Receba as notícias do montesclaros.com pelo WhatsApp
montesclaros.com - Ano 25 - segunda-feira, 17 de junho de 2024

Urgente: 120 policiais federais realizam operação, nesta quarta, em 4 estados, "contra plano para matar Sérgio Moro e promotor de justiça", divulga a imprensa em S. Paulo. Brasília cita o PCC como envolvido. Moro diz que fará pronunciamento oficial, nesta tarde, no Senado

Quarta 22/03/23 - 8h24

Nesta quarta-feira (22), a Polícia Federal realiza operação chamada de Sequaz, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa que - segundo as primeiras informações - planejava realizar ataques contra servidores públicos e autoridades, incluindo um senador e um promotor de justiça.

O senador seria o ex-juiz Sérgio Moro.

A rádio BandNews FM confirmou que o senador Sérgio Moro estava entre os alvos.

As investigações revelaram planos de homicídios e extorsão mediante sequestro em quatro estados e no Distrito Federal: Rondônia, Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Cerca de 120 policiais federais cumprem 21 mandados de busca e apreensão, sete mandados de prisão preventiva e quatro mandados de prisão temporária nos estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul e Rondônia.

A Polícia Federal afirmou em nota que os ataques poderiam ocorrer simultaneamente e que os principais investigados se encontravam em São Paulo e Paraná.

BRASÍLIA

Em Brasília, a notícia ganha contornos mais fortes:

- A Polícia Federal realiza uma megaoperação para prender membros do Primeiro Comando da Capital (PCC), uma das maiores facções criminosas do Brasil.

- Segundo as investigações, os criminosos planejavam sequestrar e assassinar o senador Sérgio Moro (União Brasil) e o promotor de Justiça Lincoln Gakiya, que faz parte do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado de São Paulo (Gaeco).

- A ação, intitulada Operação Sequaz, envolve cerca de 120 policiais federais, que cumprem 24 mandados de busca e apreensão, sete mandados de prisão preventiva e quatro mandados de prisão temporária em Rondônia, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Distrito Federal.

- As diligências apontaram que os ataques poderiam ocorrer simultaneamente, e os principais investigados estavam localizados em São Paulo e Paraná.

PRONUNCIAMENTO

O senador Sergio Moro anunciou em publicação em suas redes sociais que irá se pronunciar sobre as ameaças que recebeu de uma quadrilha durante a tarde desta quarta-feira (22) no Senado.

Moro associa a quadrilha ao Primeiro Comando da Capital (PCC).

Ele agradeceu à Polícia Federal, PM/PR, Polícias legislativas do Senado e da Câmara, PM/SP, MPE/SP e seus dirigentes pelo apoio e trabalho realizado.

De acordo com a PF, foram identificados planos de homicídio e extorsão mediante sequestro em pelo menos quatro estados e no Distrito Federal: Rondônia, Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Compartilhe
Siga-nos nas redes sociais