da sia e frica, foi capturada em Carbonita, no Vale Jequitinhonha, em Minas Gerais.

H duas semanas, a serpente foi flagrada por moradores prximo a uma caverna, e neste domingo (19), uma equipe de resgate animal, composta por dez pessoas, conseguiu captur-la.

A cobra, agora com status de celebridade, ser levado para o Centro de Triagem de Animais Silvestres do IBAMA em Belo Horizonte.

Apesar de no ser venenosa e no apresentar riscos ao ser humano, a pton pode causar desequilbrio no meio ambiente, pois no tem predador natural, isto , no tem inimigo natural, e tem facilidade de procriar.

A pton pertence famlia Pythonidae, um grupo de serpentes grandes e no venenosas que matam suas presas por constrio, assim como fazem as sucuris e jiboias.

Ela no ataca os humanos por natureza, mas podem morder e se contrair ao se sentirem ameaadas.

Embora no sejam venenosas, grandes ptons podem causar ferimentos graves.

***

Jornal Estado de Minas, de BH:

Cobra que veio da sia causa medo e pnico em cidade mineira

Cobra pton foi capturada no Vale do Jequitinhonha depois de provocar apreenso na regio por mais de 15 dias
Luiz Ribeiro

Medo e pnico, tendo como causadora uma espcie oriunda do outro lado do planeta. Esse foi o clima vivido por mais de 15 dias no municpio de Carbonita, no Vale do Jequitinhonha. O motivo de tanta apreenso foi uma cobra pton, de origem asitica, capturada na regio na manh do ltimo domingo (19/3).

A serpente foi encontrada por uma equipe de resgate de animais do Centro Universitrio Uni-BH e levada para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renovveis (Ibama) em Belo Horizonte, onde chegou na tarde desta segunda-feira (20/3).

A assessoria do Ibama informou que, como no se trata de uma espcie da fauna brasileira, a pton, que tem cerca de 3 metros de comprimento, ser encaminhada para um criador particular, ainda no definido.

A cobra comeou a provocar apreenso na regio desde a tarde do dia 5 de maro (um domingo), quando foi vista pela primeira vez pelo professor Adilson de Paulo Ventura, s margens do Rio Araua, na zona rural de Carbonita.

Adilson, que tambm diretor da Escola Estadual Mestra Aurora, de Carbonita, conta que estava passeando no local, a 300 metros da ponte sobre o rio (da MG 401, estrada Carbonita/Itamarandiba), quando encontrou e filmou a cobrona.

O professor, que foi avisado da presena da espcie por outras pessoas que estavam no local, relata que, ao ser encontrado, o rptil estava dormindo. Mas, passado algum tempo, acordou e comeou a se movimentar.

Percebi que no era uma espcie de cobra da regio. No imaginei que fosse uma pton. Pensei que fosse uma jiboia ou uma espcie de sucuri, afirma Adilson, que filmou e divulgou o vdeo sobre o animal, postado, inicialmente, em um grupo de pescadores da regio. Logo, a gravao viralizou nas redes sociais.

Na noite do mesmo dia, o morador de Carbonita pesquisou na internet e com ao auxlio do professor de biologia Luis Paulo Sant`anna, constatou que a cobra que encontrou e filmou beira do Rio Araua era uma pton.

Tambm chegam concluso de que, como se trata de uma espcie da sia, a cobra foi solta na nossa regio por algum criador clandestino, relatou o professor.

Ele disse tambm que assim que o vdeo viralizou, foi espalhada notcia falsa em grupos de WhatsApp de que a cobra vista no Araua tinha 10 metros de comprimento, gerando medo e pnico no municpio de Carbonita, sobretudo na zona rural, com os moradores com medo do ataque da cobra a animais domsticos.

O professor Adilson Ventura afirmou que, para desmentir as fake news, gravou outro vdeo, tentando tranquilizar a populao de que a pton vista no Vale do Jequitinhonha, na verdade, media entre 3 e 4 metros de comprimento, explicando tambm que o animal no ataca seres humanos. Mesmo assim, no conseguiu impedir o medo provocado pela notcia falsa junto aos moradores.

Espcie invasora causou desequilbrio na Flrida
Por outro lado, ambientalistas e bilogos alertaram que a pton, embora no seja venenosa e no represente riscos ao ser humano, pode causar desequilbrio ecolgico, por no ter um predador natural.

Inclusive, algumas dessas serpentes procriam sem a necessidade de cruzamento. Ento ela pode procriar sem precisar ter outra", explicou Eduardo.

Os especialistas levam em considerao o que ocorreu no Everglades, rea pantanosa do Sul da Flrida (EUA), onde houve a entrada de cobras pton na dcada de 1970. Anos depois, as serpentes se tornaram uma praga na regio alagadia, destruindo outras espcies da fauna e causando desequilbrio ambiental.

Adilson Ventura conta que, visando impedir qualquer tipo de desequilbrio ecolgico na regio, acionou as autoridades ambientais sobre a presena da espcie invasora no Rio Araua. Acabou sendo formada uma fora-tarefa, com vrias tentativas de captura do animal oriundo do continente asitico.

Inicialmente, representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Carbonita foram at o rio Arauai, mas encontraram apenas vestgios da pton. Chegou a ser feita uma armadilha , visando capturar o animal, mas sem sucesso.

A Polcia Militar de Meio Ambiente tambm fez buscas no local, recorrendo at ao uso de drone, tambm sem xito.

Na tarde dese sbado (18/3), a equipe de resgate animal do Uni-BH, formada por dez pessoas, chegou regio de Carbonita e, na manh de domingo, conseguiu capturar a cobra. O animal estava escondido em um local de difcil acesso, em uma pequena caverna, junto ao Rio Aracua.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais